Confesso, não fossem as 12 indicações recebidas para o Oscar – incluindo aí a indicação de melhor filme do ano – dificilmente assistiria “O Discurso do Rei (The King’s Speech)”. Para completar, o BAFTA começa a deixar fortes indícios que este será mesmo o favorito da noite de premiação. Por mais que o trabalho de Tom Hooper seja bem feito tecnicamente e tenha excelentes atuações, com o grande destaque obviamente para Colin Firth, acho que falta algo para conquistar e cativar o espectador a ponto de idolatrar esta obra.

A trama segue parte da história de vida do pai da atual rainha da Inglaterra, Albert Frederick Arthur George (Colin Firth, “O Retrato de Dorian Gray”, “Mamma Mia!”), que não era um sucessor promissor ao trono da Inglaterra. Além de estar atrás do seu irmão Edward (Guy Pearce, “Guerra ao Terror”) tinha sérios problemas para se comunicar com o povo por ser gago. O seu irmão abdica do trono e então George precisa vencer o seu “problema” e conta com um fonoaudiólogo (Geoffrey Rush, Elizabeth: A Era de Ouro”) um pouco fora do comum para ajudá-lo e ainda tornar-se um grande amigo.

O grande trunfo do filme está sem dúvidas ligado ao excelente trabalho de Firth e também de Rush. O embate de personalidades e realidades distintas dos dois, um é da família real o outro um fonoaudiólogo fora dos padrões convencionais, é o que dá a liga nesta obra. Fora os dois ainda encontramos boas atuações de Helena Bonham Carter e Guy Pearce.

Apesar de possuir excelentes atuações é daqueles trabalhos feitos “nos conformes” com tudo arrumadinho e bonitinho, com aquela cara de filme pronto para receber inúmeras premiações e elogios da crítica mais especializada. Para mim faltou emoção e carisma para conseguir um elo maior com o espectador, é difícil você se manter extremamente interessado ou torcendo pela história.

Sem dúvidas “O Discurso do Rei” trata-se realmente de um bom filme onde a atuação do protagonista interpretado por Colin Firth e também do coadjuvante Geoffrey Rush valem o ingresso. É uma bonita história de amizade e superação, mas que não empolga.


O Discurso do Rei (The King’s Speech: Drama, 2010 – 118 min)

Dirigido por Tom Hooper com roteiro de David Seidler. Estrelando: Colin Firth, Geoffrey Rush, Helena Bonham Carter, Derek Jacobi, Michael Gambon, Guy Pearce, Claire Bloom, Tim Downie, Timothy Spall, Robert Portal, Richard Dixon, Paul Trussell, Adrian Scarborough, Andrew Havill, Charles Armstrong e Roger Hammond.

Related Posts with Thumbnails