Prometheus

Quem somos? De onde viemos? Qual afinal é a verdadeira teoria de nossa criação? Perguntas que até hoje só apenas um número limitado de pessoas sabe a resposta (42) são a principal base da trama de “Prometheus”, que chegou aos cinemas depois de muito hype gerado em torno desta produção de Ridley Scott. Para todos aqueles que esperam uma ‘prequência/prequela’ (prequel, obra que traz os eventos que precederam a história de algum filme ou franquia) a decepção pode estar te esperado a milhares de anos luz daqui, mas quem sabe que se trata, na verdade, de uma obra original tem tudo para sair do cinema satisfeito, por mais que existam alguns furos e problemas.

Toda esta ‘confusão’ se deu porque originalmente “Prometheus” foi anunciado mesmo como uma prequela da grande franquia Alien. Depois Ridley Scott decidiu que seria na verdade um filme com vida própria que deveria ser encarado como uma obra original, ainda que inserido em todo universo de “Alien”, e que poderia ser visto também como uma espécie de homenagem ao seu outro grande sucesso do cinema (fonte: IMDb).

Na trama acompanhamos uma equipe de exploradores que após uma descoberta na Terra encontram uma pista para a origem da humanidade, e ela aponta para além do nosso planeta. A bordo de uma nave espacial chamada “Prometheus”, uma tripulação de cientistas viaja através do universo para investigar formas de vida alienígenas. Uma vez lá, em meio a algumas descobertas, eles precisam lutar por suas (nossas) vidas.

O diretor Ridley Scott se mostrou muito competente tanto na escolha do elenco quanto na própria ambientação no tal universo “Alien”. O filme consegue passear por diversos gêneros de maneira bastante interessante, é uma história de ficção científica com momentos de muita tensão (que são bem construídos), momentos de ação, momentos de suspense e horror, sim, horror define algumas cenas grotescas (no bom sentido, se é que existe um) que são apresentadas, sem pressa, em “Prometheus”. Geralmente vemos a câmera capturando imagens lá de cima, e os personagens andando diminutos em um vasto planeta. Até mesmo as cenas nas ‘cavernas’, por mais claustrofóbicas e escuras que sejam, apequenam os humanos perante a muita coisa que eles encontram.

A forma como a protagonista, a cientista Elizabeth Shaw (Noomi Rapace, “Sherlock Holmes 2”), é construída na história é muito boa. Em meio a tantos personagens logo conseguimos visualizar os que serão descartáveis, mas a protagonista surge ‘tímida’ e vai numa crescente incrível (algo semelhante ao que aconteceu com Signoey Weaver). É dela a melhor cena do filme, e arrisco a dizer uma das melhores cenas deste ano (até esta data), que envolve ela numa maca futurista de cirurgia (sem maiores spoilers). Outro personagem/ator que consegue destaque aqui é justamente um androide interpretado por Michael Fassbender (“X-Men – Primeira Classe”) que possui motivações questionáveis para um não humano. O restante do elenco entrega atuações apenas satisfatórias, até mesmo Charlize Theron (“Branca de Neve e o Caçador“) não se sobressai muito aqui como em outros trabalhos seus, mais pelo personagem que ela possui do que por falta de talento.

A trama deixa o espectador com mais perguntas do que respostas, e para piorar ainda mais um pouco neste sentido, existem alguns furos e situações nada coerentes. De forma incosequente pode-se atribuir estas falhas a um dos roteiristas, Damon Lindelof, que é um dos responsáveis pela série Lost. Existem ainda situações um tanto quanto incoerentes, dentre elas um biólogo fugindo com medo/receio de uma das maiores descobertas da humanidade para, logo mais a frente, dar uma de imbecil perante outra.

Para quem for esperando um novo “Alien” ou com expectativas muito altas, assistir “Prometheus” pode ser um exercício de incrível frustração. No geral, apesar de seus problemas e inconsistências no roteiro, trata-se de mais uma boa obra de ficção científica que, mesmo não sendo aquilo que todos esperavam, vale o seu ingresso e proporciona bons momentos de suspense, ação e as muitas perguntas deixadas no ar vão servir para as sequências que já se anunciam, pelo menos isso é o que se espera.

PS: Se pudesse dividir um controle no meio, adicionaria ele a classificação. Digamos que de 0 a 10 dou uma nota 7.
 
PS2: Porque alguns cineastas tem adoração por objetos fálicos? E objetos fálicos entrando na boca de forma assustadora? Que mundo é esse?
 

Prometheus (2012 – 124 min)
Ficção científica, Suspense, Horror

Dirigido por Ridley Scott com roteiro de Jon Spaihts e Damon Lindelof. Estrelando: Noomi Rapace, Michael Fassbender, Charlize Theron, Idris Elba, Guy Pearce, Logan Marshall-Green, Sean Harris, Rafe Spall, Kate Dickie, Benedict Wong, Emun Elliott e Patrick Wilson.

Related Posts with Thumbnails

Author: Marcio Melo

Analista de Sistemas, amante da sétima arte desde os tempos imemoriais e com muito sangue nerd fervilhando em veias hipertensas, fundou o Porra, Man! com o intuito de comentar sobre cinema de forma descomplicada e fácil de entender. Nas horas vagas torce prum time que nunca vence e mata monstros que não existem.

