O Caçador de Troll (Trolljegeren)

Dificilmente a turma que criou o projeto Bruxa de Blair lançado em 1999 poderia imaginar que algum dia o mundo chegaria a presenciar uma produção NORUEGUESA que seguisse os mesmos passos do “falso documentário (mockumentary)”. O cineasta André Øvredal (esse ‘O’ riscado é o máximo) reuniu um elenco de conhecidos (para eles é claro) atores do país e lançou no ano de 2010 “O Caçador de Troll”, que chegou a passar em alguns festivais de cinema pelo mundo (inclusive no do Rio em 2011) e foi razoavelmente bem recebido.

Acompanhamos aqui então um grupo de jovens que resolve investigar e filmar os passos de um misterioso e recluso caçador de ursos. Eles descobrem depois que o que ele (o caçador) faz é algo muito mais perigoso e grandioso. Caçar as figuras mitológicas dos Trolls é uma tarefa árdua e mortal, e eles vão aprender isto com Hans (Otto Jespersen), um caçador habilidoso e implacável.

Apesar de poder ser considerado uma comédia, o filme se leva realmente a sério do início ao fim, ou seja, esta é justamente a graça da coisa. Fora que é uma produção muito bem realizada tecnicamente, ainda mais se levarmos em consideração o pouco investimento que obteve. Os efeitos visuais utilizam-se de muitos recursos oriundos deste estilo de filmagem – as vezes com “pouca luz”, câmera na mão, a lente quebra e cai no chão, etc – e consegue trazer um “realismo” impressionante aos gigantes das florestas.

– “Ninguém aqui acredita em Deus ou Jesus, certo?” Pergunta o caçador aos jovens em determinado momento do filme, de forma concisa e MUITO séria. Isto porquê os Trolls conseguem farejar de muito longe o sangue de um cristão. É este o tipo de comédia que se encontram em “O Caçador de Troll”, algo mais satírico do que físico.

Não é lá uma obra imperdível ou genial, inclusive tem alguns momentos de uma monótona calmaria, mas trata-se de uma produção que pode ser considerada um bom filme apesar do estilo de filmagem já praticamente saturado e do humor mais contido que ele carrega consigo nas entrelinhas.

 


O Caçador de Troll (Trolljegeren, 2010 – 103 min)
Mockumentary

Um filme de André Øvredal com Otto Jespersen, Hans Morten Hansen, Tomas Alf Larsen, Johanna Mørch e Glenn Erland Tosterud.

Related Posts with Thumbnails

Author: Marcio Melo

Analista de Sistemas, amante da sétima arte desde os tempos imemoriais e com muito sangue nerd fervilhando em veias hipertensas, fundou o Porra, Man! com o intuito de comentar sobre cinema de forma descomplicada e fácil de entender. Nas horas vagas torce prum time que nunca vence e mata monstros que não existem.

Share This Post On

6 Comments

  1. bem trash,mas eu curto filmes trashs,vou dar uma chance a esse filme.nossa ,achou que sou first nessa postagem,vish hahaha

    Post a Reply
    • Você é first em algumas, sinal que está sempre antenada no blog hehehe

      Post a Reply
  2. Nossa, eu achei que tinha sido a única a assistir esse filme! 😀 E curti muito, aliás. Acho muito divertido o caçador tratar o seu trabalho com se fosse uma coisa super comum… A cena da ponte é o máximo!

    Post a Reply
    • Isso mesmo Paula, a graça do filme é justamente esta e a cena da ponte é muito boa realmente.

      Post a Reply
  3. Eu vi esse filme logo quando saiu e eu curti bastante na época, não lembro de dessa cena da ponte aí. Ele é bem simples, dá para perceber que o orçamento foi bem baixo mas não deixa a desejar em nenhum momento. O roteiro não é tão original assim já que os noruegueses tem o Troll como lenda. já ouviu falar na Trollstigen , rodovia na noruega em formato de escada para os trolls.

    Post a Reply

Submit a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.