Sister (L’enfant d’en haut)

Você já assistiu algum filme suíço? Sim, aquele país conhecido como ‘neutro’ da Europa. Tempos atrás eu cheguei a comentar aqui no blog sobre “Cargo”, o primeiro filme de ficção científica da suíça (e também o primeiro filme que assisti deste país) e em meio a minha incessante busca por conhecer o cinema e filmes de outras praças que não apenas a dos EUA, cheguei ao drama suíçoSister (L’enfant d’en haut)” que foi o indicado do país para concorrer a vaga de melhor filme estrangeiro no Oscar de 2013. Apesar de não ter conseguido a vaga entre os indicados, o filme dirigido por Ursula Meier trata-se de um drama daqueles que merece ser assistido.

Na trama acompanhamos o dia a dia de Simon (Kacey Mottet Klein), um garoto que sustenta a si próprio e também a sua irmã (Léa Syedoux) roubando clientes de um resort de ski nos alpes suíços. Todos os dias ele segue a rotina de subir até o resort e aproveitar para roubar skis e equipamentos para depois revendê-los, enquanto a sua irmã fica saindo e se encontrando com diversos tipos de sujeitos.

sister-2012-002-simon-louise-standing-waiting-with-skis

A relação entre os dois irmãos é um pouco tempestuosa. Tudo o que o pequeno Simon deseja é um pouco de carinho, atenção e amor. A sua carência é tanta que certo dia ele conhece uma mulher no resort de ski – que é interpretada por Gillian Anderson, aquela mesmo de “Arquivo X” – e percebe-se que ele tenta de alguma forma suprir esta sua carência com ela.

Pouco conhecido aqui no Brasil, apesar de ter sido supostamente lançado no ano passado (provavelmente em alguns festivais de cinema), “Sister” obteve pela Europa algumas indicações e ganhou até aqui um total de 5 prêmios.

Diferentemente do famoso queijo do país, o roteiro não é cheio de furos, muito pelo contrário, toda a história é muito bem construída e os detalhes vão sendo apresentados aos poucos. E existe um GRANDE mistério na relação dos dois irmãos que só é revelado quase no final do filme, que é de arrepiar e traz uma carga dramática ainda maior para a trama.

small_sister01

Os cinéfilos mais atentos irão reconhecer o rosto sedutor da atriz Léa Seydoux facilmente, ela fez algumas participações interessantes em produções bem conhecidas como “Missão Impossível 4”, “Meia Noite em Paris” e “Bastardos Inglórios”, só para citar alguns exemplos. Ela atua muito bem, mais uma vez, mas quem merece os maiores elogios aqui é o jovem Kacey Klein que interpreta Simon. Se no início ele não demonstra muito carisma para fazer o espectador “comprar a sua briga” como um pequeno ladrãozinho, mais a frente seu personagem e sua atuação convencem e nos faz entender como é dura a sua vida.

Quanto custa um pouco de amor e carinho? Se existir um preço Simon pode pagar. Para os amantes do gênero, “Sister” é um drama impressionante, comovente e que vale a pena ser assistido.

***

Ps: O filme é partilhado entre os países da França e Suiça.


sister-poster01Sister (L’enfant d’en haut, 2012 – 97 min)
Drama

Dirigido por Ursula Meier com roteiro de Antoine Jaccoud, Ursula Meier e Gilles Taurand. Estrelando: Léa Seydoux, Kacey Mottet Klein, Martin Compston, Gillian Anderson e Gabin Lefebvre.

Related Posts with Thumbnails

Author: Marcio Melo

Analista de Sistemas, amante da sétima arte desde os tempos imemoriais e com muito sangue nerd fervilhando em veias hipertensas, fundou o Porra, Man! com o intuito de comentar sobre cinema de forma descomplicada e fácil de entender. Nas horas vagas torce prum time que nunca vence e mata monstros que não existem.

Share This Post On

4 Comments

  1. Só fiquei interessado porque tem Gillian Anderson no elenco.
    ahahahahahahaha…
    Aproveita a corrige o nome dela nos “créditos” que tá sem o N no final.
    E suas piadas com a Suiça foram bastante infames.
    ahahahahaha

    Post a Reply
    • Valeu pela correção, já fiz.

      Quanto as piadas infames eu chego até a perder tempo e fico chateado quando não consigo colocar pelo menos uma nos textos que escrevo aqui, é tipo ‘marca registrada’ hahahaha.

      Post a Reply
  2. A critica foi completamente favorável ao filme, sem ressalvas nem nada, e ganhou 4 controles :s

    Sobre o filme, acho que o que mais me motiva a ver é o fato de ter a Gillian no elenco e de eu ser fã incondicional dela. Valeu.

    Post a Reply
    • Como sempre digo Mateus, as classificações são sempre um problema para mim, não fiz ressalvas no texto mas não acho este filme tão bom quanto outros que classifiquei com 5 controles.

      É mais questão de hierarquia e sentimento, do que propriamente enumeração de erros e acertos a nota que dou aos filmes aqui.

      A participação de Gillian é pequena e comparando com os protagonistas, ela tá num nível bem abaixo.

      Post a Reply

Trackbacks/Pingbacks

  1. Crítica do filme Azul é a Cor mais Quente (La Vie d'Adéle) | Porra,Man - […] verdadeiramente feliz. Tudo muda quando ela (Adèle Exarchopoulos) conhece Emma (Léa Seydoux, “Sister”), uma mulher de cabelo azul que…

Submit a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.