Ainda não é o fim, mas é quase isso

Já tem tempo que me falta tempo. Já tem tempo que não consigo mais ir com regularidade ao cinema. Tempo me falta até para ver os filmes que quero em casa. O Porra, Man! foi criado numa época que o tempo ainda sorria para mim e me deixava alguns minutos disponíveis para este que é um dos meus maiores hobbys ‘concatenados’: escrever sobre cinema e tudo o que envolve a simples arte de ver um filme.

Outros projetos, uma outra vida, uma época em que ando cansado de ficar cansado. É noite, está bastante escuro mas ainda temos as estrelas para nos guiar. Existe uma luz logo ali, se você olhar bem.

Talvez mudar o formato, a periodicidade, não sei, algo será feito em breve por aqui. A todos que me acompanham ao longo destes mais de 9 anos, sim, em breve faremos uma década, agradeço imensamente o carinho recebido nos comentários, nas ruas, nos convites que recebi ao longo deste tempo no meu blog que tem um péssimo nome, comercialmente falando, mas que ainda assim me proporcionou viagens, eventos, alguns mimos e até exposição nos jornais e rádio. De verdade, fico muito feliz quando penso em tudo o que conquistei aqui.

Duas conquistas foram especiais (e se o Vitória ajudasse um pouco em 2010 seriam 3…), uma a de poder juntar algumas pessoas e formar A POCILGA, um local que, como este, tenta encontrar o seu espaço e com a quantidade de gente ao meu lado lá podemos atacar em vários ‘frontes’. Sem dúvidas as figuras que lá me acompanham se tornaram um grande achado, mas existe uma outra conquista que é a mais especial de todas: Os feedbacks que recebo de pessoas que nunca vi e, provavelmente, nunca vou conhecer. Amizades virtuais surgiram de textos que li e comentei, ou de pessoas que leram os meus escritos e, de alguma forma, se identificaram com aquilo.

Hoje mesmo estava respondendo mais um dos milhares de comentários que recebi ao longo de todo este tempo. Alguém me pedindo dicas de filmes de determinada temática. Tantos outros chegam até mim depois agradecendo por email, ou nos próprios comentários aqui as dicas que deixei ou ainda a forma como descrevi determinado filme. Acho que essa é a principal conquista quando você cria um espaço como este que criei.

O tempo me falta, mas é certo que tudo na vida é um ciclo. Em breve as coisas melhoram e o tempo volta a sorrir para mim. E se isso não acontecer, se o tempo não vier aqui me dar uma brecha, já valeu todo esse caminho percorrido.

Não é um adeus, é apenas um até logo. Digamos que o Porra, Man! está apenas tirando um cochilo, é só uma sonequinha. Continuo no ar, afinal, aqui é resistência!


Foto da capa do post por Stine Moe Engelrud

Related Posts with Thumbnails

Author: Marcio Melo

Analista de Sistemas, amante da sétima arte desde os tempos imemoriais e com muito sangue nerd fervilhando em veias hipertensas, fundou o Porra, Man! com o intuito de comentar sobre cinema de forma descomplicada e fácil de entender. Nas horas vagas torce prum time que nunca vence e mata monstros que não existem.

Share This Post On

15 Comments

  1. Poxa poxa, espero que o tempo volte a sorrir em breve então 🙂
    Mas com ou sem tempo, não perco meu personal indicator de filmes e seriados :*

    Post a Reply
    • Valeu!

