Uma mescla de reboot com continuação que segue dividindo opiniões entre a crítica e o público, está é uma das formas como pode ser resumido o que é “Transformers 4 – A Era da Extinção (Transformers: Age of Extinction)” do explosivo Michael Bay. Sem entrar no mérito de quem está certo, a crítica que acha queentende” de cinema ou o público que é quem “paga as contas”, a verdade é que sim, é melhor que o segundo e o terceiro da franquia, mas ainda existem alguns exageros que poderiam (e deveriam) ser evitados que acabam prejudicando o resultado final.

A trama se passa alguns anos após o confronto entre os Autobots e Decepticons em Chicago. Depois do grande rastro de destruição deixado, os robôs gigantes estão sendo caçados por uma ‘operação secreta’. É aí que entra em cena um inventor/cientista Cade (Mark Wahlberg, “Sem Dor, Sem Ganho”) que, ao encontrar um caminhão abandonado, acaba entrando na mira da tal operação secreta uma vez que o que ele recupera é na verdade o Optimus Prime. A partir daí ele vai precisar salvar a sua vida e de sua filha (Nicola Peltz) ao mesmo tempo em que tentará ajudar o líder dos Autobots a reencontrar os seus aliados para se defenderem da implacável e mortal caçada que estão sofrendo.

Transformers-4-Age-of-Extinction-Mark-Wahlberg-Jack-Reynor-and-Nicola-Pelt

A troca do elenco veio em boa hora e ajudou a dar um novo frescor a franquia, ainda que continue não fazendo muito sentido a importância de insignificantes seres humanos perante robôs gigantes intergaláticos. Existe um esforço em dar espaço e importância a cada um dos personagens do elenco mas é Mark Wahlberg quem esbanja mais carisma, até porque a garotinha da vez, a atriz Nicola Peltz, possui um talento do tamanho de seu short em cena e, convenhamos, não chama muito a atenção.

Com personagens tão rasos e manjados, o pai super-protetor que quando precisa “virar” um mega cientista inventor aparece de óculos, a filha adolescente com mentalidade adulta, o agente secreto malvadão e por aí vai, sobra espaço (na verdade criasse até não poder mais) para as cenas de ação e muitos conflitos que chamam mais conflitos e que acaba se transformando em quase 3 horas de “tretas” sem fim.

Quando você já está satisfeito com tudo, pronto para ir feliz para casa, ainda é convidado a estender o “passeio” até a China. Uma vez lá é como se tivesse começado mais um filme já que surgem mais problemas, mais cenas de ação, mais piadinhas (poucas funcionam), mais tretas, mais explosões, mais por do sol e por aí vai. Sim, existe muita coisa bacana na terceira (e grandiosa) última parte de “Transformers 4 – A Era da Extinção” – Dinobots, espadas gigantes e por aí vai – mas nem todo mundo está disposto a acompanhar todo esse surto de alegria efusiva do Sr. diretor Michael Bay.

Transformers-4-Age-Of-Extinction-Imagine-Dragons_1399974948

É óbvio que quem chegou até o quarto filme de um franquia já está devidamente avisado do que esperar, sem contar que quando se vê nos posters e trailers robôs gigantes montando dinossauros robôs gigantes ninguém entra no cinema esperando assistir a uma obra prima da 7º arte, mas por mais que existam melhoras (algumas significativas) em relação às produções anteriores (excetuando-se o primeiro filme), daria para cortar facilmente quase 1/3 do tempo que não faria falta alguma, muito pelo contrário, ajudaria a tornar este quarto filme dos Transformers uma obra mais agradável e menos cansativa.

***

  1. Quem curtiu todos os filmes da franquia pode ir ao cinema sem medo. O restante das pessoas pode perder as esperanças ou três horas de vida, vai do desejo de cada um.
  2. Megan Fox > Rosie Huntington-Whiteley > Nicola Peltz.
  3. De toda a franquia gostei bastante do primeiro filme e confesso que este aqui tem os seus momentos de diversão, o que fez a minha classificação flutuar perto dos 3 controles de 5. Sim, fiquei em cima do muro.

Regular: Classificação 2 de 5

Transformers-Age-of-Extinction-Poster-Optimus-and-GrimlockTransformers 4 – A Era da Extinção (Transformers: Age of Extinction, 2014 – 165 min)
Ação

Dirigido por Michael Bay com roteiro de Ehren Kruger. Estrelando: Mark Wahlberg, Stanley Tucci, Kelsey Grammer, Nicola Peltz, Jack Reynor, Titus Welliver, Sophia Myles, Bingbing Li, T.J. Miller.

Related Posts with Thumbnails