A Complete History of My Sexual Failures

Há quem acredite que dinheiro move o mundo, mas eu sou da filosofia que o que move mesmo o mundo é a nossa eterna busca por nos relacionarmos sexualmente afetivamente com outra(s) pessoa(s), dinheiro apenas pode tornar as coisas menos complicadas. O britânico Chris Waitt, cansado de tantos insucessos com as mulheres, teve a brilhante (e porque não corajosa) ideia de ir atrás de suas ex-namoradas para saber o que havia de errado com ele afinal. E foi assim que nasceu o documentário “A Complete History of My Sexual Failures” que se tornou a sensação do Festival de Sundance no ano de 2008.

O documentário segue então com próprio Chris Waitt em busca de respostas sobre sua terrível vida sentimental e, de início, ele tenta contatar suas ex-namoradas. Sem sucesso, recorre então a ajuda de sua mãe e começa a conseguir algumas entrevistas e, a partir daí, começa a ouvir coisas não muito agradáveis a seu respeito – imbecil, idiota, com sérios problemas mentais, só para citar algumas ‘definições’ – tornando seu projeto mais do que uma obra cinematográfica, uma verdadeira terapia de autoconhecimento.

O início é um pouco monótono e não precisa de muito tempo para quem está assistindo descobrir o porquê dele ser um completo fracasso com as mulheres. Só de olhar a cara do sujeito já dá para perceber que se trata de um ser bastante desajustado socialmente, mesmo assim, suas atitudes (começando por sua mãe ter que resolver seu próprio projeto) não são as esperadas para um homem da sua idade, mas são essas imbecilidades inerentes a ele que dão um certo tom cômico ao documentário, é aquela coisa, rir da desgraça dos outros é um prato delicioso para muitos. Mas aí temos que aturar várias cenas com ele peladão, sadomasoquismo e outras tosqueiras que são sim, apesar do título, totalmente desnecessárias. Fica até parecendo uma “homenagem” ao JackAss em algumas partes.

Sem entrar na discussão do quanto deste documentário é falso e o quanto ele é real – a cena em que ele toma dezenas de comprimidos de Viagra até rende momentos inusitados, mas vamos falar sério agora, quem faria isso sem imaginar que algo poderia sair errado? – o maior problema aqui é que o propósito inicial da produção é totalmente perdido, e pior, o desfecho é basicamente uma comédia romântica. Uma coisa é você propor alguma hipótese ou pesquisa e no final das contas não chegar a resposta esperada, outra é você fugir totalmente do ‘assunto’.

A premissa era muito interessante e, em teoria, deveria não só divertir como também servir como aprendizado não só para ele mas também para todos que sofrem ou já sofreram com toda a arte do amor, relacionamentos e tudo o que gira em torno deste ‘pacote’. É uma pena que “A Complete History of My Sexual Failures” seja mais uma produção que tropece nas próprias pernas. O próprio Chris em um determinado momento diz que seu projeto se perdeu totalmente do que ele pretendia fazer.

Fica então como lição que você não deve ser um asno, não deve também se comportar como um imbecil e, por último, não deve tratar as mulheres como idiotas. Só que ninguém precisa perder 2 horas de sua vida com um documentário no máximo regular para saber tudo isso. Talvez valha pela diversão, mas pouca coisa é engraçada aqui, durante a maior parte do tempo você fica se lamentando de estar perdendo seu tempo ou sofrendo com tanta vergonha alheia.


A Complete History of My Sexual Failures (2008)

Um documentário de Chris Waitt.

Related Posts with Thumbnails

Author: Marcio Melo

Analista de Sistemas, amante da sétima arte desde os tempos imemoriais e com muito sangue nerd fervilhando em veias hipertensas, fundou o Porra, Man! com o intuito de comentar sobre cinema de forma descomplicada e fácil de entender. Nas horas vagas torce prum time que nunca vence e mata monstros que não existem.

Share This Post On

6 Comments

  1. A ideia parecia interessante, mas 2 horas de documentário é realmente demais para esse tema.

    Post a Reply
    • Não sei bem se são exatas duas horas, arredondei, mas é bem por aí. O problema é que a ideia inicial some em poucos minutos e vira outra coisa.

      Post a Reply
  2. Porra man, não lembro de ter lido nada sobre esse filme. Tenho interesse não.

    Post a Reply
  3. Ele é um “cineasta” frustrado hehehe… queria fazer um filme, apelidou de documentário e saiu a cagada que saiu… Dois controles foram demais hein? Abraço.

    Post a Reply

Submit a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.