A estreia de “Scott Pilgrim contra o Mundo (Scott Pilgrim versus the World)” se transformou em uma verdadeira novela aqui no Brasil. Depois de ser adiado várias vezes (a estreia lá fora foi em agosto deste ano) o filme finalmente foi lançado em novembro só que apenas lá no Brasil (Rio e São Paulo). Culpa? O fraco retorno nas bilheterias americanas, uma pena, acabou fazendo com que os habitantes das províncias nacionais (como eu) tivessem que (mais uma vez) recorrer a meios escusos para poder ter o seu merecido orgasmo nerd.

Parece estranho dizer que a melhor adaptação dos games para o cinema tenha vindo na verdade dos quadrinhos, mas não é leviano pensar assim uma vez que temos, além de vários elementos da cultura pop, toda a magia dos games (os antigos ‘old school’) estampada nesse trabalho ímpar que saiu das mãos de Edgar Wright, responsável por outras obras divertidíssimos como “Todo Mundo Quase Morto” e “Chumbo Grosso”.

Por ser extremamente nerd “Scott Pilgrim contra o Mundo” se torna um produto destinado quase que especificamente para um determino público, afinal, a história é sim realmente boboca, vejamos: garoto se apaixona por menina misteriosa e, além de ter que terminar com sua atual namorada menor de idade, precisa derrotar os sete super ex-namorados do mal de sua nova paixão. Misturando drama juvenil, traumas de relacionamentos passados e bandinhas de garagem, o que faz a diferença aqui é a forma fantástica (literalmente) em que tudo isso é apresentado.

Liderado pelo carismático Michael Cera (Youth in Revolt, Nick e Nora: Uma Noite de Amor e Música, Juno) que mais uma vez faz o tipo meio abobalhado (sua especialidade), o elenco conta com boas atuações desde Elizabeth Winstead que faz Ramona Flowers até a nipônica Knives interpretada por Ellen Wong, passando ai por participações especiais divertidíssimas como as de Brandon Routh, Chris Evans (Quarteto Fantástico) Anna Kendrick (Amor Sem Escalas) e até o irmão de Macaulay Culkin, Kieran Culkin.

O ritmo do filme é bastante ágil e toda a trama é, como nos videogames, divida em fases e chefões. Deve ter sido uma jornada árdua apresentar na tela todos os sentimentos e expressões dos quadrinhos de forma tão perfeita como foi realizada. O mocinho pega vida extra, ganha armas mágicas que lhe dão bônus e tem até barrinha para medir o nível de xixi. Toda a sonoridade dos golpes, as reações emocionais estampadas (como quando a Knives diz estar apaixonada por Scott e surge um “LOOOOOVEE”) fazem desta obra um trabalho realmente único. .

Trata-se realmente do tipo de filme que dificilmente terá meio termo, ou você se identifica com tudo e idolatra, como este que vos escreve, ou você acha tudo apenas idiotice nerd e segue sua vida em paz. Meus olhos brilharam e fiquei com um sorriso bobo durante todo o tempo, para mim é sim um dos melhores do ano.


Scott Pilgrim Contra o Mundo (Scott Pilgrim versus the World: Comédia, Ação – 2010 – 112 min)

Dirigido por Edgar Wright com roteiro de Edgar Wright, Michael Bacall adaptando obra de Brian Lee O’Malley. Estrelando: Michael Cera, Mary Elizabeth Winstead, Brandon Routh, Jason Schwartzman, Aubrey Plaza, Kieran Culkin, Brie Larson, Mae Whitman, Ellen Wong, Anna Kendrick, Mark Webber, Alison Pill e Satya Bhabha.

Related Posts with Thumbnails