Capa FilmeLaranja Mecânica (A Clockwork Orange, 1971 – 136 min)
Crime, Drama, Sci-Fi.
Dirigido e escrito por Stanley Kubrick, baseado no romance homônimo de Anthony Burgess. Elenco Principal: Malcolm McDowell, Patrick Magee e Michael Bates.
.
.
.
.
.

Oi, meu nome é Elvis José Alves, eu moro no Rio Grande do Sul, sou formado em Direito e escrevo sobre filmes antigos no PorraMan. Ou será que vocês ainda lembram de mim? Faz mais de um mês que não posto nada então não faço ideia. Tenho estado um pouco ocupado e muito cansado, mas isso não quer dizer que eu tenha esquecido daqueles filmes que marcaram época e fizeram do cinema o que ele é hoje.  Então, seguindo a ideia do que fiz com O Iluminado, resolvi ler Laranja Mecânica, rever o clássico de 1971 e rezar uma novena agradecendo a Deus por ele ter criado Anhtony Burgess e Stanley Kubrick.

Essa última parte é mentira.

laranja mecanica e o leite

Laranja Mecânica conta a história de Alex, um jovem um tanto quanto problemático. Amante de música clássica e líder de uma gangue de delinquentes, seus problemas começam quando ele cai nas mãos da polícia. Preso, ele é usado numa experiência inovadora criada pelo Estado destinada a refrear os impulsos destrutivos dos inúmeros criminosos da época. Quando volta às ruas regenerado, ele passa a sofrer com aqueles que antes eram as vítimas.

O LIVRO

Certo dia o Senhor Burgess foi ao médico e recebeu uma notícia bastante desagradável: tinha cerca de 1 ano de vida. Mas ele não se desesperou. Não. Manteve a calma e resolveu se dedicar ao trabalho e escrever o máximo de livros que fosse possível durante esse meio tempo, para garantir uma vida próspera a sua família que deveria viver dos direitos autorais. No fim desse prazo ele escreveu 4 livros e meio, sendo esse meio o grande Laranja Mecânica. Felizmente o diagnóstico terminal do autor logo se revelou errado e ele acabou vivendo por muitos anos, tendo tempo de sobra para terminar sua obra prima.

IMAGEM 2 (Capa Livro)

A narrativa de Laranja Mecânica é excelente! O livro é dividido em 3 partes, cada uma delas com 7 capítulos, totalizando 21 capítulos, revelando-se uma perfeita narrativa sobre o amadurecimento do personagem principal, Alex. Junto com seus amigos – ou druguis – ele comete a maior diversidade de crimes pelas ruas de uma Londres futurística (mas sem carros voadores, isso é besteira) tomada pela violência. Druguis é como Alex chama seus amigos e isso decorre das gírias criadas por Burgess com uma mistura do inglês vitoriano, russo, gírias ciganas, etc. Tudo isso transporta o leitor ao universo do livro, fazendo com que ele se sinta, no fim das contas, quase como um novo drugui de Alex que está ouvindo-o contar a história do seu passado.

FILME

O filme conta a história de 20 dos 21 capítulos do livro. Mas porque isso? Porque a versão americana do livro suprimiu o último capítulo, que conta o que acontece com Alex depois de se recuperar das experiências a que se submete quando está preso. Kubrick adaptou para o cinema essa versão da história e o fez muito bem! Ao contrário de O Iluminado, que ele fez bastante diferente do livro, Laranja Mecânica ficou muito fiel a história de Burgess e a quantidade de cenas icônicas, que se encravam no fundo da memória do espectador e de lá nunca mais saem é enorme. Os cenários são impressionantes e dão um tom quase teatral ao filme, mas deixam claro que representam na verdade uma sociedade de outro tempo e por isso são fundamentais para a beleza estética do filme.

IMAGEM 3

Uma boa história bem dirigida só poderia contar com um bom elenco. Aí entra Malcolm McDowell, que fez muito (MUITO!) bem o protagonista Alex – que no filme ganhou um sobrenome, DeLarge, uma paródia a Alexander The Large (Alexandre o Grande). Pode-se dizer que o ator sobreviveu ao filme, afinal conta-se que ele machucou a córnea e quase se afogou durante as filmagens. É principalmente durante as cenas de violência que ele mostra se talento, com uma presença importante dos coadjuvantes que, apesar de não merecerem nenhum destaque específico, fizeram um bom trabalho. O mais marcante durante essas cenas, porém, é a trilha sonora, repleta de grandes mestres da música como Beethoven, Gene Kelly, etc., além do tema do filme que é extremamente marcante e reflete muito bem o cenário futurista de violência que ele mostra.

IMAGEM 4

Sempre falo que Laranja Mecânica não é um filme para se assistir em um domingo de tarde só porque você não tem mais nada para fazer. Trata-se de um filme pesado, forte e fantástico, sendo assim, é preciso acordar com vontade de assisti-lo. Havendo inspiração para ver um pouco de violência e cenas de nudez que enlouqueceram a crítica e a opinião pública da época (tanto que Kubrick proibiu que ele fosse exibido na Grã-Bretanha enquanto estivesse vivo), o filme é altamente recomendável. Inadmissível que não seja assistido pelo menos uma vez. E se o caminhão de prêmios que ele ganhou (Óscar de Melhor Filme, Melhor Diretor, Melhor Roteiro Adaptado, Melhor Edição, Globos de Ouro, BAFTAs, etc.) não for suficiente para te convencer a assistir, saiba que só considero meu drugui quem já viu Laranja Mecânica, então corre assistir!

“Desculpe-me Senhora. Será que você pode ajudar, por favor? Houve um acidente terrível  Meu amigo está no meio da estrada, sangrando até a morte! Posso usar seu telefone para chamar uma ambulância?”
– Alex (tentando convencer uma senhora a deixá-lo entrar em sua casa)

Related Posts with Thumbnails