Resolution

Fruto legítimo do cinema independente, aquele indie raiz e não essas produções com “estilo indie” e verbas até generosas, “Resolution” contou com algo em torno de 1 milhão de dólares – que para os padrões atuais do cinema é troco de padaria – para ser feito de maneira muito competente por Justin Benson e Aaron Moorhead que dividiram o trabalho na direção e chegaram até a conquistar um prêmio num festival internacional.

Resolution

Tudo começa quando um sujeito deixa a sua esposa grávida em casa para viajar até um local remoto do oeste americano onde está um amigo seu se perdendo nas drogas. Chegando lá ele inicia um plano para livrar o seu amigo de uma morte precoce. Não tarda muito e coisas estranhas começam a acontecer no local que vão desde consequências de atos passados até a forças além de seus controles e imaginações, o que levam os dois a enfrentar seus demônios pessoais.

Terror e tensão em nível máximo, o clima em “Resolution” é de MUITO suspense e que atua de uma forma tão intensa que leva o espectador a entrar na mesma paranoia do “não drogado” Michael (Peter Cilella). Em meio a bizarrices grotescas e algumas experimentações artísticas existe uma jornada de auto-conhecimento na trama que não deve ser desprezada de maneira alguma.

Já não bastasse toda esquisitice “mística” do oeste americano e a brincadeira que fazem com o lance do envolvimento com as drogas e suas alucinações (seriam apenas alucinações?), dentre todas as cenas existe uma que me deixou perturbado por dias que é justamente uma em que Michael conversa com um sujeito que vive há 30 anos no local, dentro de seu trailer. Ele começa a explicar como chegou ali e como nunca conseguiu ir embora. Envolve ainda um lance de espelhos e tal. É muito sinistro.

resolution 2012

Monstros, alienígenas, espíritos indígenas ancestrais, o que será afinal que torna o local onde os dois amigos tentam se reaproximar e, por mais incrível que pareça sobreviver a tudo de estranho que começa acontecer, tão especial e assustador? Ou seriam apenas efeitos colaterais das drogas?

Em uma verdadeira espiral de desorientação o espectador é convidado a embarcar neste ótimo e aterrorizante suspense de horror até um desfecho que revela (em partes) todo o mistério de uma maneira um tanto quanto perigosa e que pode ficar aberta a interpretações a escolher. A angústia e curiosidade pode até não ser totalmente saciada (para os mais exigentes e mentalmente fechados) em seu final, mas o caminho percorrido até ele é tão gratificante que fica difícil não indicar este obscuro e pouquíssimo divulgado/conhecido produto do cinema indie. Este é um daqueles filmes que provavelmente poucos conhecem ou ouviram falar e que merecer ser assistidoMítico, imperdível.

***

  1. Até a data de publicação deste post ainda não existem informações sobre o lançamento aqui no Brasil nem a respeito do título nacional.
  2. Existe uma passagem em que o protagonista se indaga como o vídeo mostrado seu amigo em apuros por conta das drogas chegou até ele. Fiquei pensando da mesma forma como foi que “Resolution” chegou até a mim. Não… será que… :O
  3. A forma como trabalha com a metalinguagem, a “quebra da 4º parede” é incrível
  4. Tem uma passagem que lembra “O Segredo da Cabana“, quem gostou desse filme tem tudo para curtir também Resolution
  5. Calma! Podemos terminar de outra maneira?!

 


Ótimo: Classificação 4 de 5

resoResolution (2012 /2013 – 93 min)
Horror, Suspense

Um filme de Justin Benson e Aaron Moorhead com Peter Cilella, Vinny Curran, Zahn McClarnon, Bill Oberst Jr, Kurt David Anderson, Emily Montague e Skyler Meacham.

Related Posts with Thumbnails

Author: Marcio Melo

Analista de Sistemas, amante da sétima arte desde os tempos imemoriais e com muito sangue nerd fervilhando em veias hipertensas, fundou o Porra, Man! com o intuito de comentar sobre cinema de forma descomplicada e fácil de entender. Nas horas vagas torce prum time que nunca vence e mata monstros que não existem.

Share This Post On

9 Comments

  1. nossa,fiquei muito interessada em assistir esse filme agora,adoro filmes nesse estilo,vou procurar pra ver 😉

    Post a Reply
  2. Putz! Tenho que assistir esse filme!!!
    :O

    Post a Reply
  3. Nossa, este é obscuro hein? Indie mesmo… vai para a lista, que só cresce.

    Gostei de O Segredo da Cabana, principalmente da primeira metade.

    Post a Reply
  4. Dica anotada. Fiquei bastante interessado pelo filme que data de 2012 e ainda não tem data para lançamento em terras tupiniquins.

    Post a Reply
  5. filme promete muito e não cumpre nada. muito fraco. Ser confuso não é sinônimo de qualidade.

    Post a Reply
    • O filme não é confuso. Exite uma diferença entre finais abertos e mistérios bem construídos (ainda que não sejam explicados de forma mastigadinha) a um filme confuso. Discordo de ti Saulo.

      Post a Reply
  6. Péssimo em tudo – enredo, história, atuações, direção, premissa e tudo o que vier mais. Discordo do Saulo também, o filme não promete nada porque é vazio do início ao fim. Talvez se o cara estiver numa ”viagem” de metanfetamina viaje bastante vendo o filme. Já assisti produções de baixo orçamento péssimas, como A Bruxa de Blair, Nasce um monstro, Wolf Creek e outras tosqueiras mas este sinceramente ganha disparado. Para quem quiser perder quase duas horas bocejando e depois ficar mais perdido que merd** n’água pode ir de ladeira abaixo. Mais do que não-recomendado.

    Post a Reply
    • Sinceramente discordo de ti também Betto, péssimo em TUDO?! Nada se salva ali, sério?

      Acho que a proposta do filme é muito bem executada. Quando você diz que Bruxa de Blair também é ruim, ai fica difícil concordar com qualquer coisa que você diz.

      Mas cinema é isso, não é mesmo? Grande abraço!

      Post a Reply
  7. belo filme eu gostei bastante do clima, so a ultima cena q deixa muito na curiosidade, podia ter alguma dica doida nem q fosse largada no meio do filme para construirmos teorias

    discordo sobre a comparaçao com o segredo da cabana – achei o segredo da cabana uma merda, muito efeito especial, personagens americaninhos teen , a reviravolta do meio pro final é ate interessante mas é tao hollywood q fiquei de saco cheio.. ja esse filme é o contrario totalmente underground e sem teens idiotas, sujo, estranho… gostei muito, so faltou mesmo umas dicas no meio do filme pra criar uma mitologia e teorias bizarras em cima

    Post a Reply

Submit a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.