Não sou fã de MMA mas isso não me impede de saber um pouco sobre boa parte dos grandes acontecimentos que giram em torno dos combates UFC e, claro, também não me impede de conhecer alguns de seus principais lutadores, dentre eles o  grande Anderson Silva, o “aranha”. Escrito a quatro mãos, dentre elas a do  empresário do lutador brasileiro, o documentário tenta mostrar a luta que Anderson Silva disputa fora dos ringues para se manter alheio a todo esse circo que envolve o esporte, mas tudo o que  consegue é ser apenas uma obra cinematográfica ruim.

like water

Sinta o meu perfume

No filme acompanhamos a trajetória do peso-médio invicto de 36 anos, o nosso “Spider”, entre abril e agosto de 2010 em meio a preparação para a grande luta com Chael Sonnen (UFC 117). Dentre treinamentos e obrigações contratuais, Anderson Silva estava em um período conturbado de sua carreira e, como de praxe, se mostrava pouco à vontade com toda a história de promoção do evento.

A ideia de apresentar o pobre lutador do gueto vítima do grande circo que é montado em oposição ao falastrão Sonnen até que funciona no início, todos sabemos o resultado da luta, Silva apanhou, apanhou e no fim finalizou o americano e venceu mais uma vez. Todo o falatório de Sonnen fica então mais engraçado de se acompanhar. Só que aí vem o questionamento: O que foi realidade e o que foi apenas promoção da luta? E porque Anderson Silva nunca entrava no jogo? Era apenas saudade da família que ele sentia? Estava cansado de toda aquela suposta ‘palhaçada’ ou era também parte de todo o circo montado pelo UFC?

O documentário é bastante chato e aborrecido e não ajuda, pelo menos na minha visão, a melhorar a imagem do lutador brasileiro. Se ele estivesse realmente de saco cheio de tudo aquilo porque assinou contratos e participa das lutas? A organização do UFC, obviamente, vive de promover os combates e conseguir mais e mais patrocínios e não pela filosofia de vida das diversas artes marciais que envolvem suas lutas.

anderson-silva-atua-filme-steven-seagal

Seagal ensinando a Silva como é que se faz

Para completar o pacote e decretar a ruindade desta produção, Anderson Silva encerra de forma cretina se apropriando sem cerimônias do célebre ensinamento de Rocky Balboa – sim, aquele que todo mundo já conhece – como se fosse um pensamento genial e uma lição de vida inédita que ele deixou, como herança sua, para todo nós espectadores. Francamente…Porra, man!

***

  1. O fato de eu não gostar do esporte não me impediu de adorar outra produção que envolve o UFC, por isso indico a todos que assistam ao filmeWarrior (Guerreiro)” e depois leiam o texto que escrevi sobre ele aqui no blog.
  2. Não sou maluco de fazer piada com a voz de Anderson Silva, eu sei o meu lugar, conheço os meus limites.

poster

Anderson Silva – Como Água (Like Water, 2011/2012 – 74 min)
Documentário

Dirigido por Pablo Croce com roteiro de Ramon Lemos, Lyoto Machida, Damaso Pereira e Ed Soares.

Related Posts with Thumbnails