Share This Post On

12 Comments

  1. Spoiler
    eu gostei muito do filme, daria 4 controles. não vejo problemas na falta de respostas, já que a personagem também fica sem. acho que o filme foi vendido errado, dizendo que seria algo “filosofico” da busca pela origem da vida, quando na verdade é a origem do alien. heheheheheh

    Post a Reply
    • Por pouco não dei 4 controles, como citei no final do texto. Mas a classificação é só um indicativo, o que vale no final é o texto.

      Post a Reply
  2. O filme tem um ótimo clima de suspense e explora bem os ambientes e os personagens, verdade, por isso, não é mesmo um filme ruim, mas acho que o roteiro peca muito, fica uma sensação de que poderia ser melhor desenvolvido, explorar mais a própria mitologia criada como as questões do universo e os engenheiros. Mas, no geral, não é mesmo uma decepção.

    Agora, quanto a Alien, por mais que seja um filme independente dentro do universo da série, acho que tem uma ligação bem clara no final, que é o ponto de partida do início do filme de 1979

    Post a Reply
  3. É bem isso, um ótimo filme mesmo com falhas, mas não uma obra-prima…

    Eu não estava conseguindo entender pq a Noomi Rapace foi tão elogiada por sua atuação… era uma personagem tímida, sem graça e a atriz parecia meio deslocada ali… até chegar essa cena que você citou. A intensidade da moça é absurda e acho que vai ter bastante futuro em hollywood. Outro ator que merece algum destaque é o Idris Elba, conhecido dos fãs de The Wire. Ele tem bons momentos de humor e serve meio que como nossa conexão com aquele mundo. E de fato, faltou uma personagem decente para a Charlize Theron.

    Quero ver novamente em dvd um dia.

    Post a Reply
    • Também fiquei com vontade de rever o filme e, principalmente, de seguir na história. Espero pelas continuações.

      Post a Reply
  4. Ai meu Deus… 3 controles?
    Pelo menos vou assistir com menos expectativa.

    Post a Reply
    • Por muito pouco não dei 4 controles, mas vá com baixas expectativas que provavelmente você vai gostar. Vale sim o ingresso!

      Post a Reply
    • Acho que essa deva ser a lei para todos os filmes, infelizmente tem alguns que a gente não consegue mesmo segurar a empolgação hehehe

      Post a Reply
  5. O filme é muito bonito e os efeitos são excelentes, as atuações da Naomi e do Fassbinder levam o filme nas costas, principalmente o último. Infelizmente a história não passa de um remake do Alien original levemente modificado com um roteiro fraco e batido, cheio de furos que chamam o espectador de idiota e pretensos questionamentos filosóficos que não vão muito além de citações e frases de efeito – muito provavelmente culpa dos roteiristas de Lost que fizeram o roteiro como foi dito na crítica. O resultado final é um filme de FC apenas legalzinho, que ninguém espere um clássico inesquecível como os marqueteiros de plantão querem forçar o público a acreditar.

    Post a Reply
  6. adorei, Ótimo filme….eu bem que esperava muito mais do que prometia nos trailers e no virais….mais no final acabei vendo o quanto o filme era ótimo…não foi nada surpreendente mais disse o que queria dizer sobre a verdadeira origem dos Aliens…eu quase que passo mal numa cena com Noomi(quem Assitiu sabe qual foi)..aquela cena pra mim foi muito forte e chocante..daí pra frente eu não podia ver a Noomi que me agoniava todo….Ridley Scott pra mim é um dos Mestres da ficção Cientifica..mais pra mim o melhor filme dele ainda vai ser “Gladiador “…já estou ansioso pela continuação..espere que não demore muito…e o final do filme foi sensacional..

    Post a Reply
  7. Prometeu, mas não cumpriu! Hahaha Eu esperava mais, todavia, os efeitos especiais são bem legais, falo dessa parte “futurista” (já que o filme se passa num futuro mesmo), que eu aprecio bastante, esse lado criativo de como serão as coisas daqui há alguns anos.

    Post a Reply

Trackbacks/Pingbacks

  1. Lockout - Sequestro no Espaço | Porra, man! - [...] de um sujeito condenado injustamente por espionagem e conspiração interpretado por Guy Pearce (“Prometheus”) que recebe uma oferta para…
  2. Shame - A vergonha de um viciado em sexo | Porra, man! - [...] trama conhecemos um sujeito chamado Brandon (Michael Fassbender, “Prometheus”) que tem, aparentemente, uma vida de sucesso e muito confortável.…
  3. Crítica: Os Infratores (Lawless) | Porra, man! - [...] estopim se inicia com a chegada do agente enviado de Chicago Charlie Rakes (Guy Pearce, “Prometheus”) que já surge…
  4. Círculo de Fogo (Pacific Rim) - Porra, man! - […] séries televisivas. Charlie Hunnam (“Hooligans”), Rinko Kikuchi, Idris Elba (“Prometheus”) e os demais entregam atuações corretas. Do lado mais…
  5. Passion: Deu a louca em Brian de Palma - […] e dissimulada (Rachel McAdams, “Amor Pleno”) e a sua ‘protegida’ (Noomi Rapace, “Prometheus”). O que começa com um roubo…
  6. Alien: Covenant - Porra, man! - […] insistindo em personagens e situações burras para montar a sua trama, fez muita coisa que Prometheus não ‘cumprius‘ (desculpem,…

Submit a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.