O Silêncio do Lago (Spoorloos, 1988– 107 min)
Mistério, Thriller.
Dirigido por George Sluizer, roteiro de Tim Krabbé, baseado no seu romance The Golden Egg. Elenco Principal: Bernard-Pierre Donnadieu, Gene Bervoets, Johanna ter Steege e Gwen Eckhaus.
.

.

Escrever sobre um filme holandês/francês não foi nada fácil, parece que não tem informação em lugar nenhum. Pra início de conversa o nome do filme já causa certa confusão. Spoorloos é o título original, mas, como não entendo nada de holandês, tentei pesquisar pelo nome inglês: The Vanishing. Encontrei “um balaio” de filmes com esse nome ou com essa palavra no nome, o que só complicou. Parti pro nome em português: O Silêncio do Lago – que pra variar não tem nada a ver com o filme – e ainda não encontrei nada. Depois de muita busca, nem sei como consegui encontrar alguma coisa sobre o filme, mas descobri que o nome em português seria O Homem que Queria Saber, o qual faz bastante sentido e por isso não deve ser. Mas o mais importante é que, depois de tanta luta, consegui o que precisava para escrever sobre minha frustração.

O filme conta a história do casal holandês Rex (Gene Bervoets) e Saskia (Johanna ter Steege), que viaja para a França durante as férias. Porém, em uma parada para abastecer o carro, Saskia desaparece misteriosamente e nunca mais é encontrada. Sem pistas, a polícia logo desiste do caso, mas Rex segue na busca durante anos e acaba caindo em um jogo doentio de um psicopata.

Quando li do que se tratava o filme pensei: “interessante, mas um tanto quanto comum. O que será que faz desse filme tão especial para estar na lista dos 10 filmes para assistir antes de morrer?”. E a resposta que encontrei foi a seguinte: NADA! Eu adoro o gênero thriller pela mescla de sentimentos intensos que ele proporciona, mas esse filme chega a ser maçante em alguns momentos. A história é previsível e arrastada do início ao fim, surpreende muito pouco e não consegue prender a atenção como deveria.

A direção não chega a ser ruim, mas é instável, chegando a ser até um pouco atrapalhada em algumas cenas, o que contribui para a falta de qualidade do filme. O elenco faz um trabalho bom, mas nada que mereça grande destaque. SPOILERS: Os poucos momentos interessantes estão na construção do personagem Raymond Lemorne, um psicopata perfeccionista que basicamente treina todos os seus movimentos antes de executá-los, e no final, em uma cena interessante e surpreendentemente bem dirigida que mostra através de Rex o que aconteceu com Saskia.

O filme não é ruim, mas também está longe de ser bom, ele é o que considero a pior coisa que que poderia figurar na lista dos 10 filmes para assistir antes de morrer: médio. Para entrar nessa lista o filme tem que ser incrível, o que O Silêncio do Lago (ou O Homem que Queria Saber?) não é nem de longe. Mas afinal, o que levou Steven Jay Schneider a incluir essa coisa em sua lista? Não faço ideia. Acredito que ele tenha seus motivos, mas se a lista fosse minha acho que não incluiria ele nem entre os 1.001.

“Pra mim matar não é a pior coisa.”
– Raymond Lemorne

Related Posts with Thumbnails