Martyrs – 2008

.

.

.

.

“Lucie é uma criança que foi sequestrada e fica alguns meses em cativeiro. Com um descuido dos seus algozes ela consegue fugir, sendo resgatada pelas autoridades. Apesar dos maus tratos, Lucie não aparenta sinais de violência sexual. Levada a um orfanato, conhece Anna, outra órfã a quem se apega muito. Depois de adulta, Lucie vai em busca dos seus raptores e trama uma vingança brutal mas, é Anna quem paga um preço alto por isso .”

Primeiro gostaria de dizer que Martyrs não é um filme que eu recomendaria. Este não é um filme comercial, fácil de agradar ao grande público, com um psicopata, zumbis, fantasmas e adolescentes marcados por esteriótipos. Eu diria que Martyrs é um filme francês com inspiração no cinema japonês e apenas isso já seria o suficiente para mostrar que está longe de ser um modelo americano de filmes de terror. Aliás, o que classifica um filme como terror? A presença de sangue, mocinho, mutilações, vilão…?

Somos apresentados a Lucie, uma sobrevivente. Quando a encontramos maltratada, coberta de sangue, sujeira, ofegante em busca da liberdade, não temos idéia do que ela sofreu. Os danos psicológicos causados por isso a acompanham até a idade adulta e exatamente essa aparente loucura que nos mostra algo terrível: um ser que a persegue e parece ter a intenção de terminar aquilo que começou: matar Lucie. Esse jogo sobrenatural me fez sentir como se assistisse a um filme japonês, um terror, uma tensão que só os orientais conseguem fazer com tanta propriedade. Nesse meio tempo testemunhamos a relação fraternal de Lucie com Annie, que juntas demonstram ter um segredo. Annie sabe o que aconteceu com Lucie, mas é tão terrível que não pode contar a ninguém.

Quando Lucie inicia sua vingança e aparentemente resolve seu maior problema, aquilo que a libertará para ter uma vida normal sem neuroses ou medo, percebo algo estranho: Eu ainda estava na primeira meia hora de filme. E neste momento somos levados a uma outra atmosfera da história, um patamar de tortura psicológica muito além do que eu poderia esperar. Entendo o fascínio por sangue e filmes que exploram a violência explicita mas no caso de Martyrs aquilo que mais incomoda é a brutalidade a que são tratadas nossas heroínas mesmo quando não existe sangue voando na tela.

Eu particularmente gosto muito de protagonistas mulheres, acredito que as grandes heroinas foram muito mais marcantes que os heróis nos filmes de terror e quem sabe posso também dizer que me incomoda  o sentimento de testemunhar passivamente um ato de violência como alguns filmes conseguem passar. Este é um dos problemas de Martyrs, esse gosto ruim que fica na boca, uma leve sensação depressiva que provavelmente você sentirá. Se você está em busca de um novo olhar a respeito do cinema de terror, fique a vontade de entrar… mas depois que sair, não será mais o mesmo.

Em tempo:

– O filme gerou um burburinho tão grande que já está sendo preparado um remake com ninguém menos que Kristen Stewart no elenco;

– Sugiro que não veja nenhum trailer ou procure informações do filme porque pode acabar em algum spoiler e prejudicar sua percepção do filme.

Related Posts with Thumbnails

Author: Dani Vidal

Dani Vidal (@danividal) é formada em Relações Públicas e autora do blog Feminina. Apesar de não dispensar um terror recheado de zumbis, chora copiosamente com um bom drama. Acho que nossa postura com a sétima arte é como se achar técnico de futebol. Ninguém é especialista mas todo mundo tem uma opinião e adora criticar a escalação.

Share This Post On

25 Comments

  1. Já tinha lido coisas muito interessantes sobre o filme, sempre elogiando com ele é bom. Agora vendo aqui, que recebeu 5 controles … deve ser mesmo FODA!
    Curiosidade, mata viu …

    Post a Reply
    • Eu normalmente não recomendo filmes no estilo de Martyrs pois não acho que seja o perfil do grande público do cinema de horror… mas horror ele tem bastante!

      Post a Reply
  2. Já assisti e é muito bom ! Talvez o melhor filme de “horror” de 2008, apesar de alguns desinformados acusarem de ser outro torture porn.
    A primeira parte é assustadora e tem aquele velho momento em que você grita “mas por que essa idiota não sai logo daí ?!?!?!?”.
    A segunda parte é muito pesada e o final é perfeito (aquela véia disgraçada !!).

    Post a Reply
    • Iniciamos o filme achando que vamos desvendar o passado de Lucie mas na verdade vamos viver o pesadelo de Anne!

      Post a Reply
  3. Uau, Dani! Tenho de admitir que seus últimos posts têm sido nada menos que espetaculares! Só filmes fora do mainstream, só obras realmente instigantes.
    Esse aí então…! Nossa, me deixou com a pulga atrás da orelha!
    Vou seguir suas recomendações não vou deixar-me ‘spoilear’ por nada, vou assistí-lo apenas com sua crítica em mente.
    Parabéns, novamente, pelo ótimo trabalho!
    ^^.

