Lançado em 2010 em alguns festivais gringos e ainda sem previsão de lançamento no Brasil – nem mesmo em homevideo“Super” é uma boa pedida para os que gostaram do trabalho do cineasta James Gunn em “Guardiões da Galáxia” conhecer um pouco mais da sua (ainda curta) cinebiografia. Aqui ele dirigiu e escreveu o filme que conta com um elenco bem interessante e que mesmo não tendo o mesmo equilibro entre comédia e ação do que seu maior sucesso da carreira (até aqui), vale a pena ser visto.

Na trama vamos acompanhar a vida de um sujeito (Rainn Wilson, o impagável Dwight da série ‘The Office’) que após ver sua esposa (Liv Tyler, “Passe Livre”) cair nas garras de um perigoso e charmoso traficante (Kevin Bacon, “X-Men – Primeira Classe”) decide se transformar em um herói chamado Crimson Bolt e combater o crime. Não demora muito e ele acaba arrumando uma ‘sidekick’ meio surtada (Ellen Page, “X-Men – Dias de um Futuro Esquecido”) que se autodenomina Boltie e o ajuda na luta diária para tentar “calar a boca do crime”.

Super - Rainn Wilson

O protagonista não possui nenhum poder, não tem nenhuma habilidade e, para completar, parece ter o senso de perigo e realidade bastante desregulado. Claro que isso vai lhe causar alguns problemas. Obviamente a primeira referência que vem à mente nos leva até a franquia “Kick-Ass”, e basicamente a premissa central é essa mesmo. Só que “Super” remete mais ao estilo de outro filme de herói que é “Corpo Fechado”. No quesito violência ele já é um pouco mais contundente, se nas HQs e nos filmes do “Kick-Ass” temos cenas de violência mais gráficas e exageradas, James Gunn opta aqui, no que se refere às cenas de ação/violência, por algo mais cru e contundente, inclusive tem uma cena perto do final é que é muito forte.

Contribui e muito para tudo isso funcionar a grande atuação de Rainn Wilson, quem o conhece do seriado ‘The Office’ sabe do que ele é capaz e é uma pena ver que este ator não conseguiu ainda deslanchar nos cinemas. Ao seu lado temos ainda uma Ellen Page que interpreta bem uma personagem metade lunática, metade problemática e que até usa bem aqui o seu sex appeal. Dos demais coadjuvantes a começar por Kevin Bacon que faz um vilão “padrão” ou até mesmo Liv Tyler (que pouca diferença faz) não há muito o que falar, servem quanto nada ao propósito de dar um peso a mais no elenco que conta ainda com a participação do Michael Rooker que repetiu a parceria com Gunn em “Guardiões da Galáxia”.

Super - Ellen Page

Existem alguns momentos bem humorados, existe também um trabalho dramático interessante e o filme só não é melhor porque realmente falta um maior equílibrio entre os momentos de humor, as cenas de violência e toda a carga dramática imposta na história. Existe uma virada um tanto quanto abrupta do meio pro final do filme que poderia ser mais acertada, ainda assim, “Super” é mais um daqueles ‘pequenos’ filmes que fogem do radar de muita gente mas que valem a pena serem assistidos.

***

  1. O filme ganhou uma censura alta (“R”) por conta das fortes (e sangrentas) cenas de violência, exibição de uso de drogas e conteúdo sexual acima do recomendado pela carta magna americana.
  2. Esse filme é só mais uma prova que o amor de James Gunn por Kevin Bacon (que interpreta no filme o personagem Jacques) já vem de bem antes dos Guardiões da Galáxia! 🙂
  3. James Gunn chegou até Rainn Wilson devido a uma dica de sua ex-esposa Jenna Fischer que trabalhou com Wilson na série The Office. Ela o achou perfeito para o papel e lhe entregou um script para que o ator lesse. Assim que terminou ele aceitou o papel.

Divertido: Classificação 3 de 5

super-rainnwilsonfaceSuper (2010 – 96 min)
Drama, Comédia, Ação

Um filme de James Gunn com Rainn Wilson, Ellen Page, Liv Tyler, Kevin Bacon, Gregg Henry, Michael Rooker, Sean Gunn e Nathan Fillion.

Related Posts with Thumbnails