Chorando em posição fetal, fontes afirmam que foi assim que Zack Snyder foi visto após terminar de assistir Capitão América: Guerra Civil que é, em sua essência, um grande ‘fan-service’. Para quem estava com saudade de um bom filme de super-heróis, o terceiro filme do Capitão América segue a cartilha básica da Marvel e entrega uma produção bastante competente em diversos aspectos.

A Guerra Civil da Marvel pode ser vista como apenas a vontade de muitos fãs em ver os super-heróis se esmurrando. Coisa de nerd, de tentar descobrir (na real apenas discutir mesmo) qual herói é mais forte, quem apanharia de quem, etc. Pode parecer um conceito já enferrujado ir de encontro a publicações (aqui no caso uma série HQs) clássicas para buscar inspiração e trazer um gosto de “novidade” num subgênero (os filmes de Super-Heróis) que estava começando a dar sinais de desgaste para qualquer pessoa que tenha mais que dezessete anos, mas os irmãos Russo conseguiram, mais uma vez, realizar um ótimo trabalho que pode ser visto como algo além do que um simples fetiche nerd. Capitão América: Guerra Civil marca a aurora de mais uma nova fase dos filmes da Marvel nos cinemas.

#TeamCap

#TeamCap

A adaptação de um dos arcos mais famosos dos quadrinhos da Marvel acerta em cheio em diversos detalhes. Existe espaço e motivo para cada um dos personagens seguirem os seus atos e tomarem os seus partidos. Existe motivo para a briga entre os heróis acontecerem, existe motivo para o vilão querer ver o circo pegar fogo jogando todos os desejos, ideologias e crenças de cada um deles numa fornalha pronta para explodir (por mais que fãs mais xiitas digam que ele não representa o verdadeiro Zemo das HQs).E o melhor, mesmo numa obra com um tom mais sério (como é de praxe nas aventuras do Capitão América) existe humor (e amor também) muito bem inserido no meio de um roteiro que traz uma história com tons de dramaticidade altíssimos.

Por mais que o público que não seja fã ou conheça os quadrinhos que deram origem a este filme devam conhecer de fato apenas uns seis ou nove personagens que surgem em tela,  a luta entre eles é séria, as discussões levantadas também e possuem, em cada um dos lados, pontos de vista que vão além do embate entre o que é maligno ou benigno para o planeta e que merecem sim serem discutidos. E este embate de ideias que beiram a filosofia política, por mais que ao final da trama pareça ter sido explorado de maneira um pouco rasa aqui (acho que merecia pelo menos mais uma ou duas obras nessa linha), é sem dúvidas um dos pontos mais fortes de Capitão América: Guerra Civil.

Das coisas que não acrescentam nada de bom ao filme estão o 3D, TOTALMENTE DESNECESSÁRIO e, sei lá, tem uma cena com o Homem-Formigão que ficou um pouco fora do ponto (mas isso aconteceu na revista 37 do Homem-Formiga em 1934, blá blá blá…; resmunga o velho hipster que vive em um vagão de carga cheio de caixas de feira pallets).

#TeamIron

#TeamIron

É um filme ótimo e que tem obtido um alto índice de críticas positivas. Merece  todos os elogios que vem conquistando. Mesmo não sendo uma produção perfeita, o novo Homem-Aranha é, finalmente, espetacular, a tia May… bom, é realmente um atentado e todos os pequenos easter-eggs e novos heróis que surgem são muito bem vindos. Vale seu tempo e seu dinheiro.


Ótimo: Classificação 4 de 5

4 Controles de 5

  1. – Soldado? 
    – Pronto para obedecer.
  2. Minha classificação mora nos 4 controles e meio, mas como não dividimos controles aqui arredondei para baixo apenas para vocês resmungarem nos comentários.
  3. #TeamCap ou #TeamIron?
Related Posts with Thumbnails