Shame

Muitos quando ouvem falar que alguém é viciado(a) em sexo logo começam a soltar uma risadinha e jamais pensam nisto como algo complicado e que vá trazer sérios prejuízos para quem possui este distúrbio. Filmado em apenas 25 dias, “Shame” traz uma história pouco convencional e que conta com uma atuação corajosa e muito impressionante de Michael Fassbender, deixando claro no final das contas que a grande vergonha (ao qual o título original se refere) é esta sua atuação ter sido ignorado pelo Oscar deste ano de 2012.

Na trama conhecemos um sujeito chamado Brandon (Michael Fassbender, “Prometheus”) que tem, aparentemente, uma vida de sucesso e muito confortável. Um bom emprego, um belo apartamento e tudo o que as pessoas acham que traz felicidade plena para a vida de uma pessoa. Mas ele possui problemas sérios relacionados ao sexo e tudo se complica ainda mais quando a sua irmã Sissy (Carey Mulligan, “Drive”) aparece para ficar uns dias em sua casa, trazendo consigo seus próprios dramas pessoais.

Esta é a segunda parceria entre o diretor Steve McQueen – que neste filme assina ainda o roteiro em parceria com Abi Morgan – com o ator Michael Fassbender (“X-Men – Primeira Classe“), antes eles fizeram juntos  em 2008 “Hunger. E pra fechar com os dois ainda temos o acréscimo de mais um lindo trabalho da bela e talentosa Carey Mulligan. É dela inclusive uma das mais belas cenas que vi este ano, quando ela surge em um bar cantando (numa versão extra lenta mas muito bonita) a famosa canção “New York, New York de Frank Sinatra”. Mais interessante é saber que os dois atores que estavam ouvindo ela cantar nesta cena (James Dale e Fassbender) não sabiam que ela iria cantar (e nem que cantava tão lindamente), ou seja, a reação dois dois foi autêntica.

O filme é recheado de cenas tórridas de sexo e muita nudez, não chega a ser PORNÔ mas também não fica tão longe disso. Para os que possuem uma alma mais pura e frágil é bom tomar um pouco de cuidado. Os atos sexuais aqui apresentados deixam claro a dor e sofrimento que passa o protagonista, dá para ver em seu rosto que aquilo não está lhe trazendo um verdadeiro prazer, é apenas sofrimento. Quando rola sentimento as coisas não funcionam para ele. É triste, ao contrário do que alguns possam pensar.

É verdadeiramente uma produção um tanto quanto incomum, corajosa e que pode trazer estranheza para os menos preparados, mesmo assim, é definitivamente um filme que merece elogios tanto para o belo trabalho na direção de McQueen quanto na atuação da dupla Fassbender e Mulligan. “Shame” é a história de dois irmãos que clamam desesperadamente por ajuda mas não conseguem se expressar em palavras.


Shame (2011/2012 – 101 min)
Drama

Dirigido por Steve McQueen com roteiro de Abi Morgan e Steve McQueen. Estrelando: Michael Fassbender, Carey Mulligan, James Badge Dale, Nicole Beharie, Alex Manette e Robert Montano.

Related Posts with Thumbnails

Author: Marcio Melo

Analista de Sistemas, amante da sétima arte desde os tempos imemoriais e com muito sangue nerd fervilhando em veias hipertensas, fundou o Porra, Man! com o intuito de comentar sobre cinema de forma descomplicada e fácil de entender. Nas horas vagas torce prum time que nunca vence e mata monstros que não existem.

Share This Post On

14 Comments

  1. Man, o diretor Steve McQueen e o ator Michael Fassbender trabalharam juntos num filme chamado “Hunger”. No X-men só tem o Fassbender.

    Post a Reply
    • Foi na hora de copiar o link eu me passei hahahah até porque baixei Hunger justamente por conta disto. Valeu!

      Post a Reply
  2. Eu gostei do filme, mas pra mim o “problema” é que na trama o vício de sexo não parece causar muitos problemas na vida do cara. Só muda quando a irmã dele entra em cena.

    Post a Reply
    • Depende do seu ponto de vista, porque eu vi vários problemas pessoais que ele passa por conta disto. Com a sua colega de trabalho é apenas um deles, fora as questões de ser algo que ele não tira prazer, é só sofrimento.

      Eu captei assim.

      Post a Reply
  3. adorei esse filme,esse cara vai brilhar muito ainda,ótimo ator,tbm assistir mais ou menos uns 3 filmes com ele,e a carey mulligan tbm fez bonito.o que é legal nesse filme é que não é só putaria,conseguimos sentir o drama do personagem,e no fim do filme ainda nos dá um exemplo de vida por incrível que pareça.belo post,parabéns. ps:tá vendo só,é só colocar um post de um filme polêmico pra encher de gente comentando hahaha 🙂

    Post a Reply
    • O problema é que nem sempre vejo filmes polêmicos, fora que estou dando uma “limpa” em todos os filmes que tenho acumulado pra escrever hehehe.

      E seu comentário eu concordo, acho que vimos realmente o mesmo filme e tivemos as mesmas impressões!

      []´s

      Post a Reply
  4. Quero mto assistir, agora tem no Netflix, ai já tá fácil! rs

    Post a Reply
  5. Não achei esse filme tão bom. Fassbender realmente está excelente, mas achei o roteiro fraco. A história tem apelo interessante, mas o desenrolar é razoável. Não consegui me envolver tanto com esse filme, infelizmente.

    Post a Reply
  6. Filmaço. Para mim, entre os 10 do ano. Outra cena interessante é quando ele se olha no espelho quando está transando com uma prostituta e faz uma expressão de desespero, quando teoricamente deveria estar sentindo prazer. Além disso, ele tinha uma certa preocupação de estar com a irmã no mesmo apto porque tinha medo de pegar ela.
    O Hunger também é excelente. Bem pesado. Trata da prisão de diversos líderes do IRA. Presta atenção numa cena de uns 10 minutos sem cortes. Tava assistindo ao filme e comecei a perceber que aquele diálogo não acabava. Li que acertaram de primeira.
    Outro filme excelente com o Fassenbender é “Um Método Perigoso”, do Cronemberg.

    Post a Reply
    • Sim Krueger, esta cena do espelho é uma das que melhor define o personagem.

      Hunger estou para assistir e agora, pelo visto, terei que correr atrás de “Um Método Perigoso”. Na época que passou eu acabei não me interessando pelo filme.

      []´s

      Post a Reply
  7. esse titulo me lembrou de uma musica de uma banda de Rock…A Shame da banda Pillar…muito boa por sinal…

    Post a Reply

Trackbacks/Pingbacks

  1. Crítica: Aquário (Fish Tank) | Porra, man! - [...] rumo bastante incerto. Quando ela começa uma amizade com o novo namorado (Michael Fassbender, “Shame”) de sua mãe (Kierston…
  2. 12 Anos de Escravidão (12 Years a Slave) - Porra, man! - […] de trabalhos muito contundentes e poderesos, foi assim com “Hunger” e com “Shame” e neste seu terceiro trabalho não…
  3. Inside Llewyn Davis - Balada de Um Homem Comum | Porra, man! - […] para se proteger do frio. Pulando de casa em casa, entre antigos casos (Carey Mulligan, “Shame“) e conhecidos (alguns…

Submit a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.