    Post a Reply
  4. Esse filme é muito f**a. Desde então até agora continua sendo o meu favorito no gênero, outro que recomendo é outro fracês “A Invasora”.

    “- O filme gerou um burburinho tão grande que já está sendo preparado um remake com ninguém menos que Kristen Stewart no elenco.”

    Já arrisco em afirmar que lá vem mer**.

    Post a Reply
  5. Cara, sinceramente, o filme é um lixo. Peguei pra ver por causa de pessoas como vocês, que acham que assistir qualquer porcaria européia é sinonimo de ser “cult”. Não tem nada demais no filme, ele começa bem, mas no meio do caminho se perde, sem contar que no final (uns 20mim de filme) fica toda hora cortando a cena como se o filme fosse acabar (ridiculo).

    Filme altamente recomendado para aqueles que não tem nada na cabeça e quer bancar o intelectual. O pior é ainda querer divulgar isso.
    PS: Não serviu nem como material de pesquisa.

    Post a Reply
    • Só lamento por você que perdeu tempo…
      Nossa idéia de porcaria é bem diferente… eu gostaria que você mostrasse as porcarias europeias que eu indiquei aqui … Devem ter sido muitas.
      Como não tenho nada na cabeça você não deveria se importar tanto com filmes que eu indico não é verdade?

      Post a Reply
  6. Não sabia que você era esse tipo de pessoa (que quer ser, mas não é) até ter visto uma de suas recomendações. Você acha que eu tenho uma bola de cristal?

    Post a Reply
  7. Não basta ser perturbador!
    Não basta ser violento!
    Não basta ter cenas que nos impressionem ao extremo.
    Tem que ter enredo, coerência e sincronia. E isso tudo faltou no filme.
    Durante a primeira parte do filme, estamos começando a compreender o que se passa, quando de repente o filme dá uma reviravolta e parte para outra trama. E novamente começa a expectativa por uma explicação. Quando ela nos é dada parcialmente por um diálogo pobre e concluída ao final do filme, é constatado que tudo não passou de violência gratuita. O motivo dado para a “experiência” é pífio, ridículo e incoerente.

    Resultado: bosta de filme.
    Pelo menos não o assisti por indicação de ninguém… hehe

    Post a Reply
    • Fernanda, concordo com toda a sua descrição sobre essa porcaria de filme…e olhe que geralmente curto filme europeu, mas depois desse acho que não quero nem saber de “terror” francês…só valeu mesmo pela trollagem da velha! Quem assistiu, vai entender…

      Post a Reply
  8. Oi Fernanda,
    Ainda bem que você não assistiu ao filme depois que eu indiquei!!!! Ia ficar zangada comigo =)
    Mas é uma pena porque eu gostei pra caramba.

    Post a Reply
  9. Confesso que já assisti muito filme de terror e suspense, mas esse realmente supera tudo aquilo que já vi, é angustiante.

    Post a Reply
  10. ola não quero comentar , pois não vi o tal filme ainda gosteria de saber quando chega nas locadoras do brasil dublado de preferencia?

    Post a Reply
  11. O Problema dos robôs de plantão , é que não conseguem assistir á um filme sem por defeito ,analisando tudo como se um horror/torture enfim, devesse seguir uma regra de ouro devendo sempre algo pra algum “clááássico”..por favor né…vamos começar a ver filmes por conta própria também, faz bem..!:)

    Post a Reply
  12. Sinceramente esperava mais desse filme… O enredo se perde no meio da trama, os diálogos são confusos e o fim não tem nada de interessante. 🙂

    Post a Reply
  13. Adoro os filmes de terror franceses. “Alta Tensão”, “A Invasora” e “A Fronteira” – este último deixou a desejar, mas é bem tragável – estão entre os que eu mais gosto. Porém, Martyrs é, sem dúvida, um dos piores dessa leva de excelentes filmes. É um roteiro que se perde e não vai a lugar nenhum. Um filme picareta. Não se enganem com o rótulo “cult” que deram a esse filme. Os 50 primeiros minutos são sensacionais, mas, os próximos 40 minutos o roteiro muda de uma forma bruta e desleixada. Não estou julgando o conteúdo do filme, pois, é o filme mais “leve” comparado aos citados acima. O sangue, a tortura e tudo mais, é até bem feito, mas nada que impressione. Uma dica: levem ao pé da letra o título, para não serem enganados, assim como eu.

    Post a Reply
  14. Pra mim, um dos melhores filmes de terror. A França ta se mostrando a salvadora do terror na última década. Não poupam esforços – mesmo sem ter todos os recursos de Hollywood – pra nos presentear com seus filmes.

