X-Men – Primeira Classe (X-Men – First Class)

Assim que vi as primeiras imagens de “X-Men – Primeira Classe (X-Men: First Class)” minhas impressões não foram as melhores, naquele ponto cheguei a duvidar se daria certo ver uma prequência (note como essa palavra anda na moda) dos mutantes nos cinemas. Mas bastou aparecerem os trailers e, mais recentemente, ler/ouvir boas recomendações para todo meu receio se transformar em expectativa (das boas) que foram devidamente saciadas, afinal, trata-se realmente de um grande filme ainda que tenha seus (poucos) defeitos.

De todo os heróis dos quadrinhos/desenhos os “X-Men” sempre foram os meus favoritos por trazerem à tona, além da diversão, discussões políticas, filosóficas e sociais como pano de fundo. Existiram (e ainda existem logicamente) diversas vertentes e lideranças no mundo real de como lidar com questões relacionadas ao preconceito e, por aqui, o épico embate entre Magneto e Professor Xavier sempre foram os responsáveis pela força e charme deste universo (dentre outras tramas, mas sem dúvidas está entre as principais).

Os maiores obstáculos para fazer um ‘reboot’ dar certo nos cinemas foram ultrapassados muito bem devido a alguns fatores importantes, começando pelo roteiro que, apesar de ser escrito por diversas pessoas, é muito interessante e dá muita força a toda história. A direção que ficou a cargo de Matthew Vaughn – que já tinha mandado muito bem em “Kick Ass”– é maravilhosa também e, não bastassem estes acertos, o elenco nos entrega atuações primorosas.

O elenco por sinal merece um capítulo à parte, James McAvoy (“O Procurado”) faz um Charles Xavier surpreendente e carismático e a lindinha da Jennifer Lawrence (“Inverno da Alma”) não deixa por menos como a Mística. Me alegra ainda mais ver Kevin Bacon nas telonas novamente, outrora astro dos anos 80 ele nos premia com seu talento fazendo um ensandecido vilão, daqueles tipo clássicos que querem nada menos que dizimar todos e conquistar o mundo. Michael Fassbender (“Bastardos Inglórios”) tinha pela frente uma missão bem complicada com o papel de Magneto em suas mãos, personagem que para mim sempre foi um dos melhores seja nas Hqs, desenho ou até a trilogia ‘clássica’ (se me permitem chamar assim) dos mutantes nos cinemas e ele acaba se tornando o grande destaque entre os atores. Os demais não decepcionam ainda que tenha achado Emma Frost (January Jones) subaproveitada (no bom e no mal sentido).

Só não entendi como um grande lançamento destes com tantos investimentos em pleno ano de 2011 pode deixar a desejar em algumas sequências de efeitos especiais, como o próprio nome sugere careciam de uma atenção mais especial. Fora isso algumas passagens do núcleo teen são bem bobas com umas situações bastante desinteressantes e bobocas.

Muito bem desenvolvido e inteligente, sem deixar de lado as características de um bom cinemão ‘blockbuster’, “X-Men: Primeira Classe” trata-se de um ótimo filme, mas não é perfeito apesar de termos algumas sequências bem empolgantes. A nova franquia que se desenha com esta ‘retomada’ aos primórdios das histórias dos heróis/vilões mutantes já começa com o pé direito e com boas vindas bem recebidas tanto pela crítica quanto pelo público.


X-Men – Primeira Classe (X-Men – First Class, 2011 – 132 min)
Ação, Aventura.

Dirigido por Matthew Vaughn com roteiro de Bryan Singer, Ashley Miller, Zack Stentz, Jane Goldman e Matthew Vaughn. Estrelando: James McAvoy, Michael Fassbender, Kevin Bacon, Rose Byrne, Jennifer Lawrence, Beth Goddard, Morgan Lily, Oliver Platt, Álex González, Jason Flemyng, Zoë Kravitz, January Jones, Nicholas Hoult, Caleb Landry Jones, Edi Gathegi, Corey Johnson, Lucas Till, Laurence Belcher e Bill Milner.

Related Posts with Thumbnails

Author: Marcio Melo

Analista de Sistemas, amante da sétima arte desde os tempos imemoriais e com muito sangue nerd fervilhando em veias hipertensas, fundou o Porra, Man! com o intuito de comentar sobre cinema de forma descomplicada e fácil de entender. Nas horas vagas torce prum time que nunca vence e mata monstros que não existem.

