O escritor americano Philip K. Dick (falecido aos 53 anos em 1982) ficou reconhecido como um dos grandes nomes da ficção científica, gênero literário que, de certa forma, ele reinventou na época. Muitas de suas obras foram parar nas telonas como “Minority Report”, “O Homem Duplo”, “Blade Runner”, dentre outras. O diretor George Nolfi é mais um agora a fazer parte desta lista depois de adaptar mais uma obra de PKD com o filme “Os Agentes do Destino (The Adjustment Bureau)”.

Na trama conhecemos o congressista David Norris (Matt Damon, “Além da Vida”, “Invictus”) um jovem e promissor político que acaba de perder as eleições. Ele conhece então de forma meio inusitada a bela Elise (Emily Blunt, “As Viagens de Gulliver”) e os dois se apaixonam. É aí que entram os tais “agentes do destino” para impedir que isso aconteça pois não é o planejado para a vida de David.

A forma como agem e são apresentados os tais agentes é bem sacada, claro, a ideia original fica com méritos para Philip K. Dick. Mas nem sempre partir de uma premissa interessante é garantia de sucesso, é preciso saber como conduzir a narrativa e não sair entregando tudo ao espectador de mão beijada e de forma bem mastigada em detrimento a apresentar um roteiro mais inteligente.

Mesmo sendo uma obra de ficção científica o que mais se destaca é mesmo o romance entre os dois protagonistas que, devido à boa química apresentada por Damon e Blunt, convence e nos faz torcer pelo casal até o fim sem parecer muito piegas.

No final das contas o resultado é (aproximando com carinho a classificação) positivo, mas isso depende de sua ótica. Se você enxergar o filme como um romance diferenciado (não vai agradar a turma de Higienópolis) com elementos de ficção científica e um pouco de mistério e suspense no ar, pode até funcionar, pelo menos a mensagem que fica é bonita apesar de manjada. No entanto, compreendo que é realmente frustrante algumas resoluções na história (que por conta disso deixa aquela sensação de que poderia ser mais curta) e a pior de todas é o desfecho. A maneira como tudo é resolvido é decepcionante por ser tão “fácil”.

De certa forma acaba-se por criar um ‘círculo vicioso’ que resulta cada vez mais em espectadores preguiçosos e filmes pouco ousados em nossas salas de cinema. Toda a minha lamentação seria a toa caso eu não tivesse achado que era um trabalho que tinha potencial para ser um pouco mais do que simplesmente um passatempo de fim de semana.


Os Agentes do Destino (The Adjustment Bureau: Ficção Científica, Romance – 2011 – 106 min)

Um filme de George Nolfi baseado em obra de Philip K. Dick com: Matt Damon, Emily Blunt, Anthony Mackie, John Slattery, Michael Kelly e Terence Stamp.

Related Posts with Thumbnails