Filme: Lovely Molly – 2011

Direção: Eduardo Sánchez

Elenco: Gretchen Lodge, Johnny Lewis, Katie Foster, Alexandra Holden

Sinopse:  Molly e Tim se casam em uma linda cerimônia repleta de amigos. Eles se mudam para a enorme casa um pouco afastada onde Molly vivia com os pais já falecidos e sua irmã mais velha durante a infância. Com as constantes viagem a trabalho  do marido, ela começa a ficar atormentada com as possíveis visões de um ser que tenta possuí-la.

 

Lovely Molly foi lançado em 2011 mas não me lembro nem mesmo de ter visto um trailer do filme. Eis que esta semana, estava em busca de alguns filmes para assistir e também para deixá-los bem abastecidos já que andei meio ausente daqui.  O trailer deste filme é muito instigante e na mesma hora ele foi para o meu topo da lista.

As primeiras imagens que temos do filme é por meio de uma câmera de video caseira mas por favor, não se preocupem pois isso acontece em pouquissímas cenas do filme. Deste modo conhecemos o casal principal do filme (Tim e Molly) em sua cerimônia de casamento. Eles aparentam ser muito felizes e cercados de amigos bem animados. A ideia de morar na antiga casa da família de Molly não agrada a todos; além de ser enorme, também traz algumas lembranças ruins da infância dela. Sem muito rodeio, durante uma noite, o alarme da casa toca e o casal acorda assustado. Eles logo percebem que a porta dos fundos foi aberta e entram em pânico. Para não fugir do clichê de filmes de terror, Tim, resolve ser o machão e abre a porta do quarto, chegando ao topo da escada e pergunta: – Tem alguém aí embaixo? Ok Tim, você é muito inteligente.

Um policial chega até a residência e vasculha a casa em busca de um invasor. Encontra apenas uma porta aberta e sem indícios de arrombamento. Tim insiste que trancou a porta mas aceita a ideia de que esqueceu de fechá-la e faz algo que não compreendemos a princípio: diz ao policial que é caminhoneiro e que trabalha viajando. Por conta disso colocou um alarme em toda a casa e também na porta do quarto principal para a segurança da esposa. Eu achei um excesso de informação que não se justifica… mas ao longo do filme entendemos que nenhuma informação é gratuita e tudo é muito bem construído.

 Tim e Molly são um casal atípico em comparação a outros dos filmes de terror. Eles moram em uma enorme casa mas a vida está longe de ser fácil pra eles, principalmente na questão financeira. Tim é caminhoneiro e trabalha viajando, chegando a passar dias fora de casa.. até mesmo no aniversário da esposa. Molly é funcionária de uma empresa de serviços gerais e passa os dias tirando lixo, fazendo a limpeza de chão, janelas, lavando roupas e coisas do tipo. Esta é uma forma interessante de ver as coisas pois tira aquela impressão que coisas assim só podem acontecer com casais bem resolvidos e estáveis financeiramente.

O suspense começa quando Molly é “visitada” por uma entidade e começa a entrar em pânico pois precisa ficar sozinha na casa. Percebemos que algo muito ruim está acontecendo com ela. Em determinado momento, quando liga uma câmera de vídeo afim de gravar e mostrar a todos que realmente está sendo assombrada, somos apresentados a uma sequência muito eletrizante mesmo não enxergando a tal entidade. Nesse momento, somos apresentados a outro lado da história: Molly é uma dependente química que se recuperou e com todo esse problema agora volta a usar heroína. E então, até que ponto é loucura dela ou estamos diante de uma verdadeira força do mal?

 Uma ciranda complexa mas muito bem amarrada com um histórico de abuso sexual na infância, um segredo dividido entre as irmãs, a infidelidade, um pai sem caráter e cenas totalmente bizarras como uma filmagem de Molly no trabalho e uma tentativa de sedução de um pastor. É incrível como a mudança da personagem nos faz questionar o quanto ela está aterrorizada e ao mesmo tempo possuída. Quando ela passa a se tornar perigosa tudo fica ainda mais interessante mas agora vamos aos spoilers. Só leia caso tenha visto o filme para não estragar a surpresa; basta selecionar a parte em branco do texto abaixo

SPOILERS

Pra mim, Lovely Molly seria um filme muito bom se não fosse por um pequeno detalhe: O final. Honestamente? Não gostei. O filme mostra que de fato existe uma entidade maléfica que possui Molly! Eu realmente preferia que o final ficasse em aberto. Seria mesmo uma consequência do uso de drogas ou esquizofrenia? O processo de abuso sexual que ela sofreu na infância desencadeou isso ou realmente a casa estava assombrada? Essa dúvida fica a todo momento e até então, fiquei pensando se realmente vi portas abrindo ou aquilo que vi por meio da camera de Molly era algo que estávamos vendo através dos olhos dela? Porque ver mesmo, não vemos nada de concreto. Quando ela mata a criança poderia ser uma forma dela entregar alguém para o pai afim de que ele a deixasse em paz. Achei que esta certeza da entidade estragou um final maravilhoso. Fora isso, quando a irmã dela retorna a casa, lembrei de algo sem importância que Molly disse a ela em determinado momento do filme: Você vai rasgar Peter da barriga até a boca, como se faz com um maldito peixe. Ou seja, ela também sera possuída e vai matar o filho. Nada é dito gratuitamente no filme. 

Lovely Molly merece ser visto. É um suspense bem acima da média. Apesar das ressalvas que dei na zona de spoilers fiquei surpresa com o filme que é muito bem montado e com uma história muito interessante apesar de parecer batida.

Nick aprovou o filme

 

Related Posts with Thumbnails