Parece, mas não é, o famoso e antigo slogan de uma marca de produto anti-caspas pode servir para explicar aos mais desavisados – já que apenas as produções globais ganham destaque publicitário por aqui – do que se trata esse tal de “2 Coelhos”, pois, o longa metragem de estreia de Afonso Poyart parece filme gringo e traz suas inspirações de grandes produções hollywoodianas bem claras mas não é, é cinema nacional, de qualidade, e que insere um pouco de crítica social (referente a nós brasileiros corruptos e preguiçosos) em meio a toda explosiva diversão que o filme nos entrega do início ao fim, num roteiro muito bem construído e amarradinho.

Na trama conhecemos Edgar (Fernando Alves Pinto) que no alto dos seus 30 anos está em uma crise existencial, mas ele tem um plano para isso. A partir da narrativa em off de Edgar vamos conhecendo aos poucos, e quando ele acha necessário nos apresentar, cada um dos personagens que irão compor sua jornada como justiceiro moderno, passeando entre o poder e a corrupção.

Corre corre, pega pega

Criatividade não faltou ao publicitário Afonso Poyart que fez (dirigiu e escreveu) um filme “pequeno” parecer filme grande. Trazendo muita ação com tiroteios, explosões e um visual muito interessante – que traz uma forte linguagem de ‘videoclipe’ (trabalho que Poyart desempenhava antes deste seu debut) – “2 Coelhos” é uma produção deveras caprichada em toda a parte técnica (talvez faltou um pouco de grana pra fazer o carro pegar fogo direitinho mas isso é o de menos), inclusive na trilha sonora, afinal, um filme que começa ao som de “Será que é Disso que eu Necessito” do melhor (EM MINHA OPINIÃO) disco dos Titãs, o “Titanomaquia” de 1993, e ainda consegue inserir de forma muito legal em uma cena o “Ding Ding, sou foda” merece muito respeito.

Mas o grande trunfo está mesmo no roteiro que é muito bem escrito e segue aquela linha de história recortada e não linear cronologicamente que vai amarrando, aos poucos e por vezes com auxílios de alguns flashbacks, todas as suas pontas até no final tudo fazer sentido (algo que Guy Ritchie gosta muito de fazer em suas obras como “Jogos, Trapaças e 2 Canos Fumegantes”, por exemplo). Enquanto os fatos vão se desenrolando na tela, vamos conhecendo um a um todos os personagens e aí Poyart foi bem feliz em fazer com que todo mundo desempenhe um papel importante e plenamente justificável na trama (até mesmo aquele barbudinho meio Jack de “Lost”, meio Los Hermanos, que vive sofrido e recluso).

Momento Suker Punch

E se na parte técnica e no roteiro tudo é muito bem conduzido o elenco também dá um show à parte. Desde as carinhas mais conhecidas como Caco Ciocler que interpreta muito bem um personagem que fala pouco mas diz muito apenas com suas expressões, a sempre bela Alessandra Negrini que alterba muito bem entre os papéis de “femme fatale” e de mocinha indefesa e até mesmo o rapper Thaíde faz uma ponta interessante e divertida. O ator principal Fernando Alvez Pinto que interpreta Edgar consegue conduzir bem a história, seja em seus momentos de ‘ação’ seja quando ele vai narrando a trajetória de seu plano. Podemos destacar ainda Marat Descartes como o vilão Maicon, o Thogun como o “Bolinha” e por aí vai, no geral, todos estão muito bem em seus papéis.

Trazendo para a realidade nacional muito da cultura pop mundial, e aí não faltam odes a videogames (tem uma sequência com o game GTA), coisas nerds em geral e até espadas ninjas, “2 Coelhos” mostra a todos que com um pouco de criatividade e vontade dá pra fazer algo muito legal e que consiga trazer um entretenimento de muita qualidade com inteligência, item que tem faltado em nossos cinemas.

We have to go back!

Com uma parte técnica e visual muito bem trabalhada, um roteiro bem escrito e amarradinho capaz de prender o interesse do espectador do início ao fim (não gostei tanto do final ‘redentor’, mas tudo bem, é nada comparado a tudo que foi apresentado), atuações bastante convincentes e carismáticas, este é o tipo de filme que recomendo fortemente, ação e diversão em doses cavalares e sem precisar deixar seu cérebro guardado do lado de fora da sala. Porra, Man! Isso é raridade.

PS: Quem escrever em meio ao seu comentário algo do tipo “apesar de ser filme brasileiro” vai ter o meu total desprezo. Já superamos isso há tempos, por favor, vamos ser mais inteligentes nos comentários, este filme merece.


2 Coelhos (2011/2012 – 106 min)
Ação

Um filme de Afonso Poyart com Alessandra Negrini, Caco Ciocler, Fernando Alves Pinto, Marat Descartes, Neco Vila Lobos, Roberto Marchese, Norival Rizzo, Thogun, Thaíde, Yoram Blaschkauer, Robson Nunes e Aldine Muller.

Related Posts with Thumbnails