Share This Post On

17 Comments

  1. Achei muito bom. A mesclagem da trama com a crise dos mísseis cubanos foi muito bem feita (e o clima de guerra nuclear lembrou Watchmen). Mas as os efeitos dignos de Chaves e os x-teens foram a parte fraca mesmo

    Ri alto com a ponta que o Wolverine fez …
    Tem uma referência sutil a uma cena famosa do primeiro filme do Spider-Man.

    Post a Reply
    • O lance de ter colocado contextos históricos inseridos na trama do filme foi realmente bem bolado, trouxe verossimilhança para a história.

      A ponta de Wolverine realmente foi legal, aliás, a parte do “recrutamente” dos mutantes foi divertida.

      Post a Reply
  2. Eu gostei muito do filme, claro que tem alguns probleminhas, inclusive muitos estão reclamando da adaptação. Mas, envolve, faz pensar, empolga e diverte.

    Post a Reply
  3. Eu deveria elogiar mais Jeniffer Lawrence. Fantástica! Não tô dizendo com isso que ela fez uma atuação digna de Oscar, mas, como dizem por aí, a câmera a ama.

    Post a Reply
  4. Assisti na estréia e curti bastante, uma das melhores adaptaçõs de quadrinhos que vi, justamente por ter combinado bem o lado divertido da ficção com um conteúdo um pouco mais adulto, interessante.
    A própria idéia dos mutantes contra o humanos ficou algo bem mais compreensivo do que nos outros filmes, nesse aqui você pode discordar mas entende, nos outros essa opção era mais caricata, bem coisa de vilão…

    Os pontos baixos ficaram na minha opinião para alguns efeitos, como por exemplo o da Emma Frost e do Sebastian Shaw.

    Post a Reply
    • Realmente Rafael, um grande filme e que deixou a desejar nos efeitos especiais. A parte “Malhação” também incomoda, mas é muito pouco.

      Post a Reply
  5. Eu só não entendo uma coisa. Tenho o quadrinho “Os filhos do átomo” e já li o “First Class” de 01 a 08. “Os filhos do átomo” conta como o professor X já careca e de cadeira de rodas recruta os seus primeiros mutantes e os fundadores são Jean (garota marvel), Ciclope, Anjo, Fera, e o Homem de Gelo. No “First Class” eles estão lá também. Por que então eles não aparacem no filme? Anjo eu até entendo já que apareceu no X3 e foi o personagem mais deturpado de todos.

    Também não gostei de Hank, que nos dois HQs aparece como um nerd sim, inteligentíssimo, mas forte e esportista. Em o “Filhos do átomo” ele até faz parte do time de futebol da escola e é um cara popular. Então o nerd tímido e sem graça do filme não me convenceu.Isso sem falar que o Fera azul ficou horrível, parece um macaco do Planeta dos Macacos.

    Mas o filme em si, esquecendo as adaptações é muito bem feito. Enquanto a série tem mais efeitos e cenas de luta impactantes, esse tem um roteiro bem mais elaborado e a atmosfera anos 60 ficou perfeita.

    Post a Reply
    • Não só em relação aos quadrinhos como também em relação a “trilogia clássica” nos cinemas e até os desenhos, em todos existem diversos “furos” no roteiro.

      Prefiro imaginar que os caras fizeram um ‘reboot’ para começar de uma nova maneira, como foi em Batman.

      E Fera realmente parece um bichinho fofinho, tá muito trash, muito ruim mesmo, é uma pena mas ficou totalmente ridículo, apesar da sua cena lá de transformação remete a “O Médico e o Monstro”.

      Mas retirando estes erros, o filme acerta em vários detalhas como os que você citou e, no final das contas, até que cumpriu muito bem seu objetivo.

      Abração Jacy e valeu pelo seu comentário!

      Post a Reply
  6. eu fui ver no cinema essa semana..eu achei bom..nada de mais..igual aos outros..eu gostei..mais esperava mais!!