      Quem tiver twitter me segue lá que mando algumas dicas também @marciosmelo

      Estamos com uma produção boa em http://pocilga.com.br 🙂

      Post a Reply
  2. Porra, Man! Que triste isso…
    Não sei se vc vai lembrar de mim, Marcio, mas estive mais presente por essas bandas entre 2006 e 2009, acho. Sou o @Welll_Azevedo e sou um grande fã do site.
    Ainda não estou inteirado com a era POCILGA, mas acompanhei o lançamento do conceito, adoro a inventividade do nome e a coragem de usá-lo como marca.
    O timing do Universo às vezes é péssimo. Desde que conheci o Porra, Man! e me identifiquei instantaneamente com o diálogo, a abordagem, a sensatez das críticas e principalmente das respostas a alguns comentários sem noção, minha vida entrou numa espiral de “faltas de tempo” e “não consigo conciliar”, com primeiro: um trabalho que para ser escravo faltava pouco (primeiro emprego é foda!) e não me permitia nem respirar. Daí combine isso a uma faculdade de Comunicação à noite e vc tem a receita para um péssimo administrador de prioridades, rs.
    Parece que estamos em estágios exatamente opostos, pois curiosamente, meu emprego agora me permite mais horas livres e entreguei meu TCC semana passada, o que também me deu uma folga e tanto. Justo agora… o Porra, Man! entra em um hiato indefinido.
    A sensação que fica (pra mim) é mais ou menos como a da letra de “Epitáfio” dos Titãs, de que eu devia ter feito isto ou aquilo…
    Cara, eu queria dizer que, assim como vc, fiz alguns amigos online e considero vc um deles. A conexão que eu senti com teus textos, a verdade que tu põe em cada parágrafo é inspiradora. Eu sinto a tua dor e até um ar de torpor ou uma espécie de transe nas palavras escritas nesse teu texto de acima, como se vc tivesse que dizer, mas não quisesse.
    Vou ficar meio órfão de um dos locais mais… sei lá, “meus”, que encontrei online, onde eu escapava da formalidade dos portais mais tradicionais, mas não perdia em nada em qualidade e propriedade no assunto tratado. Mas faço questão de voltar em vários posts e reler, ou ler pela primeira vez, só para recuperar o tempo perdido. Porque mesmo que eu nunca tenha contribuído com nada além de comentários, eu me sinto parte disso aqui.
    Marcio, obrigado por tudo cara, de verdade. O seu trabalho inspira pessoas, tenha certeza disso. Pois eu também sinto que estou perdendo muito.

    Muita sorte e sucesso pra vc, rapaz. Aguardo novidades.

    Post a Reply
    • Claro que lembro de você Well, você é uma dessas amizades virtuais que fiz aqui no blog e vai seguir em frente.

      Encerrar o blog não está nos meus planos, é apenas um hiato que espero que não seja longo demais.

      Depoimentos como o seu me fazem ter a certeza que este foi um dos maiores acertos nessa vida. Não acaba aqui, em breve quando as coisas melhorarem, e elas hão de melhorar, voltamos ao ‘normal’, ou pelo menos, um novo ‘normal’ que me permita seguir fazendo o que gosto e acredito.

      Grande abraço!

      Post a Reply
  3. Entendo o fator tempo. Pena. Gosto daqui. Nada contra a Pocilga, rs, visito lá, mas, enfim. Continuamos por aqui. Sucesso.

    Post a Reply
    • Até mesmo a POCILGA está se reformulando. Acontece.

      Quanto ao meu querido blog pessoal, é apenas um hiato até conseguir tempo. Obrigado Amanda, pelo tempo dedicado ao meu ‘cantinho virtual’ 😀

      Post a Reply
  4. Nem sei há quanto tempo passo por aqui, mas sei como é ter que mudar as coisa. A gente cresce e o tempo vai indo embora rsss
    Estamos aqui esperando =D

    Post a Reply
    • O tempo vai, mas ele volta! 😀

      Post a Reply
  5. Então só me deixa agradecer por tudo o que você dividiu conosco. Da sua lista de críticas sairam vários filmes que me ajudaram muito. Muito obrigada e boa sorte 😀

    Post a Reply
  6. Por nada Joyce, mas ainda não é um fim. Um dia retorno para meu cantinho virtual 🙂

    Post a Reply
  7. Muito obrigado por todos esses anos, de verdade, o “porra, man!” foi uma referência pra mim, me ajudou inúmeras vezes a escolher o que ver no cinema e na internet. Acho que vc é o blog que acompanho a mais tempo, todos os outros fecharam, por isso pra mim o fim do “porra, man!” é o fim de um ciclo.

    Por tudo isso, a única coisa que tenho a dizer, mais uma vez, é muito obrigado.

    Post a Reply
  8. Não desista Márcio, o cinema não merece isso. Enquanto está sem tempo posso tocar o site pra vc. Em setembro vou cobrir o CachoeiraDoc e seria um prazer publicar por aqui, mas a decisão fibal é sua. posso carregar o piano até você se reerguer e dar mais uma chance ao cinema, afinal quando queremos temos tempo, é só administrar, boa sorte e boa decisão meu recente amigo.

    Post a Reply
  9. Visitava assiduamente, antes de qualquer filme passa aqui antes. Para você ver, esse seu post foi em julho e só agora em novembro estou lendo. Faltou tempo para mim também. um abraço e obrigado pelas suas horas de dedicação!! pocilga nunca fui. um dia vou lá.

    Post a Reply
  10. Porra man! Sei como é isso. Você postou em julho e só estou vendo hoje! É como dizem: “o tempo voa”. Aquele tempo de “só mais 5 minutos” acabou. As vezes sinto a necessidade de um dia com 30h. Como será que o Itaú consegue? Rs.

    Post a Reply

Submit a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *