Nome: The Cabin in the Woods

Direção: Drew Goddard

Elenco: Kristen Connolly, Chris Hemsworth, Anna Hutchison, Fran Kranz, Jesse Williams

Sinopse: Cinco amigos viajam para uma cabana isolada na floresta, onde eles vão encontrar seu pior pesadelo. Juntos, eles precisam descobrir a verdade por trás da cabana na floresta.

 

 

Eu diria que fui assistir The Cabin in the Woods totalmente enganada. Já tinha visto o trailer faz um bom tempo e coloquei na minha lista de filmes que preciso assistir. Imaginei que seria um filme de terror com um grupo de adolescentes no meio da floresta (nhé) mas com um toque de adrenalina extra. Estava redondamente enganada. The Cabin vai além dessa expectativa e se revelou um filme muito além daquilo que eu imaginava e vai entrar facilmente na lista dos melhores de 2012.

The Cabin segue com os maiores clichês dos filmes de terror: Cabana isolada no meio da floresta, posto de gasolina com frentista bizarro, a virgem, o atleta, a puta, o drogado e o príncipe. Você que assiste filmes de terror com frequência fareja o perigo que vem pela frente… ou ao menos acha que sim. O diferencial de Cabin é esse. Você pensa que sabe mas na verdade não sabe de nada.

Mesmo com personagens tão caricatos você se importa com o destino de cada um deles. Você torce para que eles escapem. Cabin traz a tona um mix de vários filmes de terror e também uma ótima homenagem a The Evil Dead. Ele é um ótimo exemplo de filme que não se leva a sério mas ao mesmo tempo nos mostra vários questionamentos interessantes principalmente a respeito da nossa sede por sangue. Qualquer coisa além disso que alguém conte pra você, fuja! Corra dos spoilers e aproveite tudo que esta ótima surpresa tem pra você.

Se você ainda não assistiu ao filme não leia a zona de Spoilers. Caso já tenha assistido, basta selecionar a área em branco abaixo:

ZONA DE SPOILERS

Como mencionei acima, The Cabin trouxe muito do que considero clichê nos filmes de terror, a começar pelos personagens. Mas a questão é que eles não são verdadeiramente caricatos e se tornam amebas por conta da manipulação do “escritório” e acredito que esta seja um dos motivos de nos afeiçoarmos a eles. E o mais engraçado é que Marty, que está constantemente drogado, é o mais sensato na hora de tomar decisões. 

A atmosfera da cabana é uma clara homenagem a The Evil Dead e quando os jovens resolvem conferir o que tem no porão, começamos a entender a real dinâmica da história. Nesse momento vejo como uma sátira ao gênero terror onde cada objeto amaldiçoado vai liberar um monstro específico. E cá pra nós, essa história de cada um escolher a maneira que vai morrer – de acordo com seu grau de curiosidade –  é fantástica. Uma pena que Dana passe a frente dos outros e leia o livro/diário pra todos. Adoraria ver os monstros correndo pela cabana.

E por falar em monstros, adorei a seleção. Podemos ver representantes de vários filmes presos aquelas celas de vidro: uma homenagem a Pennywise, Hellreiser, Anaconda, Os estranhos, zumbis e muitos outros personagens que trouxeram medo a todos aqueles que gostam do universo de terror/gore. Muito interessante vê-los reunidos em um único filme! Melhor ainda é o contexto no qual eles são liberados… 

Outro detalhe que não pode passar despercebido é o “Escritório”. A alfinetada ao mundo onde podemos tratar os outros como marionetes,  mexendo com a vida dos outros de maneira sádica, a manipulação em nome de um bem maior, fazer da tragédia alheia o entretenimento, tornar tudo um grande big brother. Tudo em nome do entretenimento. E o final? Digamos que o altruísmo foi deixado de lado e o famoso “fuck all” tão esquecido foi deliciosamente retomado. 

The Cabin vale a pena ser assistido. Dispa-se das expectativas de um terror genuíno e entre na aventura.

Related Posts with Thumbnails