Sombras da Noite (Dark Shadows)

A parceria entre Tim Burton e Johnny Depp já se tornou uma espécie de ‘pacto de sangue’ nos cinemas e qualquer trabalho envolvendo os dois é sempre muito aguardado. Baseado numa série televisiva exibida entre as décadas de 60 e 70, “Sombras da Noite (Dark Shadows)” é o mais recente resultado do trabalho em conjunto destes dois pirados. Mesmo sem conseguir ser tão bom quanto suas outras parcerias – Edward Mãos de Tesoura, por exemplo, foi um dos filmes que mudaram a minha forma de ver o cinema – vale por algumas boas cenas e algumas boas risadas que poderiam ser melhor aproveitadas caso o roteiro não se perdesse em tantas subtramas e personagens desinteressantes.

A história acompanha então a vida de Barnabás Collins (Johnny Depp, “Alice no País das Maravilhas”), herdeiro de uma rica família britânica que chegou aos Estados Unidos na época da expansão colonial. Depois de se envolver com uma mulher chamada Angelique (Eva Green, “A Bússola de Ouro”) e não ter se interessado em manter algo mais sério, uma vez que é apaixonado por outra mulher, ele então enfrenta a fúria de seu desafeto amoroso. Angelique é uma bruxa que além de enfeitiçar o amor de sua vida e fazê-la se matar, amaldiçoa Barnabás o transformando em um vampiro e o trancafiando em um caixão.

Após quase 200 anos ele é acidentalmente libertado e vai de encontro aos seus familiares vivos ao mesmo tempo em que inicia uma vingança contra Angelique. Sem conseguir de imediato se situar na época em que acorda, o ano de 1972, Barnabás sofre com o choque entre as gerações que geram situações engraçadíssimas e que acabam se tornando os melhores momentos do filme.

Apesar de seus bons momentos, “Sombras da Noite” se perde em meio a tantos arcos e historinhas paralelas altamente manjadas, caricatas e desinteressantes. Adicione aí nesse bolo personagens sem nenhuma grande relevância para a história. Talvez fossem marcantes na série – que não assisti e nem tenho como opinar melhor ou saber quais os personagens foram transpostos de lá para cá, se é que existiu algum além do principal – , mas aqui realmente de quase nada valem. Desde a adolescente “piriguete” (Chloe Moretz, “Kick Ass”) (ou melhor, como diria Barnabás “mulher de vida fácil”) até o par romântico sem um pingo sequer de carisma e sua chata e aborrecida história sobre o seu ‘misterioso’ passado, só o que se salva aqui é mesmo o vampiro “na pegada Michael Jackson” interpretado por Depp e a vilã que conta com uma boa atuação da bela Eva Green.

Este é o oitavo filme que Tim Burton faz com Johnny Depp, o sétimo com Helena Bonham Carter (sua esposa), o quinto com Christopher Lee e o segundo com Michelle Pfeifer. É uma das obras menos inspiradas deste cultuado cineasta, ainda assim, vale pelas boas risadas e pelo entretenimento proporcionado. Ruim não é, só prometia ser bem melhor.


Sombras da Noite (Dark Shadows, 2012 – 113 min)
Comédia

Dirigido por Tim Burton com roteiro de John August e Seth Grahame-Smith. Estrelando: Johnny Depp, Eva Green, Michelle Pfeiffer, Helena Bonham Carter, Bella Heathcote, Chloë Grace Moretz, Gulliver McGrath, Jackie Earle Haley, Jonny Lee Miller, Christopher Lee e Alice Cooper.

Related Posts with Thumbnails

Author: Marcio Melo

Analista de Sistemas, amante da sétima arte desde os tempos imemoriais e com muito sangue nerd fervilhando em veias hipertensas, fundou o Porra, Man! com o intuito de comentar sobre cinema de forma descomplicada e fácil de entender. Nas horas vagas torce prum time que nunca vence e mata monstros que não existem.

Share This Post On

12 Comments

  1. Não poderia concordar mais com sua análise Márcio. Resta saber se a fonte de onde bebericou foi realmente respeitada, pelo que percebi creio que sim.

    Post a Reply
  2. Sei lá, man…
    Pra mim, a parceria de Depp com Burton já deu o que tinha
    que dar. Depois de “Alice” fiquei com trauma dos 2. =X
    Vou esperar pra ver esse em DVD.

    Post a Reply
    • Por pior que seja algum filme dos dois, eu sempre estou lá para assistir e, no final das contas, ainda é melhor que muita coisa que surge nos cinemas.

      Os últimos foram fracos realmente, mas não chegam a “ofender” hehehe

      Post a Reply
  3. eu sou um grande fã do Tim e do Depp com certeza verei esse filme..e eu assistir a todos os filme do Tim..e nunca teve um que me decepcionou..até “planeta dos Macacos” que disseram que ele cagou..eu amei aquele filme e pra mim até hoje é o melhor planeta que eu já vim..até hj eu tenho medo daqueles macacos..sem duvidas os mais Assustadores..enfim Tim Burton é o Cara!!

    Post a Reply
    • Não chego a achar que o melhor Planeta dos Macacos é o de Tim Burton, mas gosto sim daquele filme (tenho até em DVD aqui em casa).

      Post a Reply
  4. Filminho legal, levemente divertido, como disse Márcio: “melhor que muita coisa que surge nos cinemas”.

    Post a Reply
  5. É isso, é um filme legal, melhor que Alice, sem dúvidas, e com uma técnica incrível, mas o roteiro tem problemas mesmo, principalmente a questão das tramas paralelas que você citou.

    Post a Reply
  6. Eu gostei muito dos personagens, mas o roteiro deixa um pouco a desejar. Mas como sou fã achei bem legal. hehehehe

    Post a Reply
  7. Achei bonzinho. Dou um desconto para o Depp. Bem ou mal o filme é caricato e me arrancou algumas boas risadas.

    Post a Reply
  8. Vou esperar sair na tela do caolho para conferir. Mesmo seu texto depreciando me empolguei.

    Post a Reply
  9. eu num sei pq não consigo “não gostar” dos filme do Burton…esse eu gostei muito..não é o melhor dele, mais é um bom filme…

    Post a Reply

Trackbacks/Pingbacks

  1. Transcendence - A Revolução - Porra, man! - […] trama vamos conhecer um cientista especializado em inteligência artificial (Johnny Depp, “Sombras da Noite”) que, depois de ser alvejado…

Submit a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.