Toda vez que uma comédia romântica açucarada padrão é lançada nos cinemas, morre um lêmure malgaxe por inanição. Esse axioma só é interrompido quando produções como “Ruby Sparks – A Namorada Perfeita” são bravamente lançadas, pois, mesmo seguindo a base da fórmula do garoto encontra garota conseguem trazer um pouco de novidade neste gênero tão consagrado e desgastado.

Na trama acompanhamos a insólita vida de Calvin (Paul Dano, “Sangue Negro”), um jovem escritor que depois de fazer um grande sucesso com seu primeiro livro está sofrendo com um bloqueio criativo para criar sua nova obra. Tido como “a voz da sua geração”, ele resolve escrever sobre a garota de seus sonhos, a idealização da namorada perfeita. E é justamente nesse momento que Ruby (Zoe Kazan), sem nenhuma explicação plausível, ganha vida.

24e53t2

Vários fatores fazem de “Ruby Sparks – A Namorada Perfeita” uma produção deveras interessante, começando por ser o segundo trabalhado dos diretores Jonathan Dayton e Valerie Faris, responsáveis pelo excelente e premiado “Pequena Miss Sunshine”. O roteiro por sua vez ficou a cargo de Zoe Kazan que é a namorada, na vida real, de Paul Dano, um ator que carrega consigo um carisma muito grande e, de quebra, atua como a tal ‘namorada perfeita’ saída dos livros na história, por isso a química entre o casal protagonista é tão forte.

A premissa de trazer o espectador junto com a história para conversar sobre a busca pelo par perfeito, pelo romance/amor ideal, é algo que já foi explorado diversas vezes em vários outros trabalhos no cinema, mas o grande trunfo de “Ruby Sparks” é saber ‘brincar’ com este tema utilizando-se de alguns recursos de metalinguagem. Quanto mais Calvin descobre o poder que tem em mãos em relação à sua criação, que também é o seu amor, mais dificuldades ele enfrenta. Será que não existe a perfeição ou nossas imperfeições é o que nos tornam interessantes e indispensáveis para alguém?

tumblr_mdpiqayDua1rhpccgo1_500

No mundo real as coisas não são assim tão literais e nem sempre temos condições de reescrever histórias e recomeçar, mas como estamos falando de cinema, tudo é possível e é esta a maior beleza desta obra que recomendo a todos assistirem e tirarem seus próprios ensinamentos e conclusões. Melhor do que descobrir novos filmes é ser surpreendido por eles, e “Ruby Sparks” foi uma das maiores surpresas que tive neste ano de 2012.

 



20251597.jpg-r_160_240-b_1_D6D6D6-f_jpg-q_x-xxyxxRuby Sparks – A Namorada Perfeita (Ruby Sparks, 2012 – 104 min)
Comédia, Romance, Drama

Um filme de Jonathan Dayton, Valerie Faris com roteiro por Zoe Kazan. Estrelando: Paul Dano, Zoe Kazan, Chris Messina, Elliott Gould, Annette Bening, Antonio Banderas, Aasif Mandvi, Steve Coogan, Toni Trucks, Deborah Ann Woll e Alia Shawkat.

Related Posts with Thumbnails