Quando o primeiro filme da franquia dos brinquedos Hasbro foi lançado nos cinemas lembro de ter me empolgado e gostado bastante. O segundo filme foi lançado e o achei tão absurdo que o coloquei como um dos piores filmes do ano em que foi lançado. Chegamos então no que espero seja o fim de uma trilogia, um trabalho que vem despertando sentimentos bastante antagônicos e trazendo a tona o velho embate “crítica x público”.

Ainda que, no geral e com uma dose de boa vontade seja até divertido, “Transformers 3 – O Lado Oculto da Lua (Transformers – Dark of the Moon)” em sua essência é um filme bem boboca. Entendo perfeitamente que é justamente esta a proposta, mas não muda o fato de que é preciso relevar muitos e muitos defeitos para encontrar os pontos positivos.

Com cansativos 157 minutos de duração, a impressão que fica é que se fossem retiradas as cenas em ‘slow motion’ o filme teria metade do tempo. Junte-se a isso algumas passagens totalmente desnecessárias e personagens irrelevantes. Do elenco “descartável” o grande John Malkovich (“Jonah Hex”, “Queime Depois de Ler”) arranca algumas boas risadas com seu surtado personagem, mas não tivesse ele no filme falta nenhuma faria. Só que além de inchar o elenco Bay tenta arrumar um papel para todos eles, até mesmo para a “gostosa” da história que substituiu a outra que não prestava por ter discutido e ofendido o diretor.

De fato a jovem Rosie Huntington-Whiteley e todas as suas curvas (aquela cena inicial é de matar toda a plateia masculina) nos faz esquecer Megan Fox, mas fica claro que ela está ali apenas como uma variável da velha forma hollywoodiana de blockbusters, tem que ter o interesse romântico. Só que o casal protagonista não funciona, não existe o mínimo de química. Some a isso o fato de que simplesmente não me importei com nenhum personagem, nem humanos, nem robôs, quer dizer, a dupla de autobots “rock´n´roll” que vive com Sam (Shea Labeouf, “Indiana Jones e o Reino da Caveira de Cristal”) esbanjam um certo carisma.

O que realmente faltou aqui foi entregar uma história mais enxuta e coerente, fica evidente que Michael Bay monta grandiosas cenas de ação em sua mente e depois tenta “ligá-las” de qualquer jeito, quando deveria ser o contrário, trazer um roteiro pelo menos razoável e enxertar toda a pirotecnia ao seu redor. De fato, podemos dizer que as cenas de ação são muito boas, isso ele faz com maestria. E vale ressaltar ainda o 3D, que se não é lá nada revolucionário como foi “Avatar”, pelo menos não é dos piores.

Se você for capaz de deixar o seu cérebro no lado oculto da lua tem boas chances de se divertir com “Transformers 3”, caso contrário fique em casa porque sair do conforto do seu lar para passar quase 3 horas vendo um show de câmera lenta, explosões e discursos de livros de auto-ajuda profanados por um robô-caminhão não é tarefa das mais fáceis.

 


Transformers 3 – O Lado Oculto da Lua (Transformers – Dark of the Moon, 2011 – 157 min)
Ação, Ficção Científica.

Dirigido por Michael Bay com roteiro de Ehren Kruger. Estrelando: Shia LaBeouf, John Turturro, Josh Duhamel, Tyrese Gibson, Rosie Huntington-Whiteley, Patrick Dempsey, Kevin Dunn, John Malkovich, Frances McDormand, Ken Jeong, Leonard Nimoy e Peter Cullen.

Related Posts with Thumbnails