    Não achei que foi violência gratuita como disseram ai, nem que a história se perdeu, achei até o tema metafísico bem original, e não tem nada de torture porn… Os filmes franceses são os únicos que conseguem fazer com que e torça pras vítimas. Os filmes de Hollywood são tão artificiais, assim como seus personagens, que é difícil não ser indiferente haha.

    To muito ansioso pela estreia de Livide, e isso da Kirsten Stewart no remake de Martyrs é boato.

    PS: Já repararam que nos filmes franceses quase não tem homens? Os papeis principais são geralmente mulheres. Não mulheres burras e retardadas como nos terrores teen, mas são quase sempre mulheres. Outra coisa também é que parece que sempre tem uma atmosfera lésbica nos filmes hahaha

    Post a Reply
  15. AJUUUUUDA, não consigo esse filme em lugar nenhum!

    Post a Reply
  16. O roteiro é cheio de falhas, mas devo admitir, é um filme que prende a atenção e leva o espectador a um nível de angústia e desespero como poucos do gênero. Aqueles que são capazes de deixar-se envolver pela trama e sensibilizar-se com as dores da personagem vão terminar o filme com a sensação que acabaram de passar por um “abuso” psicológico. Realmente não é recomendado aos mais sensíveis, ainda assim, é um bom filme!

    Post a Reply
  17. Se for com a KRISTEN STEWART vai ser uma merda… vão estragar esse filme maravilhoso. Sim eu fiquei CHOCADA, HORRORIZADA e BOQUIABERTA, pq todos nós sabemos que o ser humano tem sim essa capacidade de torturar, porém nunca vi algo expresso assim num filme. Enfim, a Kristen não tem um pingo de talento pra um filme desses, ela não tem expressão facial é sempre aquela mesma cara de “DOR DE BARRIGA”, é isso mesmo, parece que está sempre com dor… kkkkkk

    Eu particularmente acho que, assim como os americanos estragaram OS HOMENS QUE NÃO AMAVAM AS MULHERES, vão estragar esse também, adoro os filmes originais… remakes americanos são para alienados!

    Post a Reply
  18. Puts… só Vc que presta nessa site viu Dani porque o tal de Marcio Mello, é triste!!! Gostar de machete e não curtir Código de conduta é de matar !!!affff Fora outras criticas dele q estão derubando a credibilidade do site.Mas vc é fera.E parabéns por vc Ver as duas 2 Centopeias humanas… não é qualquer mina que tem estômago.Todo mundo tem o direito de gostar de um filme ou não… mas tem q ser coerentena Hora de criticar ou de avaliar.Tem estilo filmes que eu não curto muito mas… se eu vejo um que realmente é bom … tipo um drama que não curto muito,se o filme for bom eu dou o braço a torcer e falo:- Posso até não Gostar do estilo,ou do Gênero.. mas o filme é muito bom nesse estilo.E Falo a Real.Critico, tem q ser coerente.Porque que se as vezes eu vejo a opinião do cara do site que fala que código de conduta é fraco ou que não achou nada demais em um Inverno da Alma eu posso deixar de ver Filmes MUITO BONS.Isso se chama:
    CREDIBILIDADE!

    Post a Reply
    • Crítico pelo visto tem que ser coerente com a SUA opinião, se não bater igualzinho aí tá tudo errado.

      Blinho, concordo contigo só em uma coisa, as críticas de Dani Vidal são ótimas, mas seus outros “argumentos” são de chorar de rir. Vejamos.

      Código de Conduta eu tenho que gostar porquê é demais, no Rotten Tomatoes (vou exemplificar apenas neste site porque é a união da opinião de VÁRIOS CRÍTICOS e PESSOAS COMUNS) a média de aceitação de Código de Conduta é de 25%, veja aqui: http://www.rottentomatoes.com/m/law_abiding_citizen/

      Para Machete esta média é de 73%: http://www.rottentomatoes.com/m/machete/

      Grande abraço.

      Post a Reply
  19. Apenas um filme idiota para pessoas imbecis. Violência gratuita e sem sentido, sem diálogos nem nada que possa parecer inteligente, enfim, um lixo do cinema. Típico filme para gente que não sabe o que é a 7ª arte e nunca vai saber, não sabe explicar porque achou o filme bom, não tem argumento.

    Post a Reply
    • E qual o seu argumento para achar o filme ruim e indicado para pessoas idiotas e etc?

      Post a Reply

Trackbacks/Pingbacks

  1. Is Nicolas Cage The Villain In ‘Ghost Rider’ Sequel? - [...] Crítica do filme Martyrs | Porra, man! [...]
  2. Tweets that mention Crítica do filme Martyrs | Porra, man! -- Topsy.com - [...] This post was mentioned on Twitter by Dani Vidal and Marcio Melo, Wellington Azevedo. Wellington Azevedo said: @danividal ótimo…
  3. A Invasora - 2007 - Porra, man! - [...] não indico pra ninguém. Já escrevi a respeito de alguns deles como por exemplo Irreversível e Mártyrs . Filmes europeus…

Submit a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.