O hype que girou em torno de “O Lado Bom da Vida (Silver Linings Playbook)” foi enorme e vários foram os fatores responsáveis por isto. Além das mais de 60 indicações recebidas em premiações mundo afora, onde faturou mais de 40, o filme de David O. Russel conseguiu uma marca que não ocorria na academia a mais de 30 anos, ser indicado para todas as principais categorias do Oscar, melhor filme, direção, roteiro e todas as 4 categorias de atores. É verdade que dentre as 8 indicações recebidas no Oscar apenas Jennifer Lawrence (mesmo tropeçando) saiu premiada, mas isso não tira o brilho desta excelente história que alcançou um feito que poucas produções do gênero conseguem atualmente, ser romântica e engraçada.

lado bom da vida

Tiffany: Eu me abro pra você e tudo o que faz é me julgar.

Na trama acompanhamos a história de Pat Solatano (Bradley Cooper, “Se Beber Não Case”) que após perder tudo o que tinha, casa, emprego e a esposa, está retornando para casa de seus pais com a sua mãe (Jacki Weaver) depois de passar 8 meses em um sanatório cumprindo um acordo judicial. Apesar de todas as difíceis circunstâncias, Pat está totalmente determinado reconstruir sua vida e recuperar a sua esposa. O que todos querem, incluindo o seu pai viciado em apostas de jogo (Robert De Niro, “Poder Paranormal”), é que ele esqueça tudo e viva uma nova vida caminhando com seus próprios pés. As coisas se complicam quando Pat conhece Tiffany (Jennifer Lawrence, “Jogos Vorazes”) que também tem seus próprios problemas e distúrbios mas promete ajudá-lo a reconquistar a sua esposa. Mas será que é realmente este o plano da garota?

Loucura e amor são palavras que frequentemente estão acompanhadas uma da outra, e o amor não é sempre aquela coisa linda que encontramos nos livros e filmes, o amor as vezes machuca. O problema é que o personagem de Pat acredita que a vida pode seguir de acordo com um plano, e ele tenta usar a positividade e toda a história do “Excelsior” a seu favor para reconquistar de qualquer maneira a sua amada. Sua família, em principal a sua mãe (que é interpretada magistralmente por Jacki Weaver), tenta a todo custo mostrar outras oportunidades e possibilidades. A sua frente ele ainda encontra como ‘obstáculos’ o seu irmão e, porque não, o seu pai interpretado tão bem por Robert De Niro (algumas de suas cenas são de arrepiar e emocionar como poucas vezes o cinema é capaz de nos fazer), dentre outras pessoas e situações que vão surgindo.

Saco de lixo para suar mais e emagrecer mais rápido.

Saco de lixo para suar mais e emagrecer mais rápido. Fica a dica.

A direção de David O. Russel – que foi atraído para a história por conta das relações familiares e também por ter um filho que sofre com bipolaridade e TOC –  é bastante feliz e ele soube conduzir a história, que tem a sua carga dramática ao lidar com temas tão fortes, de maneira tão agradável e engraçada. São várias os momentos capazes de arrancar boas risadas do espectador e a “culpa” disto é tanto de David e seu belo trabalho com o elenco quanto dos atores, que tiveram uma grande liberdade nas cenas e diálogos.

Falar do trabalho dos protagonistas talvez seja chover no molhado já que Bradley Cooper traz uma atuação inspirada e Jennifer Lawrence segue numa crescente incrível em sua carreira e aqui só confirmou o que era de se esperar. Além dos coadjuvantes já citados existem ainda a participação muito legal de Chris Tucker que, tirando a franquia “A Hora do Rush”, tinha feito seu último trabalho para o cinema em 1997. Toda vez que ele surge fazendo o amigo de sanatório de Pat, rouba a cena.

Uma curiosidade interessante é que a cena da dança, uma das melhores e mais importantes do filme, é real. Os atores Bradley e Jennifer ensaiaram bastante com um coreógrafo e o resultado foi exatamente aquele apresentado. São por estas e por outras pequenas situações, que quando somadas resultam em grandes acertos, que “O Lado Bom da Vida” conseguiu atingir tão bem tanto a crítica quanto o público. Nos faz torcer por um final feliz enlouquecidamente e nos emociona durante todo este percurso sem ser piegas.

bradley-cooper-e-robert-de-niro-contracenam-em-o-lado-bom-da-vida-1357852574473_560x400

Ao trazer para o cinema uma história de duas pessoas com problemas psiquiátricos que encontram uma forma de se ajudar mutuamente em suas recuperações, em meio a famílias disfuncionais e amigos que tentam ajudar nem sempre da melhor maneira, “O Lado Bom da Vida” é daqueles filmes para se guardar no coração por conseguir grandes feitos, entretém de maneira divertida e inteligente ao mesmo tempo que prova a cada um de nós que nem sempre nossas vidas seguem de acordo com nossos planos e desejos, as coisas tendem a mudar e esse é o curso natural da vida. As vezes ficamos tão obcecados com algo ou alguém que não está nos fazendo bem que esquecemos das pessoas que estão sempre ao nosso lado podendo até mesmo vir a machucá-las. É importante saber cuidar, mas é importante também saber deixas algumas coisas simplesmente irem, afinal, todo mundo merece e vai ser feliz um dia. Sim, VAI ser feliz, Excelsior!


o lado bom da vida posterO Lado Bom da Vida (Silver Linings Playbook, 2012/2013 – 122 min)
Comédia, Romance, Drama.

Um filme de David O. Russell adaptando romance escrito por Matthew Quick. Estrelando: Bradley Cooper, Jennifer Lawrence, Robert De Niro, Chris Tucker, Julia Stiles, Shea Whigham, Anupam Kher, Jacki Weaver e Dash Mihok.

Related Posts with Thumbnails