Medo – 1996

Filme: Fear 1996 Direção: James Foley Elenco: Mark Wahlberg, Reese Witherspoon, William L. Petersen Sinopse: Nicole é uma adolescente que está tentando se adaptar a nova vida junto ao pai e a madrasta. Ao conhecer David, ela acha que encontrou um príncipe encanto até ele mostrar a sua verdadeira personalidade.

Antes de Reese Witherspoon ser uma das queridinhas de Hollywood ela protagonizou este suspense em conjunto com o William L. Petersen que também não havia passado boa parte da carreira como Gil  Grissom em CSIMedo era um filme recorrente em Supercine ou Tela Quente e poderia passar mil vezes, eu assistia todas pois achava o Mark Wahlberg incrível. Ainda acho mas a diferença é que não tento mais camuflá-lo como um bom ator. A impressão que tenho é que ele não atua… seus personagens são como ele próprio e quando tenta se distanciar disso sai uma tragédia a exemplo de Fim dos Tempos.

Em Medo encontramos Nicole vivendo em constante atrito com o pai e tentando estabelecer algum vinculo com a madrasta. Durante uma fugida da escola ela acaba trocando olhares com David e posteriormente o encontra em uma rave. Ele a salva durante um tumulto e os dois estabelecem uma ligação automaticamente. David é o cara educado, carinhoso, sofrido e protetor.

O problema é que David não é nada disso. Ele apenas tenta se moldar ao que Nicole precisa. Mostrando-se a aventura e ao mesmo tempo a segurança na vida dela que aparentemente já tem tudo: uma casa incrível, boa aluna, bonita, uma família que a ama.  Mesmo com as pisadas de bola, ela acaba o perdoando e se afastando não só da melhor amiga mas também da família.

Eu não acredito que Medo seja um filme com algum diferencial. É tenso na medida certa porém muito previsível. O que me marcou muito foi que na época em que assisti ao filme eu  era uma adolescente e entendia perfeitamente as motivações de Nicole. Apesar  disso não posso minimizar os furos. A partir do momento em que David começa a mostrar que é de verdade, seria uma boa oportunidade para o aprofundamento do personagem mas o filme prefere focar no Sr. Walker e em Nicole. No final, Medo se mostra apenas como uma diversão sem grandes pretensões.

Nick não é muito fã do Mark Wahlberg

Related Posts with Thumbnails

Author: Dani Vidal

Dani Vidal (@danividal) é formada em Relações Públicas e autora do blog Feminina. Apesar de não dispensar um terror recheado de zumbis, chora copiosamente com um bom drama. Acho que nossa postura com a sétima arte é como se achar técnico de futebol. Ninguém é especialista mas todo mundo tem uma opinião e adora criticar a escalação.

Share This Post On

4 Comments

  1. Exatamente Dani, quando Mark tenta fazer algo diferente do que “costumaz” sai uma verdadeira tragédia hehehe.

    Quanto ao filme eu, confesso, sempre o via na locadora e nunca alugava e, com o tempo, acabou caindo em meu esquecimento.

    Seu texto está ótimo mas penso se vale a pena corrigir essa minha falha (se é que é uma) de não tê-lo visto nunca.

    Post a Reply
  2. apesar de não achar esse filme grande coisa eu gosto bastante,marcou minha infãncia,sem falar que assisti muitas vezes quando passava na globo. e tbm não acho o Mark Walberg um ótimo ator,mas convenhamos,o fato dele ser bonito abre muitas portas,e ele sempre teve esse jeito bad boy mesmo,concordo.e quem diria que o Willian l. Pettersen seria no futuro personagem de uma das minhas séries preferidas,adoro muito csi 🙂

    Post a Reply
  3. Gostei do “climão” anos 90 do trailer, ta batendo nostalgia dessa época.

    Post a Reply
  4. A cena dele dando socos no próprio peito me marcou de uma forma que hoje, mais de 20 anos depois, ainda consigo lembrá-la nitidamente.
    E ainda me causa angústia. Para o que se propões, é um bom filme, sem muitas pretensões.

    Post a Reply

Submit a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.