Guerra é Guerra (This Means War)

O filme “Guerra É Guerra (This Means War)” é mais uma daquelas produções que apostam na mistura de gêneros (neste caso romance, comédia e ação) para tentar atrair/agradar um público mais abrangente. A ideia em si não é ruim, mas nada funciona nesta obra que não consegue ser nem romântica, nem engraçada e, pra completar o pacote, as cenas de ação não convencem nem um pouco.

Na trama acompanhamos dois amigos inseparáveis (Chris Pine e Tom Hardy) que acabam se interessando pela mesma garota (Reese Witherspoon). Ambos são espiões secretos e acabam entrando em guerra para conquistar a garota, utilizando-se de todos os artifícios secretos e de espionagem que possuem em mãos.

Como não poderia deixar a de ser a história central se baseia em um triângulo amoroso que é interpretado pelo trio de atores Resse Witherspoon(“Surpresas do Amor”), Chris Pine (“Star Trek”) e Tom Hardy (“A Origem”). Apesar de serem bem simpáticos e possuírem carisma, nem eles nem o elenco de apoio conseguem fazer o filme funcionar.

Em trabalhos deste tipo dificilmente é esperado um roteiro mais complexo e engenhoso, geralmente temos histórias mais simples que servem apenas para sustentar algumas cenas e situações propostas, mas “Guerra é Guerra” possui um enredo tão deprimente e absurdo que acaba atrapalhando e muito o desenvolvimento da trama, e olhe que no time estava o roteirista Simon Kinberg, responsável por outra produção semelhante a esta, “Sr. e Sra. Smith”, mas parece que ele gastou toda a sua inteligência lá não tendo sobrado nada para aqui.

Existem até um ou dois momentos que podem te levar aos risos e uma cena em “tomada única” da personagem interpretada por Reese Witherspoon – que nunca consigo definir se é bonita ou não – dançando “sozinha” em casa enquanto os dois espiões estão colocando escutas e câmeras escondidas, bem interessante e inspirada, mas é muito pouco para salvar tudo do fracasso.

Não chega a ser um filme difícil de assistir, mas ao tentar enumerar as coisas boas de “Guerra é Guerra” não consegui chegar a um quociente que fosse o mínimo suficiente para taxar esta produção como, pelo menos, regular. Até mesmo a mania de encerrar histórias no modo “toda panela tem sua tampa” é irritante aqui, afinal, é preciso que você seja convencido e torça por este tipo de final, e o que acorre neste longa dirigido por McG (“As Panteras”, “Exterminador do Futuro 4 – A Salvação”) está bem longe disso.

No reino animal ixeste muita putariaGuerra é Guerra” seria um pato, já que faz de tudo: nada, voa e anda, mas nada disso bem feito. Se não é engraçado, se o romance não convence e as cenas de ação são medíocres e absurdas, o que sobra de bom?


Guerra É Guerra (This Means War, 2012 – 97 min)
Romance, Ação.

Dirigido por McG com roteiro de Simon Kinberg, Timothy Dowling e Marcus Gautesen. Estrelando: Reese Witherspoon, Chris Pine, Tom Hardy, Til Schweiger, Chelsea Handler, Abigail Spencer, John Paul Ruttan e Angela Bassett.

Related Posts with Thumbnails

Author: Marcio Melo

Analista de Sistemas, amante da sétima arte desde os tempos imemoriais e com muito sangue nerd fervilhando em veias hipertensas, fundou o Porra, Man! com o intuito de comentar sobre cinema de forma descomplicada e fácil de entender. Nas horas vagas torce prum time que nunca vence e mata monstros que não existem.

Share This Post On

10 Comments

  1. Vish… Reese também gosta de se aventurar nessas bombas, hein?
    Deus é mais.

    Post a Reply
  2. sempre quando tu posta criticas de um filme desse me pergunto: vish, ele assistiu mesmo isso??? rsrs

    Post a Reply
    • Marlon, nem sempre é minha vez de escolher o filme, mas, apesar dele ser ruim não é daqueles difíceis de se assistir, existe coisa pior.

      🙂

      Post a Reply
  3. O que mais me incomodou foi o vilão que não serve pra nada e os caras usando os “recursos” da “empresa” no queixo fingindo que estavam investigando o vilão. Muito tosco!

    Post a Reply
  4. só pelo fato de dois Homens quase se matarem por causa de uma unica mulher…já era um motivo pra eu não querer ver o filme…fico feliz em saber que ele é ruim de verdade…

    Post a Reply
  5. \o/ Finalmente alguém que concorda comigo, hehehe. Teve tanta gente elogiando que achei que era um E.T. vendo um filme errado.

    Post a Reply
    • Sério Amanda? Muita gente elogiando este filme, caramba, agora só de pensar fiquei com pena de ti por esses tempos de sofrimento hehehe.

      Post a Reply
  6. não gostei muito do filme tambem
    o que deixa o filme assistivel é o carisma dos personagens (principalmente o tom hardy).

    desde o começo da de saber por onde a historia vai andar, afinal de contas o britanico tem uma ex-mulher e filho, o final é obvio e clichê. sem comentar a ultima cena (eles pulando de paraquedas) que porcaria de amigo ein!? era pra ser engraçado, mas foi tão ridiculo que só tornou o filme pior e transformou o mocinho num grande panaca

    Post a Reply
  7. Para misturar tantos gêneros assim tem que ter qualidade, pelo jeito faltou aqui… o tal do McG é meio fraquinho mesmo, de qq forma tenho curiosidade em assistir We Are Marshall dele, que é sobre futebol americano.

    Três bons atores desperdiçados, pelo jeito!

    Btw, acho a moça bonita sim…

    Post a Reply
  8. Me recuso a ver o Tom Hardy (mais conhecido como Bane, rsrsrs) num filminho água com açucar depois de ter visto sua atuação em Batman!!! No way…

    Post a Reply

Submit a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.