O Filho da Revoluçao e porque ainda Somos tão Jovens

O lançamento nacional do filme “Somos Tão Jovens”, que apresenta um pouco do início da carreira de Renato Russo e também da Legião Urbana, traz junto com ele o lançamento do livro “Renato Russo – O Filho da Revolução”. Para os fãs do poeta e cantor parece ser obra bastante recomendada.

Renato Russo – O Filho da Revolução (Livro):

 Renato Russo - O Filho da Revolução

O livro, que teve apuração acuradíssima, traz muitas informações inéditas e interessantes sobre Renato Russo, líder da Legião Urbana e maior ídolo do rock brasileiro. A vivência do músico na capital controlada pelos militares é pela primeira vez reconstituída em detalhes. Letras inéditas e documentos descobertos pelo autor revelam aspectos pouco conhecidos da trajetória do artista: paixões, angústias, sonhos e confissões. A obra conta com mais de cem entrevistas, incluindo depoimentos de Dado Villa-Lobos, Dinho Ouro-Preto, Herbert Vianna, Millôr Fernandes, Ney Matogrosso, Tony Bellotto e vários amigos anônimos. Um retrato do artista multifacetado que foi Renato Russo.

Sobre o Filme:

Brasília, 1973. Renato (Thiago Mendonça) acabou de se mudar com a família para a cidade, vindo do Rio de Janeiro. Na época ele sofria de uma doença óssea rara, a epifisiólise, que o deixou numa cadeira de rodas após passar por uma cirurgia. Obrigado a permanecer em casa, aos poucos ele passou a se interessar por música. Fã do punk rock, Renato começa a se envolver com o cenário musical de Brasília após melhorar dos problemas de saúde. É quando ajuda a fundar a banda Aborto Elétrico e, posteriormente, a Legião Urbana.

É bom lembrar que neste ano também teremos o lançamento do longa “Faroeste Caboclo” retratanto a ‘história’ contida numa das mais importantes músicas da Legião Urbana (homônima). Quando vi o trailer de “Somos Tão Jovens” confesso que não me empolguei tanto, sempre gostei (e ainda gosto) muito das músicas da “Legião” mas nunca fui um fã no nível fervoroso como foram alguns amigos que cresceram comigo naquela época.

De qualquer forma é um filme que assistirei e comentarei aqui em breve e espero que faça juz a uma das figuras mais importantes da história da nossa música brasileira que anda tão maltratada atualmente.

Crítica do filme “Somos tão Jovens”

 

Related Posts with Thumbnails

Author: Marcio Melo

Analista de Sistemas, amante da sétima arte desde os tempos imemoriais e com muito sangue nerd fervilhando em veias hipertensas, fundou o Porra, Man! com o intuito de comentar sobre cinema de forma descomplicada e fácil de entender. Nas horas vagas torce prum time que nunca vence e mata monstros que não existem.

Share This Post On

2 Comments

  1. Tal como você estou longe de ser um fã do Legião, mas gosto de várias músicas. Depois ter assistido a Somos Tão Jovens fiquei com vontade de ler este livro!

    Post a Reply
    • Em breve, caso sejamos pessoas de sorte, poderemos estar com o livro em mãos para conferir se ele realmente é interessante. Oremos! 😛

      Post a Reply

Submit a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.