Looper – Assassinos do Futuro

A regra da máquina de escolha de títulos nacionais para filmes é clara: Se tem viagem no tempo tem que ter “do futuro”, e foi assim que o simples “Looper” ganhou o subtítulo de “Assassinos do Futuro” e chegou aos cinemas brasileiros dividindo opiniões. Alguns apontam um roteiro cheio de furos e problemas, outros acreditam que se trata de uma produção com uma trama inteligente, uma reviravolta surpreendente (tendo em vista o que tinha sido mostrado no trailer) e com atuações bastante convincentes de um elenco bem recheado, e é neste segundo grupo que este que vos escreve se encontra.

Na trama somos apresentados a um “looper” chamado Joe (Joseph Gordon-Levitt, “Batman – O Cavaleiro das Trevas Ressurge”) que nos explica (em uma narração em off) como funciona o sua profissão: 30 anos no futuro (do filme) a viagem no tempo foi inventada, de lá organizações criminosas enviam para o ‘presente’ (2042) pessoas para serem assassinadas por eles. Trabalho simples já que eles já aparecem amarrados e com rostos cobertos. As coisas começam a complicar quando ele encontra sua versão 30 anos mais velha (Bruce Willis, “Os Mercenários 2”) que escapa de suas mãos.

Brincar com questões envolvendo viagens no tempo é sempre muito difícil, poucas produções conseguiram fazer isso tão bem e, talvez, este seja o ponto mais polêmico de “Looper”, ele levanta questões paradoxalmente complicadas. Imagine se encontrar com sua versão vinda do futuro até o seu tempo presente, parece maluquice né? E as coisas que “já aconteceram” x “as coisas que podem acontecer”, como fica tudo isso? Para os espectadores menos atentos, em determinada parte do filme as coisas podem ficar um pouco bagunçadas, mas o roteiro foi hábil em costurar cada um dos eventos e nos apresentar as ações e suas consequências no momento certo. Outro grande trunfo é a “reviravolta” que a trama nos traz em determinada parte que, obviamente, não vale a pena ser contada para quem ainda não assistiu ao filme, afinal é justamente a maior qualidade de “Looper”, é o que faz dele uma das produções mais surpreendentes deste ano de 2012.

O trabalho do elenco é incrível, a começar pelo transformado Joseph Gordon-Levitt que ganhou “contornos” no rosto para ficar mais parecido com Bruce Willis, e que não se resumiu apenas a semelhanças físicas, ele aprendeu também todos os ‘trejeitos’ de Bruce e colocou em seu personagem. É verdade que o senhor Willis atua em sua “zona de conforto”, mesmo assim convence. Temos ainda um Jeff Daniels (“Intrigas de Estado”) e Paul Dano (“Cowboys & Aliens”) com participações muito boas, mas sem dúvidas um dos grandes destaques é Emily Blunt (“Agentes do Destino”). Ela está simplesmente espetacular em seu papel.

Pode parecer um pouco lento e parado para os acelerados tempos atuais, mas o diretor e roteirista Rian Johnson ensina com este seu trabalho que momentos de calma e reflexão são necessários para se construir histórias mais inteligentes. Há quem enxergue diversos furos em “Looper” e, por isso, as opiniões em relação a ele tem sido bastante divergentes. É verdade que algumas questões ficam ‘abertas’ quando chegamos ao final, mas no lugar de furos ou problemas, eu fiquei foi com a trama viva e “girando” em minha memória.

Um filme difícil de ser indicado ou de ser resumido sem estragar as surpresas com spoilers, mas que vale todo o risco de assistí-lo nos cinemas. Você pode até não gostar, mas não poderá dizer que não foi pego de surpresa com a história apresentada.


Looper – Assassinos do Futuro (Looper, 2012 – 118 min)
Ficção Científica, Ação.

Um filme de Rian Johnson com Joseph Gordon-Levitt, Bruce Willis, Emily Blunt, Jeff Daniels, Paul Dano, Piper Perabo, Garret Dillahunt, Tracie Thoms, Anh Huu e Pierce Gagnon.

Related Posts with Thumbnails

Author: Marcio Melo

Analista de Sistemas, amante da sétima arte desde os tempos imemoriais e com muito sangue nerd fervilhando em veias hipertensas, fundou o Porra, Man! com o intuito de comentar sobre cinema de forma descomplicada e fácil de entender. Nas horas vagas torce prum time que nunca vence e mata monstros que não existem.

