Capitão Phillips (Captain Phillips)

Minha aversão a “filmes de barco” ou que envolvam assuntos em alto mar quase me fez perder uma das melhores histórias adaptadas para o cinema neste ano de 2013. Dirigio por Paul Greengrass e contando com uma ótima atuação de Tom Hanks (“A Viagem“), “Capitão Phillips (Captain Phillips)” é simplesmente emocionante.

A trama, que é baseada em acontecimentos reais narrados em um livro sobre a história vivida por Capitão Phillips (interpretado no filme pelo grande Tom Hanks), acompanha o experiente comandante naval tendo que enfrentar junto com sua tripulação do Maersk Alabama uma incursão de piratas somalianos que atracam no navio atrás de dinheiro.

cap phillips

Se não fosse uma história digna de um livro e posteriormente de uma produção cinematográfica, a ‘aventura’ vivida por Capitão Phillips poderia se resumir a um simples “assalto” dos piratas somalianos onde tudo daria certo, mas não é o caso. As coisas não saem como planejado nem pelos piratas e tampouco para a tripulação, em especial ao Capitão Phillips que acaba sendo envolvido em uma situação nada agradável. Não quero entrar em detalhes (por mais que o trailer ou a sinopse os entreguem) mas existe uma ‘virada’ na história que aumenta ainda mais a tensão que estava estabelecida desde o momento em que os piratas subiram no navio.

Ao contrário do que se espera em produções que envolvam “atos heróicos” americanos contando ai com o grande auxílio das suas forças armadas, “Capitão Phillips” consegue contextualizar muito bem os dois lados da moeda sem soar piegas ou ficar naquela chatice patriótica que os americanos tanto se orgulham (e nos empurram goela abaixo).  Existe um certo peso nas atitudes dos piratas que chegam até a emocionar os mais fracos (1 membro).

Um dos principais trunfos está centrada na direção de Paul Greengrass, em especial o trabalho no elenco. Os piratas somalianos são gratas surpresas, atuam de forma excelente. Para finalizar, temos uma atuação de Tom Hanks que segue numa crescente incrível. De início ele apresenta muito bem o personagem, um sujeito experiente e que possui um grau de autoridade e seriedade invejável. Com o passar do tempo só melhora, e vai crescendo junto com o ritmo frenético do suspense apresentado nesta obra que culmina em uma cena final daquelas que fazem valer uma possível indicação ao Oscar.

capitao_phillips

Por mais que siga uma linha com um caminho bem definido, até por se contar de uma história já publicada em livro (e daí dá para imaginar onde e como ela vai terminar de antemão), “Capitão Phillips” é uma das melhores coisas que você vai assistir no cinema nesse finalzinho de 2013. Embarque sem medo.

***

  1. Ok, existe um certo nível de patriotismo americano infalível apresentada na metade final da história, mas não chega a incomodar tanto.
  2. Muse, o ‘capitão’ dos piratas é, desde já, um dos melhores vilões do ano.
  3. Calma Irlandês, tudo vai terminar bem.

 Ótimo: Classificação 4 de 5

poster phillipsCapitão Phillips (Captain Phillips, 2013 – 134 min)
Suspense, Biografia

Dirigido por Paul Greengrass com roteiro de Billy Ray adaptando livro de Richard Phillips. Estrelando: Tom Hanks, Barkhad Abdi, Barkhad Abdirahman, Faysal Ahmed, Mahat M. Ali, Michael Chernus, Catherine Keener, David Warshofsky, Corey Johnson, Chris Mulkey, Yul Vazquez e Max Martini.

Related Posts with Thumbnails

Author: Marcio Melo

Analista de Sistemas, amante da sétima arte desde os tempos imemoriais e com muito sangue nerd fervilhando em veias hipertensas, fundou o Porra, Man! com o intuito de comentar sobre cinema de forma descomplicada e fácil de entender. Nas horas vagas torce prum time que nunca vence e mata monstros que não existem.

Share This Post On

5 Comments

  1. Tá vendo? rs. Um ótimo filme, de fato. Apesar do que você chama de ” certo nível de patriotismo americano infalível” acho interessante o filme trazer um viés diferente ao dar voz também aos somalianos. E Tom Hanks na parte final do filme, ganha todos os meus aplausos.

    Post a Reply
  2. Caraca Márcio muito bom seus PS’s! “Everything is going to be ok” é um meme! AHAHAH!

    Achei o filme competente, típico de Paul Greengrass e uma interpretação acertada de Tom Hanks que deverá sim ser indicado ao menos, disputará com Forrest Whitaker provavelmente.

    O ufanismo americano não me incomodou neste filme, pois não é algo inventado ou posto ali para exaltá-los ainda mais. É uma verdade inexorável do poder e presença desse gigante que vai a qualquer lugar que seja em busca de seus filhos, diferentemente dessa coisa fétida que vivemos.

    Post a Reply
  3. É justamente essa contextualização dos dois lados que fez do filme ainda melhor… junto com uma puta atuação do Hanks e a tensão no limite com a direção do Greengrass.

    E olha, minha ignorância me ajudou a gostar ainda mais do filme. Eu simplesmente não lembrava do que tinha acontecido com o capitão na vida real, então fiquei na expectativa até o fim!

    Post a Reply
  4. crítica animadora,mas verei online mesmo hahaha.

    Post a Reply

Trackbacks/Pingbacks

  1. Crítica | 22 de Julho (22 July) - POCILGA - […] cineasta Paul Greengrass (Capitão Phillips) volta com sua câmera na mão trabalhando bem na direção do filme e utilizando…

Submit a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.