Contágio – 2011

 

Filme: Contagion

Direção: Steven Soderbergh

Elenco: Matt Damon, Kate Winslet, Jude Law, Laurence Fishburne, GwynethPaltrow.

Sinopse: Um novo vírus letal surge no planeta matando rapidamente as pessoas. A epidemia se espalha por todo o mundo e a comunidade médica, aliado aos governos, trabalham contra o tempo para encontrar a cura.

 

Depois de um tempo comecei a entender o porquê tantos sites de cinema se voltaram contra Contágio. Desde as primeiras informações a respeito do filme já me planejava para assistí-lo mas após tantas críticas negativas, fui ao cinema quando ele já estava praticamente saindo de cartaz. Já esperava por uma bomba. Me enganei.

Muitos esperavam um filme de terror – eu estava entre estes – com um ar pós apocalíptico com a humanidade sendo destruída por alguma doença desconhecida e no final uma lição de moral mostrando que nós fomos os responsáveis por tudo aquilo chegar a este ponto. Outros queriam ver algo parecido com o filme Epidemia, correria médica, população sofrendo, o drama das pessoas que iam sendo retiradas de casa pelo exército…. Nada disso ocorreu. O que posso dizer é que Contágio, foi de longe, um dos filmes sobre catástofre – fim da humanidade,  mais realistas que assisti nos últimos tempos. Esse pode ter sido seu maior problema.

Em um país como os EUA onde as mortes suspeitas (entenda como doenças não diagnósticadas) são acompanhadas de perto pelo Centro de Controle de Doenças, o falecimento de Beth Emhoff não passa despercebido. Apesar de um primeiro momento não ser entendido como algo sério, após a autópsia, o pânico dos médicos começa a fazer sentido.

Quando algo assim é descoberto uma enorme rede é formada para descobrir tudo que nem podemos imaginar. Acredito que desvendar o que está por trás de uma corrida contra o tempo para a cura de uma doença não seja a mais agradável das jornadas. Não existe tempo para emoções, para heroismos, para respirar fundo. Os médicos precisam descobrir o mais rápido possível a cura e com ela todas as implicações disto, seja política, burocrática, financeira ou humana. Como será fabricada, quem terá a patente, como será a distribuição, quais os países terão acesso a ela, como serão escolhidos os primeiros a serem imunizados? São tantas perguntas que nós, que estamos na outra ponta, vendo pela TV as notícias que chegam até nós a respeito de H1N1, Sears, Ebola… não sabemos que estamos vendo apenas uma ponta do iceberg.

Em Contágio acompanhamos a história de Mitch que perde a esposa Beth – paciente nº 0 – e luta para manter a salvo a filha, Dr. Ellis funcionário do governo responsável por liderar a equipe multidisciplinar que vai em busca da cura, Dra. Erin  e  Dra. Leonora que trabalham junto a OMS (Organização Mundial de Saúde) e vão a campo tentar encontrar respostas de como inciou-se a contaminação e evitar que ela se espalhe ainda mais. Ian Sussman e Ally Hextall estão nos laboratórios trabalhando para entender a mutação do vírus e o blogueiro Alan Krumwiede que começa a criar uma teoria de conspiração em torno da epidemia.

Provavelmente a quantidade de atores em pontos chave assim como muitos rostos conhecidos, dificultaram o foco do filme mas isso de maneira alguma deve ser um desmerecimento. Contágio é um filme realista o suficiente para fazer você questionar o quanto somos vulneráveis e entendermos que caso algo assim aconteça, será muito difícil conter a epidemia. Já tivemos pequenas provas mas ainda nenhum teste definitivo. Espero que se este momento chegar, possamos contar com um preparo igual a do filme.

Related Posts with Thumbnails

Author: Dani Vidal

Dani Vidal (@danividal) é formada em Relações Públicas e autora do blog Feminina. Apesar de não dispensar um terror recheado de zumbis, chora copiosamente com um bom drama. Acho que nossa postura com a sétima arte é como se achar técnico de futebol. Ninguém é especialista mas todo mundo tem uma opinião e adora criticar a escalação.