Share This Post On

21 Comments

  1. Eu nem reclamo mais desses títulos em português, cansei. heheheheh…
    Ainda mais que na verdade dentro do contexto do filme os loopers são assassinos do passado e não do futuro. hahahahahah…
    E só uma pequena correção, o filme se passa em 2044 e não em 2042. 🙂

    Post a Reply
  2. NOSSA MAN,RINDO MUITO AQUI COM O LANCE DO COMPADRE WASHINGTON HAHAHA.QUANTO AO FILME NEM PRECISA INDICAR,VEREI COM CERTEZA,E AINDA POR CIMA TEM O BRUCE ,O JOSEPH E A EMILY,IMPERDIVEL 🙂

    Post a Reply
  3. Só não podem fazer uma continuação… as perguntas pendentes fazem com que nós mesmos busquemos as respostas. Vamos torcer para acabar por ai. Muito bom filme. Márcio, viu que eu falei que o Willis sabe escolher as produções? hahahaha, o cara tem um faro.

    Post a Reply
    • Sim você tinha razão! Tomara mesmo que não inventem uma continuação.

      Post a Reply
  4. Assisti ontem em família. Saímos todos comentando sobre o filme e discutindo sobre o enredo. Por mais que possa existir ‘furos’ o filme de fato prende a nossa atenção e nos surpreende. Vale a pena assistir! Recomendadíssimo.

    Post a Reply
  5. Quero conferir esse aí esse fds, mas a mulher quer ver o busca implacável 2 … de repente vejo os dois

    Post a Reply
  6. Eu vou apontar um erro bem pequeno e desnecessário, mas um furo que eu vi foi que o bruce willis é canhoto e o Joseph Gordon-Levitt é destro. Não muda em nada o filme, porém ficou evidente demais isso pra mim.

    Post a Reply
    • Atento em André Farzat? Nem reparei nisto, confesso hehehehe. Me deixei levar pela história e segui adiante.

      []´s

      Post a Reply
      • Porra, essa nem eu reparei. E olha que posso listar fácil uns 10 furos nesse filme. E de fato Márcio: é um dos melhores do ano. Não como do gênero de scifi mas como filme no geral.

        Post a Reply
  7. O que eu não gostei é terem me vendido um filme totalmente futurista e do nada virar x-men. Mas a atuação de Levitt com os jeitinhos de Willis está demais, bem como os efeitos que mudaram o rosto dele.

    Post a Reply
    • Na verdade essa ‘virada’ na história foi o que mais gostei hehehehe

      Post a Reply
  8. Eu fui assistir imaginando que seria ruinzinho. Mas me surpreendi e gostei da reviravolta final. Vale a pena conferir. 😉

    Post a Reply
  9. como fã de sci-fi e viagem no tempo tenho ótimas expectativas…!
    ontem fui assistir mas a sessão estava lotada.. era uma sala pequena, sacanagem!

    talvez tenha que esperar pelo dvd

    Post a Reply
    • Tava conversando sobre essa questão com uns amigos ontem, como tem tanto filme para assistir. Quanto mais você assiste mais filme tem para assistir e, como pessoas humanas, infelizmente temos pouco tempo para fazer tudo o que gostamos.

      Normal deixar alguns para ver depois em casa, isso acontece comigo o tempo todo.

      Looper acho que vale a pena ser deixado para assistir qualquer dia.

      Abração!

      Post a Reply
  10. o filme é muito bom, eu gostei bastante, não muito mais gostei,só me encomodei com algumas coisas como o chefão dos loopers não gostei daquele ator..deixaram levitt bem parecido com o tio Bruce,só que o chefão do mal se fosse Cillian Murphye o menino mutante fosse
    Asa Butterfield seria bem melhor…me incomodei com o figurino daqueles caras que envia o alvo para o passado, nada a ver aqueles chapéus gigantes da “colheita maldita” já que estavam no futuro, eu esperava umas roupas bem atuais e estilosas, um terno e gravata até que servia melhor do aquelas roupas alí…mais tirando isso a história do filme é genial..

    Post a Reply
    • Entendo Thiago, bom, eu particularmente gostei do gurizinho, ele é bem ‘endiabrado’ hehehe

      Post a Reply
      • esquece o menino, até que ele tava endiabrado mesmo, mais o chefão num me convenceu aquele ator não…

        Post a Reply

Trackbacks/Pingbacks

  1. Crítica: Moonrise Kingdom | Porra, man! - [...] e nos papéis coadjuvantes um elenco de peso que traz nomes importantes como Bruce Willis (“Looper – Assassinos do…
  2. Star Wars Episódio VIII: Rian Johnson compartilha fotos do set - POCILGA - […] cara do ‘momento’ é sem dúvidas do diretor Rian Johnson (Looper), responsável por dar sequência ao excelente trabalho do…

Submit a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.