Tusk

Para quem é fã do cineasta, ator, roteirista e quadrinista Kevin Smith, principalmente para aqueles que ouvem o(s) seu(s) podcast(s), “Tusk” é uma das maiores piadas internas em forma de cinema já criadas que funciona muito mais como uma espécie de ‘caça ao tesouro’ de referências e ‘easters eggs’ relacionados aos seus trabalhos e à cultura pop em geral, do que propriamente como um bom e válido entretenimento.

Tusk Filme

Tudo começou em clima de brincadeira, Kevin Smith e seu parceiro no Smodcast Pictures (Scott Mosier) estavam discutindo em um episódio do programa sobre um anúncio – que depois descobriu ser apenas uma invenção de dois sujeitos que mais a frente se tornaram produtores do filme – onde um proprietário que vivia solitariamente em sua casa estava oferecendo abrigo grátis e outras mordomias para qualquer inquilino que concordasse em se vestir e agir como uma morsa. A partir daí um pseudo roteiro absurdo foi criado e serviu de base para “Tusk”.

A história do filme acompanha um podcaster chamado Wallace Bryton (Justin Long, “Alvin e os Esquilos 3”) que vai atrás de uma entrevista interessante para o seu programa no Canadá. Chegando lá ele acaba encontrando um anúncio curioso e resolve ir até a casa de um velho senhor que está oferecendo abrigo grátis para quem quiser. À medida que vai tomando um chá muito bom servido pelo encantador e belo contador de histórias Howard Howe (Michael Parks, “Red State”) ele não sabe, mas está prestes a se tornar cobaia do sujeito que deseja criar uma morsa humana. A partir de seu desaparecimento sua namorada Alison (Genesis Rodriguez) e seu melhor amigo e parceiro de podcast Teddy (Haley I See Dead People Joel Osment) decidem procurar por ele.

"Eu não quero morrer no Canadá!!!!"

“Eu não quero morrer no Canadá!!!!”

O início de “Tusk” é muito bom e bastante promissor. O clima de terror e horror é criado sem pressa e num ritmo angustiante, principalmente nas primeiras cenas entre Justin Long e Michael Parks que, diga-se de passagem, está espetacular interpretando o velho excelente contador de histórias (e que mais a frente o espectador descobrirá ser lunático). A partir do momento que o filme toma o rumo da transformação na tal morsa humana, se assemelhando bastante à “Centopéia Humana”, ele começa a se perder. A agonia de ver a ‘criatura’ é muito grande e quando tudo parece se transformar em uma comédia mais pastelão, quando entra em cena um personagem interpretado por Johnny Depp (“Transcendence”), que está quase irreconhecível, é que tudo começa a desandar.

Vale muito mais pelas referências e pela forma como tudo foi concebido do que propriamente como uma obra de terror (ou comédia de humor negro), algo que talvez só mesmo os fãs mais ferrenhos do grande nerd Kevin Smith possam gostar. Reserva algumas boas sequências e situações e uma ou outra cena até memorável, mas no geral pode-se dizer que “Tusk” não passa de uma brincadeira que foi longe demais.

Sofrência

Sofrência

***

  1. Este é o segundo filme de uma trilgoia “não-oficial” de filmes ruins de Kevin Smith que começou com Red State (2011) e terminará com “Yoga Hosers” em 2015.
  2. Kevin Smith e Johnny Depp são grandes amigos e, além da participação ‘especial’ de Depp no filme, as filhas dos dois, Harley Quinn Smith (sim, ele foi nerd o suficiente para colocar na filha o nome de uma das vilãs do Batman) e Lily-Rose Melody Depp, também fazem uma ponta como balconistas de uma loja de conveniências que o protagonista pede informações no Canadá. As duas também estarão em seu próximo filme, “Yoga Hosers”.
  3. Durante os créditos do filme passa uma parte da conversa entre Kevin Smith e Scott Mosier (seu parceiro no Smodcast) a respeito do, na época, hipotético filme que poderia ser feito com a tal história da morsa. No final, logo após uma cena extra (inútil) envolvendo o personagem de Depp, são exibidas as contas do twitter das primeiras pessoas que tuitaram “#WalrusYes” (#MorsaSim), ou seja, os que foram a favor da produção do filme.
  4. O filme possui inúmeras outras referências e ‘easter eggs’ que podem ser conferidos (em inglês) no IMDb.

Regular: Classificação 2 de 5

Tusk PosterTusk (2014 – 102 min)
Horror, Comédia

Um filme de Kevin Smith com Justin Long, Michael Parks, Haley Joel Osment, Genesis Rodriguez, Johnny Depp, Harley Quinn Smith e Lily-Rose Melody Depp.

Related Posts with Thumbnails

Author: Marcio Melo

Analista de Sistemas, amante da sétima arte desde os tempos imemoriais e com muito sangue nerd fervilhando em veias hipertensas, fundou o Porra, Man! com o intuito de comentar sobre cinema de forma descomplicada e fácil de entender. Nas horas vagas torce prum time que nunca vence e mata monstros que não existem.

Share This Post On

5 Comments

  1. Depois de “Red State” fico com preguiça de assistir esse filme apesar de ser fã de Kevin Smith. Mas quem sabe qualquer dia desses eu não resolvo encarar pela curiosidade mórbida. hahahaha

    Post a Reply
    • Se você que é fã tem preguiça, imagine hehehe.

      Post a Reply
    • Sim, bastante mesmo heheheh

      Post a Reply
  2. eu assisti esse filme de teimosia…oh! Deus porque eu sou teimoso? que filme horrível…

    Post a Reply

Submit a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.