Acne

 

Duas coisas me fizeram ter interesse em assistir ao filme uruguaio lançado em 2007 “Acne (Acné)”, primeiro foram as excelentes recomendações da crítica especializada – ele foi exibido em algumas mostras de cinema lá no Brasil (como já diria meu amigo Ramon) em 2008 – e segundo porque parei, refleti e acabei percebendo que nunca tinha assistido nenhuma obra cinematográfica do Uruguai.

Na trama acompanhamos a história de Rafael Bregman, um garoto que aos 13 anos já teve sua primeira experiência sexual mais ainda é “boca virgem” (BV) e luta para conseguir dar seu primeiro beijo, de preferência com a garota que é sua paixão no colégio. Além das espinhas que se apoderam de sua cara, ele precisa lidar com a “chatice” do escola, divórcio dos pais e outros problemas comuns na adolescência.

Com toques sutis de humor, “Acne” apresenta um drama comum na adolescência trazendo um garoto que, tirando este pequeno ‘problema’ de ser “BV” pode ser tratado como um adulto. Rafa (Alejandro Tocar) fuma, bebe, joga cartas e vai no brega satisfazer seus desejos sexuais com frequência, mostrando que as vezes ‘pequenos atos’ como dar um beijo a depender da época podem ser considerados verdadeiras conquistas.

Para mim o maior problema é que a trama se arrasta sem conseguir divertir e tampouco emocionar em momento algum, para mim não transmitiu nenhum sentimento, estava esperando apenas ele terminar. A sensação que tive ao assistir ao trabalho de Federico Veiroj foi de apenas ter perdido meu tempo com um filme bem mais ou menos e que em nada me acrescentou. E nem tenho raiva dos uruguaios (chega daquela história do fantasma da copa de 50), a questão talvez tenha sido a minha falta de senso crítico ou quiçá o fato de não possuir a visão além do alcance.


Acne (Acné – Comédia, Drama: 2007 – 87 min)

Um filme de Federico Veiroj com Alejandro Tocar, Yoel Berovici, Ana Julia Catalá, Belén Pouchan, Igal Label, Gustavo Melnik e Verónica Perrotta.

Related Posts with Thumbnails

Author: Marcio Melo

Analista de Sistemas, amante da sétima arte desde os tempos imemoriais e com muito sangue nerd fervilhando em veias hipertensas, fundou o Porra, Man! com o intuito de comentar sobre cinema de forma descomplicada e fácil de entender. Nas horas vagas torce prum time que nunca vence e mata monstros que não existem.

Share This Post On

5 Comments

  1. O único filme uruguaio que assisti foi “O Banheiro do Papa”, achei muito bom, emociona e tem até uma ligação com o Brasil. Talvez seria bom assistir esse filme para tirar a má impressão rsrs

    Post a Reply
  2. Não tinha visto nenhum filme uruguaio? Devia ter visto “O Banheiro do Papa”. Vá na fé.

    Post a Reply
  3. Além de “O Banheiro do Papa”, que eu achei excelente. Recomendo outros quatro filmes uruguaios:
    – Gigante;
    – Whisky;
    – Plata Quemada (co-produção com a Argentina); e
    – Mal Dia Para Pesca.
    Uma boa fonte para procurar filmes de outros países é o seguinte site:
    http://melhoresfilmes.com.br/paises/index

    Post a Reply
  4. Rafael, Rodrigo e Frederico, valeu pela dica, vou adicionar em minha lista de filmes a assistir!

    Post a Reply

Submit a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.