    Post a Reply
    • De todos o melhor é o X-Men 2, depois vem esse. O primeiro e o terceiro são fracos e, se vc adicionar Wolverine ‘no bolo’, para mim é o pior de todos

      Post a Reply
  7. Curti MTO esse filme, e achei que a dupla de atores escolhidos pra representar os grandes Magneto e Xavier, mandaram mto bem, ultrapassando minhas expectativas.

    Gostei do modo que as historias deles (e em segundo plano dos demais) foram exploradas, preenchendo algumas lacunas que os filmes anteriores deixam.

    Só descordo um pouco das partes bobas que vc comenta. Achei que o humor foi bem dosado, geralmente filmes de super herois (principalmente o Homem Aranha) tem cenas forçadissimas no quesito humor.

    Bjs

    Post a Reply
  8. Muito bom esse filme, achei interessante poder ver o começo de toda a historia no cinema!

    Post a Reply
  9. Confesso que quando anuciaram a produção do filme e algumas imagens pensei “lá vem galhofas”, mas foi exatamente o contrário. Felizmente o filme foi ótimo. Toda história, diálogos não são retardados e dispensáveis. Atores e personagens com alto nível de carisma.

    Motivações do magneto e sua oposição idelógica quanto ao Xavier , ficou realmente bem feita. Suas frases para Mística foram todas marcantes e profundas que a genialidade do Xavier não conseguiu enchergar ou penetrar nos outros.

    Fiqueii feliz 😀

    Post a Reply
  10. Esse foi um dos piores filmes de 2011. Acabou com a série X-men (que eu tanto adoro) …

    Post a Reply
    • Sério Caio? É a primeira pessoa que vejo reclamar deste filme que foi ótimo. Ruim, para mim, foram X-Men 3 e o filme solo de Wolverine

      Post a Reply
      • O problema do filme pra mim é o roteiro. Achei pouco elaborado, a história trava em certos momentos e passa a impressão de algo feito às pressas… Não sei explicar, pra mim foi uma experiência bem ruim… Apesar de ótimos atores como Kevin Bacon, Jennifer Lawrence e James Mcavoy e outros bem ruins como as versões adolescentes do Fera, do fortão (que eu esqueci o nome)e os outros…

        Post a Reply
        • Para mim o único ponto negativo foi uma parte que ficou meio Malhação no núcleo teen dos X-Men, fora isso achei o filme ótimo.

          Post a Reply

Trackbacks/Pingbacks

  1. Crítica: Jogos Vorazes (Hunger Games) | Porra, man! - [...] e vivo também. Em meio a todo este contexto conhecemos Katniss Everdreen (Jennifer Lawrence, “X-Men – Primeira Classe”) que…
  2. Prometheus - Crítica do Filme | Porra, man! - [...] que consegue destaque aqui é justamente um androide interpretado por Michael Fassbender (“X-Men – Primeira Classe”) que possui motivações…
  3. Shame - A vergonha de um viciado em sexo | Porra, man! - [...] assina ainda o roteiro em parceria com Abi Morgan – com o ator Michael Fassbender (“X-Men – Primeira Classe“),…
  4. Meu Namorado é um Zumbi (Warm Bodies) - Crítica do Filme | Porra, man! - [...] elenco o protagonista Nicholas Hoult (“X-Men – Primeira Classe“) trabalha durante a maior parte do tempo apenas com o corpo, sem…
  5. Em Transe (Trance) - Porra, man! - [...] a um funcionário responsável pela segurança de leilões de peças de arte (James McAvoy, “X-Men – Primeira Classe”) que…
  6. 10 Atores da nova geração que estão se tornando grandes estrelas - Porra, man! - [...] da nova franquia “Jogos Vorazes”, a nova mística dos ‘novos/velhos/remasterizados’ “X-Men” e vencedora do Oscar 2013 com sua atuação…
  7. Sem Saída (Eden Lake) - Crítica do Filme por Dani Vidal - […] dúvidas que fui adiante por causa do nome de Michael Fassbender no projeto. Bastardos Inglórios, X-Man, Shame,  Prometheus, são apenas alguns…
  8. X-Men: Dias de um Futuro Esquecido (X-Men: Days of Future Past) - Porra, man! - […] de maneira não muito digna com “X-Men – O Confronto Final” a ideia da prequência com “Primeira Classe” foi…

Submit a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.