Uma das melhores coisas que me aconteceram depois que criei este blog e a minha interminável lista de filmes a assistir foram as recomendações que acabei recebendo dos leitores. Muitas ótimas surpresas surgiram, mas às vezes me deparo com dicas que parecem ter vindas de alguém que ou não gosta de mim, ou não gosta de cinema. E sinceramente, aquele que me indicou “O Queridinho da Vovó (Grandsma´s Boy)” se identifique por favor, preciso lhe dizer: Que MERDA de dica é essa?!

Na trama conhecemos um testador de jogos de videogame que leva uma vida ainda de adolescente apesar de ter mais de 30. Depois de ser despejado ele vai morar com a sua queridíssima avó e duas roomates dela, uma velha safadinha e uma outra meio dodói da mente. Em meio as tarefas que ele ganha no seu novo lar, ele tenta “sobreviver” aos seus dias de trabalho com seu chefe ‘zen’ lunático, um maluco metido a estrela e, principalmente, se segurar com a chegada de uma estonteante nova funcionária.

A verdade é que trata-se de um grande erro, um arremedo de ideias e coisas que poderiam até funcionar, nerds trintões, videogames, pessoas esquisitas, maconha, drogas e uma mulher ‘gostosa’ no meio disso tudo, mas que, infelizmente, não se encaixam e falham MISERAVELMENTE na tentativa de fazer humor com tudo isso.

Linda Cardellini no único momento que se salva do filme.

Apesar do elenco contar com algumas aparições interessantes como a de Linda Cardellini (que fez uma das melhores séries de todos os tempos “Freaks and Geeks”) – é dela aliás a única cena interessante de todo o filme, quando ela está bebinha cantando numa festa – e a do, na época, gigante de gordo Jonah Hill (“Anjos da Lei”) o filme definitivamente não funciona. Nem vou comentar sobre o protagonista, seu amigo que dorme numa cama de carrinho e muito menos do Rob Schneider, indicado aqui (e por toda a sua filmografia) para o prêmio de PIOR ATOR DA DÉCADA. Chega né?

É provável, talvez, que eu é que seja o chato da história, que esta seja mesmo uma produção bem divertida e que estava num dia ruim quando a assisti. Só que confesso que durante todo o tempo eu não lembro de ter dado uma única risada, nem um sorrisinho de canto de boca. Estava mais próximo do choro para ser franco. E uma comédia em que você não dá uma risada serve para o quê? Por favor, me responda a pessoa que me indicou esta obra (no sentido nojento da palavra).



O Queridinho da Vovo (Grandsma´s Boy, 2006 – 94 min)
Comédia

Dirigido por Nicholaus Goossen com roteiro por Barry Wernick, Allen Covert e Nick Swardson. Estrelando: Linda Cardellini, Allen Covert, Peter Dante, Shirley Jones, Shirley Knight, Joel David Moore e Rob Schneider.

Related Posts with Thumbnails