Cinema e religião sempre tiveram uma relação conturbada e cheia de polêmicas ao longo dos anos. O número tímido de produções do gênero encontradas nas salas de cinema comprova que poucos são aqueles que se aventuram a explorar temas que são sagrados para muitos. Mais raros ainda são aqueles como Darren Aronofsky que, sem medo, resolvem “brincar” e criar uma obra fantástica com base em um dos contos bíblicos mais conhecidos do mundo.

Deus, o Criador, chateado com a maldade dos homens, resolve inundar a terra para dar uma limpada e recomeçar tudo de novo. Noé (Russel Crowe, “O Homem de Aço“), um sujeito de uma linhagem antiga e ‘especial’, recebe uma visão/chamado do Criador para salvar os inocentes dessa “formatada” que ele vai dar no planeta, ou seja, os animais. Com a ajuda dos vigilantes, gigantes de pedra que são na verdades antigos anjos caídos (uma espécie de Transformers do criacionismo), Noé e sua família começa a construir uma arca para abrigar todos animais e salvá-los do apocalipse que virá em forma de um grande dilúvio.

Noah Emma Watson Hopkins

A visão sobre o conto bíblico de Noé e sua arca trazida por Darren Aronofsky é espetacular, ele simplesmente transformou a história em um verdadeiro épico de fantasia que nos remetem a outras grandes produções do gênero repleto de batalhas grandiosas, criaturas fantásticas e paisagens belíssimas (a fotografia do filme é linda de morrer), tudo isso sem esquecer de importantes temas religiosos (a todo instante o pecado original é relembrado, por exemplo).

Do elenco o grande destaque fica para atuação assombrosa de Russel Crowe, uma das melhores de sua carreira. O elenco coadjuvante também não faz feio, ainda que Logan Lerman (“As Vantagens de Ser Invisível”) fique a todo instante com uma cara de paspalhão, até mesmo a querida Emma Watson (“Bling Ring – A Gang de Hollywood”) dá conta do recado. Outro destaque fica para o vilão interpretado por Ray Winstone que foi muito bem inserido na trama.

Não é um filme perfeito, além de parecer se estender um pouco mais do que o necessário, o terceiro ato traz um Noé que flerta com a loucura – aposto que foi aquele chá que ele tomou com Matuzalém (Anthony Hopkins, “Thor – O Mundo Sombrio”) – e é a parte menos interessante do filme, que acaba entrando em contraste com o início avassalador ou ainda a parte envolvendo os homens querendo se salvar e fazendo da Terra um verdadeiro retrato do inferno.

Porque você não me responde Deus? Me mande um sinal!

Porque você não me responde Deus? Me mande um sinal!

Darren Aronofsky nos brinda com um épico baseado em uma das histórias bíblicas mais “fantasiosas” e, sem medo, rompe as barreiras entre o cinema e a religião com um filme grandioso e que, para alguns, infelizmente, parece ir “longe demais“, ou seja, um típico filme de Aronofsky.

***

  1. O filme foi proíbido de ser exibido em alguns países como o Paquistão e Irã.
  2. A recepção perante os religiosos mais fervorosos não tem sido muito boa, uma vez que, para eles, algumas coisas são sagradas e não devem ser mexidas.
  3. A passagem em que a história da criação é contada por Noé à sua família já perto do desfecho do filme é coisa linda de Darren Aronofsky Deus
  4. Será que no final venceu realmente a vontade de Deus?

Ótimo: Classificação 4 de 5

Filme Noé torrent capa 2014Noé (Noah, 2014 – 138 min)
Fantasia, Drama, Aventura

Dirigido por Darren Aronofsky com roteiro de Darren Aronofsky e Ari Handel. Estrelando: Russell Crowe, Ray Winstone, Jennifer Connelly, Emma Watson, Anthony Hopkins, Logan Lerman, Douglas Booth.

Related Posts with Thumbnails