Jonah Hex

Jonah Hex (Ação, 2010 – 80 min)

Dirigido por Jimmy Hayward com roteiro de Mark Neveldine e Brian Taylor. Estrelando: Josh Brolin, John Malkovich, Megan Fox, Michael Shannon, Michael Fassbender, Will ArnettWill Arnett , John Gallagher Jr., Tom Wopat, Wes BentleyWes Bentley, Julia Jones, Luke James Fleischmann e Rio Hackford.

Apesar de ter sido lançado nos EUA em julho deste ano, “Jonah Hex” não deu as caras por ainda por aqui em nossos cinemas. Contando com um elenco interessante e baseada numa série de quadrinhos consagrada, é difícil de entender porque, mesmo tendo tudo ao seu favor, o filme não funcione e tampouco transmita empatia com o espectador.

Na trama conhecemos a história de Jonah Hex (Josh Brolin, Onde os Fracos não Tem Vez) que carrega consigo uma marca sinistra no rosto. Culpando Hex pela morte de seu filho, Turnbull (John Malkovich, A Troca) faz com que Jonah assista a sua família ser assassinada em represália. É aí que, sem rumo e sentido de vida, Hex se transforma em um caçador de recompensas até descobrir que tem a oportunidade de vingar sua mulher e filho.

Ambientada em um “western” peculiar, onde temos armas absurdas, ainda vemos elementos heroicos no filme, como poderes de conversar com os mortos de Jonah Hex. A parte técnica é competente, mas a trama não engrena o suficiente para deixar o espectador “torcendo” por qualquer que seja o personagem, apesar de termos algumas cenas sensacionais, com ótimas frases e tiradas do ‘herói’.

Josh Brolin e John Malkovich encabeçam o elenco e são dois grandes nomes do cinema contemporâneo, porém, o vilão de Malkovich se resume em balançar seus mullets e correr desenfreadamente para destruir TUDO e acabar de vez com a raça do mocinho. E para apimentar a história fica a cargo de Megan Fox (Garota Infernal) fazer o papel da mocinha selvagem e fatal, mas nem isso ela consegue. Além de pouco aparecer, jogar um monte de ossos na tela com os seios espremidos para cima nem sempre é sinônimo de sensualidade.

Acredito que “Jonah Hex” perdeu uma boa oportunidade de emplacar um herói deveras interessante nos cinemas, pois, depois de assistir ao filme fiquei com vontade mesmo é de ler as HQs. No final das contas trata-se apenas de mais uma obra fraca que fica devendo em vários aspectos e, talvez, divirta um ou dois entusiastas de tramas fáceis com um pouco de ação.

Related Posts with Thumbnails

Author: Marcio Melo

Analista de Sistemas, amante da sétima arte desde os tempos imemoriais e com muito sangue nerd fervilhando em veias hipertensas, fundou o Porra, Man! com o intuito de comentar sobre cinema de forma descomplicada e fácil de entender. Nas horas vagas torce prum time que nunca vence e mata monstros que não existem.

Share This Post On

11 Comments

  1. Marcio, acredita que estou com vontade de conferir ?
    Não me leve a mal, mas o filme tem uma cara de ser bem … be… ruim [ia falar outra palavras, mas esqueci]. Apesar dos pesares, gosto da Megan Fox e sempre acabo vendo seus filmes [menos Transformers que acho perca de tempo, se bem que, ela está jogando a carreira meteórica dela pro ralo com suas escolhas estúpidas].

    Enfim, quando sair em DVD, assistirei, certeza =)

    Abs 😉

    Post a Reply
  2. o filme é bem fraquinho…
    fica devendo em muita coisa!!!
    eu acho engraçado quando ele da o cavalo dele pra um menino tomar conta, e o menino pergunta:Qual o nome Dele?
    e ele pensa uns segundos e diz: hummmmm…Cavalo!!!
    kkkkkkkk…….quem mais riu foi eu!!!

    Post a Reply
  3. Alan, boa sorte, o filme é fraquissimo mesmo, talvez só quando sair em DVD vá lá que valha algo, mas nem Megan Fox vale tanto a pena assim.

    Thiago, essa parte é sensacional mesmo eu ri demais. E tem outras cenas muito boas, como eu disse, tem umas tiradas legais, mas no geral é fraco o filme.

    Post a Reply
  4. o filme é fraaaquissimo mesmo
    muito mal aproveitado, me parecia ter potencial, maaaas…..

    na minha opinião a unica coisa que fez o filme valer a pena foi a megan fox (apesar do papel dela ser bem mais ou menos tambem), alias tudo no filme é muito mais ou menos ate as cenas de ação que nem são grandes coisa

    Post a Reply
    • Não vi nada demais na Megan Fox, acho ela magra demais. Tem aqueles seios pulando pra fora da camisa, vá lá!

      Post a Reply
  5. Tenho que salientar aqui que o filme também é uma péssima adaptação. Jonah Hex é uma hq de faroeste “de raiz”, ele não tem nenhum poder de falar com os mortos e a maioria das histórias não aborda armas absurdas. O máximo de sobrenatural que temos são lendas como El Diablo, que é um espírito vingativo que possui um banqueiro que sobreviveu a um incêndio pra consertar injustiças ao melhor estilo Zorro.

    Fora que Josh Brolin não tem nadas a ver com o pistoleiro, ele tem mais cara de Hugh Jackman ou alguém parecido.

    Post a Reply
    • Bom Dan, eu não li a HQ e pelo que você falou é mais um ponto ruim para o filme.

      Obrigado pelo comentário, a visão de alguém que já conhecia o personagem auxilia bastante.

      Abração

      Post a Reply
  6. Esse filme não chegou por aqui porque foi um fracasso nos EUA. Tem cara de ser bem meia boca mesmo, mas qualquer dia desses eu assisto.

    Post a Reply
  7. Cara desculpe aí! mas o filme é 10!
    Eu gosto muito de filmes desse tipo, se vc não percebeu, o filme não quer trazer uma trama inovadora, ele quer trazer ação para o telespactador, eu e todas as pessoas pra quem eu mostrei este filme disseram que é um filmaço!

    Post a Reply
    • É 10 mesmo, 10graçado de tão ruim hehehe

      Mas se você gostou beleza, quem sou eu pra fazer você pensar diferente!

      Post a Reply

Trackbacks/Pingbacks

  1. O Abrigo (Take Shelter) | Porra, man! - [...] trama acompanhamos a vida de Curtis (Michael Shannon, “Jonah Hex”), um pai de família que começa a ter visões…

Submit a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.