The Bunny Game – 2012

Filme: The Bunny Game – 2012

Diretor: Adam Rehmeier

Elenco:  Rodleen Getsic, Norwood Fisher e Gregg Gilmore

Sinopse: Prostituta está a espera de mais um cliente quando cai nas mãos de um caminhoneiro psicopata.

Eu não tenho nenhum problema com filmes polêmicos. Mesmo que todos digam que o filme é forte ou ruim eu preciso assistir para tirar minhas próprias conclusões e foi esse o caso de The Bunny Game. A ideia de censura, cortar muitas cenas consideradas fortes, proibição de entrar em cartaz nos cinemas, toda essa discussão nada mais é do que um marketing maior para os filmes. Quanto mais censura, mais famoso o filme se fica e alguns longas que poderiam ir diretamente para DVD, caindo no esquecimento, tornam-se alvo de imensa curiosidade.

Este foi o caso de The Bunny Game. Se não fosse por toda a polêmica envolta no filme eu jamais iria assistí-lo! Quando vi o trailer não achei que valeria a pena mas com tantos debates e censura me senti tentada a vê-lo. O Reino Unido, mais uma vez, baniu um filme de seus cinemas pois o  British Board of Film Classification (BBFC) não aceitou classificá-lo para nenhuma faixa etária.

The Bunny Game começa com uma desconcertante cena de sexo oral explicito. A princípio achei bem desnecessário mas de certa forma ele se encaixa perfeitamente no estilo de vida da protagonista. Uma prostituta sem perspectivas ou dignidade, pula de programa em programa onde é submetida a violência, uso abusivo de drogas, é agredida e roubada além de outros tipos de humilhação – a exemplo do cliente e coloca o dinheiro dentro de sua boca. Com sua vida que cabe em uma mochila, ela tem nas ruas a sua casa e nos homens, sem nenhum critério, o seu sustento. Os primeiros dezesseis minutos de filme me soaram interessantes apesar de toda a brutalidade mostrada. Eu gostaria de saber um pouco mais sobre aquela garota, creio que se o filme abordasse esse viés com certeza poderia ser mais interessante.

Eis que a prostituta se encontra com um estranho caminhoneiro e a partir daí tivemos uma hora de filme onde nada de interessante aconteceu. NADA. Certa vez fiquei imaginando como atores poderiam se prestar a fazer um papel como aquele de Centopéia Humana mas lá, a ideia é tão bizarra e original que fica difícil pensar em algo mais marcante. No caso de The Bunny Game fico pensando como aceitaram fazer algo tão deprimente. O filme não tem absolutamente nada além de violência, humilhação, estupro, insanidade. Nada é explicado e embora alguns filmes tenham esse propósito sempre fica algum tipo de reflexão, diversão, surpresa… mas no caso de The Bunny Game a única coisa que fica é a dúvida: Ele queria mesmo chocar ou dar um apelo erótico as cenas de violência. Não que eu ache erótico algo assim mas é tudo tão gratuito e desnecessário, onde começa sem justificativa e também termina sem. Se no início eu tinha uma certa empatia – até mesmo pena – da prostituta, ao final do filme eu estou indiferente.

Muitos vão se esforçar para dar inúmeras justificativas para um filme como The Bunny Game: Exercício de estilo, inovação, intuito de chocar. Para mim, nada mais é do que uma perda de tempo. Se tiver a oportunidade de assistir a esse filme, sugiro que use esse tempo para ver qualquer outra coisa… porque ele pode até te chocar, mas ainda assim vai ser um filme muito ruim.

Nick, mostra aí sua animação assistindo The Bunny Game

Related Posts with Thumbnails

Author: Dani Vidal

Dani Vidal (@danividal) é formada em Relações Públicas e autora do blog Feminina. Apesar de não dispensar um terror recheado de zumbis, chora copiosamente com um bom drama. Acho que nossa postura com a sétima arte é como se achar técnico de futebol. Ninguém é especialista mas todo mundo tem uma opinião e adora criticar a escalação.

Share This Post On

5 Comments

  1. estou com vontade de ver essa trasheira,faz tempo que vi o trailer e desde então me deu vontade de assistir,gosto de filme podre, assim como vc.mas mesmo nem tendo assistido isso aí eu já esperava uma crítica desse tipo.eu não bato muito bem não e mesmo assim verei,prefiro ver um filme apelativo do que um muito parado. e Dani que filme foi aquele que vc me recomendou? aquele lovely molly? num entendi porra nenhuma hahaha,me explica pleace? sério,estou boiando até agora,ás vezes sou meio lenta pra entender as coisas,acho que foi por isso que eu não gostei dele,achei ele muito estranho e complicado 🙁

    Post a Reply
    • O que tu não entendeu?
      Coloca as dúvidas nos comentários do filme que eu respondo lá

      Post a Reply
  2. bom,eu não entendi o seguinte:a mulher lá é só drogada e deprimida pela solidão? ela realmente estaria sendo atormentada por alguma entidade do tipo,ou ela tem algum trauma de infãncia relacionado por algum abuso que sofreu do pai dela? não estou querendo ter encher mais com esse assunto,sei que já deu isso aí,mais como eu disse ,estou sem entender maior parte do filme,e só pra fechar,aquela cena dela sendo estuprada pela entidade ,é real ou ela não bate bem mesmo?bom Dani,foi mal aí ,sei que eu meio que te chatiei,não foi minha intenção SORRY 🙁

    Post a Reply
  3. Vanessa,
    Era melhor você colocar esse comentário com suas dúvidas na postagem do filme pois da mesma forma que você ficou sem entender, outras pessoas também podem estar com as mesmas dúvidas e estando lá fica mais fácil para eles lerem.

    Enfim, Molly teve problemas com drogas no passado e tinha se recuperado. A questão é que os eventos sobrenaturais começaram a acontecer na casa e pra ela foi muito difícil pois o marido ficava mais tempo viajando do que em casa. Ela começou a ficar apavorada e durante um dos ataques ela é possuida, inclusive a cena do estupro no trabalho. Pra “fugir” dos contantes ataques da entidade ela começa a se refugiar nas drogas e volta a usar heroína. Na minha opinião se o filme deixasse no ar essa dúvida se existe mesmo uma entidade a atormentando ou se é problema mental, uso de drogas ou algo assim. Mas o filme, no final, mostra a entidade levando-a embora. Eu preferia que ficasse a dúvida.

    E você não está incomodando em nada viu. Pode deixar suas dúvidas sempre.

    Post a Reply
  4. Eu sou muito curiosa e adoro o gênero terror e seus subgêneros, já assisti de tudo e confesso que poucos foram capazes de realmente me surpreender, gosto de filmes fortes e bizarros rsrs , já esperava uma crítica parecida para esse filme mas preciso assistir para tirar minhas próprias conclusões. Alguns filmes foram feitos claramente para chocar, é o caso de A Serbian Film, A Centopeia Humana e Subconcious Cruelty, são filmes para um público mais restrito e curioso mesmo, também conheci esse filme por causa da polêmica em cima dele, pela sua análise já vi que é um filme sem grandes pretensões, sem uma filosofia por trás ou que nos faça refletir, apenas despeja cenas desconfortes e muita insanidade, bom vamos ver se é isso tudo mesmo rsrs.

    Post a Reply

Submit a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.