Não Sei Como Ela Consegue (I Don’t Know How She Does It)

Devido a uma conjunção de fatores como, por exemplo, a disposição geoespacial de Tritão (uma lua de Júpiter) perante o sol, fui ao cinema conferir “Não Sei Como Ela Consegue (I Don’t Know How She Does It)”, filme protagonizado por Sarah Jessica Parker e baseado no best-seller da escocesa Allison Pearson. Acredito que a ideia e vontade do diretor Douglas McGrath era a de trazer para as telonas uma obra que apresentasse e discutisse alguns questionamentos da “mulher moderna”, mas a única coisa que consegue realmente é amontoar clichês e situações nada interessantes durante 1 hora e meia de projeção.

Na trama conhecemos Kate (Sarah Jessica Parker, “Sex and the City”) que consegue lidar muito bem (daí o título que é, convenhamos, certeiro) com sua vida profissional movimentada e ainda cuidar de sua família, o marido (Greg Kinnear) e seus dois filhos. O problema é que ela é constantemente posta em cheque tanto na empresa, onde seus colegas tentam comprovar que vida profissional e familiar são destoantes, quanto em casa, onde sua família começa a sentir a sua falta assim que ela recebe uma proposta “irrecusável” em seu trabalho como analista financeira, que envolve viagens com um chefe “galã” (Pierce Brosnan, “Percy Jackson”).

Algumas boas sacadas são utilizadas no filme, como por exemplo em algumas cenas onde a protagonista fala diretamente com o espectador e as pessoas ao redor ainda se congelam até que ela discuta algum questionamento “existencial”. Em outras partes lembra (de longe) “O Diabo Veste Prada”. Na verdade, o filme tenta utilizar de artifícios que já fizeram (e ainda fazem) sucessos em outras produções cultuadas, mas a maioria, infelizmente, não é realizada de forma satisfatória.

A feinha da Sarah Jessica Parker ainda demonstra algum talento, mas é incrível como cada vez mais minha antipatia por ela aumenta, fruto obviamente de seus trabalhos na TV ou no cinema que nunca são de meu agrado. O outrora James Bond Pierce Brosnan se limita a ficar lançando seu olhar 43 (aquele assim meio de lado, já saindo, indo embora…) toda vez que surge em cena, e o marido da protagonista interpretado por Greg Kinnear é um boneco de neve, inerte e inanimado. Para os nerds talvez a presença da musa Olívia Munn que faz a amiga workholic (viciada em trabalho) seja umas das poucas coisas que se salvam em “Não Sei Como Ela Consegue”, mas não por sua personagem, que é caricata ao extremo.

Talvez a única coisa engraçada nesta obra é ver como o discurso que começa “moderno” vai caminhando para um desfecho um pouco mais conservador e totalmente previsível. Não chega a ser um filme ruim por ter algumas (poucas) boas sacadas, mas é daqueles trabalhos sem muitos atrativos.


Não Sei Como Ela Consegue (I Don’t Know How She Does It, 2011 – 89 min)
Romance, Comédia.

Dirigido por Douglas McGrath com roteiro de Aline Brosh McKenna adaptando livro de Allison Pearson, Estrelando: Sarah Jessica Parker, Pierce Brosnan, Kelsey Grammer, Christina Hendricks, Seth Meyers, Olivia Munn, Jane Curtin, Greg Kinnear e Busy Philipps.

Related Posts with Thumbnails

Author: Marcio Melo

Analista de Sistemas, amante da sétima arte desde os tempos imemoriais e com muito sangue nerd fervilhando em veias hipertensas, fundou o Porra, Man! com o intuito de comentar sobre cinema de forma descomplicada e fácil de entender. Nas horas vagas torce prum time que nunca vence e mata monstros que não existem.

Share This Post On

11 Comments

  1. A única coisa que me chamou a atenção nesse filme foi a presença de Seth Meyers do Saturday Night Live.

    Post a Reply
  2. Cara de bomba, hein!
    Não consigo gostar da Sarah Jessica Parker =(

    Post a Reply
    • Eu também não meu caro, mas nunca poderão dizer que eu não dei chances. Vi alguns trabalhos dela e realmente não dá.

      Post a Reply
  3. Vixe, passo esse daí. Na verdade quando vejo essa Sarah como protagonista, eu instantâneamente descarto.

    PS: Marcio, queria me desculpar por ter dito no post Cowboys & Aliens que o Harrison Ford era um péssimo ator. Na verdade eu confundi ele (eu sei, mereço morrer nas fogueiras da inquisição) com o Dennis Quad (esse sim é uma bosta, mas isso é meu ponto de vista).

    No mais, forte abraço.

    Bazinga!!!

    Post a Reply
    • Relaxe meu velho, todo mundo se confunde e Dennis Quaid realmente não é muito bom hehehe.

      Post a Reply
  4. Sem chance Márcio. Tô até estranhando o fato de você ter conferido esse nas telonas …

    Post a Reply
    • Não estranhe, eventos fortuitos tal qual o bater de asas de uma borboleta no oriente me fizeram ir ao cinema e ver este filme hehehe

      Post a Reply
        • Falando em 11-11-11 vi esse filme ontem (em casa) e já tenho mais um pro top 10 piores do ano. Depois comento no seu blog (não comento os posts de filmes que não vi, mas deixo marcado para quando assistir voltar e comentar).

          Post a Reply
          • Putz! Tosquérrimo! Muito ruim …

Trackbacks/Pingbacks

  1. O Amor é Tudo que Você Precisa (Den skaldede frisør) | Porra, man! - [...] na Itália e, momentos antes, acaba se esbarrando (sem saber) no pai do noivo (Pierce Brosnan, “Não Sei Como…

Submit a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.