A Série Divergente: Insurgente (Insurgent)

Mesmo estando longe de ser uma obra prima ou uma produção imperdível, o primeiro filme da “Série Divergente” abriu alguns caminhos interessantes. A sequência da adaptação dos livros escritos pela Veronica Roth, “Insurgente”, prova que talvez esta série não tinha mesmo muito o que dizer. Apesar de trazer uma história mais concisa – sem muitas subtramas ou arcos paralelos para ‘se perder’ do propósito principal – a verdade é que esta segunda parte trata-se de uma jornada nada instigante e com raros momentos ‘divergentes‘ que valham algum destaque.

De início existe um breve resumo sobre toda a ‘treta‘ existente, mas a trama segue logo para os acontecimentos seguintes ao final do primeiro filme e nele acompanhamos Tris (Shailene Woodley, “A Culpa é das Estrelas“) e Quatro (Theo James, “Divergente“) fugindo por estarem sendo procurados pela líder da Erudição Jeanine Matthews (Kate Winslet, “Contágio“). Buscando por respostas e tendo que lidar com suas escolhas, o casal e outros companheiros terão que enfrentar grandes desafios enquanto tentam descobrir a verdade e procuram destronar o sistema opressor do mundo em que vivem.

insurgent-movie-shailene-720x585

As sequências de ação e pancadaria estão lá e, inclusive, existem algumas situações até violentas mas nada que salve “Insurgente” das escolhas infelizes do roteiro. Talvez prejudicados pelo material original que deve ser raso (não li e não posso afirmar mas é o que deixa transparecer) quase todas as situações apresentadas são bastante manjadas, num nível tão incrível que muitas coisas podem ser previstas com 2 ou 3 cenas de antecedência. Para completar os diálogos são muito ruins e algumas questões ficam bastante incongruentes se você pensar que este modelo de civilização já possui 200 anos.

Na parte técnica e visual o filme segue num nível muito bom e a direção do  Robert Schwentke até tenta acertar as coisas, mas parece encontrar um elenco recheado de atores que visivelmente preferiam estar fazendo qualquer coisa diferente daquilo para o que foram pagos. É verdade que a Shailene Woodley e Kate Winslet seguem muito bem, mas sozinhas infelizmente ela não conseguem carregar o filme nas costas.

Mesmo que não seja um filme ruim, a verdade é que “Insurgente” prova que toda essa série de livros e filmes prometeu mais do que cumpriu e, de fato, têm pouco pano pra manga. O desfecho chega e apresentar uma ‘nova missão’ de vida para todos os habitantes mas, pelo menos para este que vos escreve, não deixou nem um pingo de interesse em descobrir o que ainda tem pela frente e para onde toda esta ‘tramamóia‘ irá “convergir“.

Insurgente - Kate Winslet

Se tivesse que escolher uma facção para ir depois de assistir este segundo filme dessa franquia que, tendo em vista o seu pouco conteúdo ainda vai ter a audácia de seguir a estratégia costumeira de obras ‘jovens adultas’ e dividir o último livro Alvejante Allegiant (Convergente) em dois, seria a dos Decepcionados. Não tem essa facção né? Bom, aposto que se tivesse a história não seria tão sem graça…

***

  1. Esta é a primeira sequência cinematográfica na carreira de Kate Winslet.
  2. O corte de cabelo de Tris não é tão curto no livro quanto no filme, mas Shailene Woodley teve que fazer desta forma por conta das filmagens do “A Culpa é das Estrelas“.

 


Poster InsurgenteA Série Divergente: Insurgente (Insurgent, 2015 – 119 min)
Ficção Científica, Ação, Jovem Adulto

Dirigido por  Robert Schwentke com roteiro de Brian Duffield, Akiva Goldsman e Mark Bomback adptando livro de Veronica Roth. Estrelando: Shailene Woodley, Theo James, Miles Teller, Ansel Elgort, Kate Winslet, Jai Courtney, Naomi Watts, Maggie Q, Zoë Kravitz, Octavia Spencer, Mekhi Phifer, Jonny Weston, Daniel Dae Kim e Ray Stevenson.

 

Related Posts with Thumbnails

Author: Marcio Melo

Analista de Sistemas, amante da sétima arte desde os tempos imemoriais e com muito sangue nerd fervilhando em veias hipertensas, fundou o Porra, Man! com o intuito de comentar sobre cinema de forma descomplicada e fácil de entender. Nas horas vagas torce prum time que nunca vence e mata monstros que não existem.

Share This Post On

5 Comments

  1. eu gostei do primeiro, eu ainda não vi esse, mais o trailer dava entender que seria melhor que o primeiro, espero que eu goste mais do que você…porque a série é muito boa, melhor do que jogos vorazes odeio essa franquia!

    Post a Reply
    • Eu também gostei do primeiro mas este segundo foi, para mim, uma decepção.

      E eu vou ter que discordar, ‘Jogos Vorazes’ mesmo com seus defeitos é superior a esta franquia em muitos aspectos.

      Post a Reply
  2. eu só vim gostar de jogos vorazes desse ultimo que saiu…o resto eu achei muito fraco…divergente já gostei de primeira, não vi ainda insurgente mais agente talvez concorde com a mesma opinião..vamos ver!

    Post a Reply
  3. Não tem como deixar de reconhecer a superioridade de Jogos Vorazes depois dessa sequência de Divergente. Um filme ruim no geral e um livro que me parece ser assim também, portanto não se trata de um problema na adaptação. Eu que não gosto de Jogos Vorazes irei ver todos, mas no caso deste aqui é bem provável que este tenha sido o último.

    Márcio, veremos muitas aproximações naquilo que sentimos frente a esta obra. Logo você verá quando sair as minhas impressões a respeito. Abraços.

    Post a Reply
    • Sim, aguardarei e comentarei assim que sair 🙂

      Post a Reply

Trackbacks/Pingbacks

  1. Os Piores Filmes de 2015 - POCILGA - […] Confira a crítica deste no Porra, Man! […]

Submit a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.