Share This Post On

11 Comments

  1. Nossa, sua crítica realmente foi de contra a todos que já comentaram sobre este filme. Devido a boa quantidade de informações e a uma visão mais diferenciada das demais (sou do contra rs), irei conferir este. Abraço.

    Post a Reply
  2. Igual ao Mateus. Ontem tive de escolher entre contágio e 11-11-11. Como estava com uma curiosidade mórbida nesse filme fiquei com 11-11-11. Mas vou conferir esse Dani, gostei da sua visão da coisa também.

    Post a Reply
  3. A ÚNICA COISA BOA DO FILME SAO OS ATORES.GENTE ATÉ THE CRAIZIES É MELHOR QUE ISSO .OU MELHOR ATÉ A EPIDEMIA E MAIS LEGAL,PORRA GALERA ADORO VCS, 6 SAO DO KRALHO ,MAS NAO CONCORDO COM A CRÍTICA .DEVIAM TER APROVEITADO MELHOR OS MARAVILHOSOS ATORES QUE ESTRELARAM ESSE FILMINHO MEIA BOCA .NOTA 5

    Post a Reply
  4. 6 SAO FODA MAIS O FILME E UMA DROGA

    Post a Reply
  5. Vixi, pelo visto fui a única por aqui a gostar do filme, né? Mas enfim, gostei sim e gostei muito! Sua crítica foi a única que eu li, e como tão dizendo aí em cima que ela foi a única favorável, acho que vou é parar por aqui mesmo! Rss

    Acho que gostei porque não fui esperando ver um filme de terror. O que vi na tela era bem o que estava imaginando: um filme do naipe de “Ensaio Sobre A Cegueira”, onde o foco não é a doença em si, mas o que acontece com a sociedade numa situação-limite de crise. Não sei se é porque adoro filmes com esse tipo de abordagem, mas gostei bastante de “Contágio”!

    Ah! Sou sua fã, viu, Dani?!

    Post a Reply
  6. ótimo filme….apesar de ser mais de varios filmes de virus que existe..vale a pena ver..não é um filme que vc deva ver nos cinemas mais em casa no dvd e comendo alguma coisa..ele é paradinho mais não é chatinho..é um filme que te prende até o final..eu adorei..e é a primeira vez que eu vejo uma atuação de Gwyneth Paltrow que preta!!

    Post a Reply
  7. Gostei do filme também, só assisti agora Dani!

    Eu entendo as pessoas que não gostaram, como você comentou, o tom é muito realista e as pessoas vão ao cinema (grande parte delas) esperando ação, correria, a jornada do herói tem que estar presente, mas aqui não, é algo que julgo ser mesmo como funciona ‘no mundo real’ a busca por controlar uma epidemia.

    Talvez o fato de ter tantos atores de nome tenha levado algumas pessoas a se decepcionarem.

    Como eu li em algum local, é um filme sobre a instalação de um apocalipse.

    Post a Reply
  8. Eu gostei bastante do filme! Talvez porque eu estude essas coisas sobre virus, bacterias, fungos, etc.

    :]

    Post a Reply
  9. No começo me empolguei o bastante para saber o final, que seria um final maravilhoso, apesar do final ter sido uma bosta, eu gostei… O final foi simplesmente horrível, quando estava assistindo e filme acabou acho que fiquei uns 3 minutos olhando pra tela preta, e pensando “Essa merda já acabou? Não teve um fim” Enfim, apesar de tudo, sua crítica foi ótima.

    Post a Reply

Trackbacks/Pingbacks

  1. Compramos um Zoológico (We Bought a Zoo) | Porra, man! - [...] forma e, talvez, bastaria esta frase acima dita pelo personagem interpretado por Matt Damon (“Contágio”) para descrevê-lo, já que…
  2. Fim do mundo - Filmes sobre Epidemias - Porra, man! - [...]   Um filme bastante realista que mostra como seria se um vírus mortal, transmissível pelo ar, se espalhando por…
  3. Divergente (Divergent) - Porra, man! - […] e represente uma grande ameça para os vilões. Aliás, diga-se de passagem, Kate Winslet (“Contágio”) sempre que aparece rouba…

Submit a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.