Comer Rezar Amar (Eat Pray Love: Romance, Drama, Biografia – 2010, 133 min)

Dirigido por Ryan Murphy com roteiro de Ryan Murphy e Jennifer Salt adaptando livro de Elizabeth Gilbert. Estrelando: Julia Roberts, Billy Crudup, James Franco, Richard Jenkins, Javier Bardem, David Lyons, Christine Hakim, Anakia Lapae, T.J. Power, Tuva Novotny, Hadi Subiyanto, I. Gusti Ayu Puspawati e Viola Davis.

A primeira coisa que vem a mente de qualquer homem ao pensar em “Comer Rezar Amar (Eat Pray Love)” é que trata-se apenas de mais um “filme de mulher”. Contribuem para sedimentar este pensamento a presença de Julia Roberts interpretando a protagonista e também por se tratar de uma adaptação do best-seller homônimo e autobiográfico de Elizabeth Gilbert que tem aquele jeitão de obra de ‘auto-ajuda’.

Histórias de transformação não são novidades para mais ninguém, a gente sempre sabe que alguém vai sair de um ponto A (geralmente muito ruim) e vai percorrer um caminho até o ponto B, onde tudo finalmente fará sentido. A grande questão é que, apesar de termos a trajetória aqui de uma mulher “de coragem”, acredito que até mesmo os homens podem tirar algum proveito, nem que seja apenas como entretenimento pois é um filme que, pelo menos, não ofende e chateia o cérebro masculino (experiência própria).

Na trama conhecemos “Lis” (Julia Roberts) que após perceber que está infeliz em seu casamento passa por um complicado divórcio e tenta viver a sua vida da melhor forma. Depois de se envolver com um ator (James Franco, Milk – A Voz da Igualdade) e ver que ainda não é uma pessoa feliz, ela decide viajar por um ano. Começa na Itália (comer), passa pela Índia (rezar) e termina em Bali (amar).

Durante o seu percurso ela conhece pessoas importantes que, invariavelmente, mudam a sua vida. As duas primeiras metades são as mais descontraídas e que divertem mais. Á última parte é quando a trama se transforma numa pequena (e manjadíssima) comédia romântica, com aquela velha fórmula que eu e você já estamos cansados de assistir.

O elenco é muito bom, desde Julia Roberts até Viola Davis todos trabalham direitinho. Só mesmo Javier Bardem (Onde os Fracos Não Tem Vez) que incomoda um pouco já que ele interpreta o brasileiro Felipe com um sotaque meio forçado, um portunhol arranhado que eu até relevei. O que não deu pra relevar foi o fato dele falar que aqui é comum a gente sair beijando os filhos na boca, mas tudo bem, não é realmente algo tão estranho de se ver né?

Apesar de não ser uma obra original, “Comer Rezar Amar” consegue entreter por ser um filme leve e gostoso de se assistir. Tá bom que temos Julia Roberts e todo aquele papinho de mudanças, casamentos infelizes e a procura da real felicidade, mas não é nada que incomode. Agora, é óbvio que quando se tem dinheiro para passar um ano viajando pelo mundo, fica difícil você não conseguir ser feliz.

Related Posts with Thumbnails