Por um tempo considerável Ben Affleck era tido por muitos como apenas mais um rosto bonito no mundo do cinema, mas a algum tempo sua carreira (não apenas como ator mas também em áreas como direção e produção) está em uma crescente muito impressionante e que vem proporcionando ao seus trabalhos um bom reconhecimento tanto do público quanto da crítica. Foi assim em 2010 com “Atração Perigosa” que venceu 8 prêmios e obteve mais de 20 indicações (dentre elas uma para o Oscar) e agora no ano de 2012 ele entrega mais um excelente e imperdível filme, “Argo”, um thriller político baseado em inacreditáveis fatos reais e que deixa o medidor de tensão em nível máximo do início ao fim da história.

A trama segue uma dramatização de um dos momentos mais surreais que se tem conhecimento sobre a história da espionagem americana, num esforço conjunto entre a CIA e o governo do Canadá acompanhamos uma missão para exfiltrar (para conhecimento é o antônimo de infiltrar) 6 diplomatas que se refugiaram secretamente na embaixada canadense no Irã durante uma violenta revolução local.

O plano para escapar com os diplomatas americanos é ousado (insano talvez seria mais adequado), criar um falso projeto de um filme canadense de ficção científica e retirar os fugitivos do hostil clima de perseguição no Irã como integrantes da equipe de filmagem. Tudo precisa parecer bastante real e, para isso, Tony Mendez (Ben Affleck, “Intrigas de Estado”), que é  mestre em exfiltrações, conta com o apoio de algumas figuras importantes do mundo de Hollywood.

A recriação do evento histórico é muito rica, uma produção impecável e toda a parte técnica trabalhada nos mínimos detalhes até mesmo na caracterização dos personagens, dá pra sentir que o esforço foi muito grande e tudo isto resultou em uma verossimilhança incrível com os fatos reais (algumas fotos são mostradas durante os créditos que servem a nível de comparação). Contando ponto a favor temos ainda o trabalho do elenco que é muito inspirado e que, além de Ben Affleck, conta ainda com nomes importantes como os de Alan Arkin, John Goodman e Bryan Cranston por exemplo.

Apesar de ser um thriller político intenso e com uma alta dose de dramaticidade (até mesmo por ser baseado em fatos verídicos), existem alguns momentos bem divertidos com umas boas sacadas que giram em torno do mundo de hollywood. Demonstrando cada vez mais ser um diretor bastante competente – e já não sendo mais surpresa para quem vem acompanhando sua carreira ultimamente – Affleck encontra espaço para fazer humor em torno da indústria do cinema com algumas boas sacadas mas cutucando só de leve, afinal, dá para sentir o quanto ele ama todo esse jogo hollywoodiano.

Só que o grande trunfo de “Argo”, e por tabela de Affleck também, é forma como consegue deixar o espectador em clima de suspense e tensão durante quase toda as duas horas de projeção, o tom de urgência é quase constante. Como bem diz o slogan, o filme é falso mas a missão é real.

Não é claramente um filme perfeito até porque existe um certo exagero de explicações durante a conclusão da história, mesmo assim, por tudo o que ele representa, por toda qualidade técnica e do elenco e, principalmente, pelo trabalho deste cara que mostrou que é muito capaz, resolvi aproximar para cima minha classificação. Até porque, trabalhos excelentes e imperdíveis como este não dão as caras nos cinemas todo o fim de semana. Dito isto, caso você ainda não o tenha assistido, dê mais um (ou quiçá o primeiro) crédito para Ben Affleck e seu novo trabalho porque ele merece e faz valer seu dinheiro e seu tempo. Imperdível o define.


Excelente: Classificação 5 de 5
Argo (2012 – 120 min)
Drama, Suspense

Dirigido por Ben Affleck com roteiro de Chris Terrio e Joshuah Bearman. Estrelando: Ben Affleck, Alan Arkin, John Goodman, Bryan Cranston, Tate Donovan, Taylor Schilling, Nelson Franklin, Kerry Bishé, Kyle Chandler, Rory Cochrane, Christopher Denham, Clea DuVall, Victor Garber, Zeljko Ivanek e Richard Kind.

Related Posts with Thumbnails