A Ressaca (Hot Tube Machine)

Ressaca (Hot Tube Machine, Comédia: 2010 – 100 min)

Dirigido por Steve Pink com roteiro de Josh Heald. Estrelando: John Cusack, Rob Corddry, Craig Robinson, Clark Duke, Crispin Glover, Lizzy Caplan, Chevy Chase, Sebastian Stan, Lyndsy Fonseca, Collette Wolfe, Charlie McDermott e Kellee Stewart.

A máquina geradora de títulos aleatórios no Brasil conseguiu mais uma façanha, entregar a um filme que fala sobre amigos que viajam no tempo através de uma jacuzzi (hot tub) o nome que deveria ser dado para a melhor comédia do ano passado. E é justamente a temática um tanto quanto inusitada, misturando viagem no tempo com amigos em “altas confusões do barulho”, que me fez querer conferir “A Ressaca (Hot Tube Machine)”.

Reunindo um elenco interessante com John Cusack (2012), Craig Robinson de The Office e Rob Corddry, a trama segue a história de 3 grandes amigos do passado que, após mais uma tentativa de suicídio de um deles, resolvem partir em uma viagem para reanimar o sujeito. Eles viajam até um local onde, em sua juventude, se divertiram bastante. A questão é que o lugar já não está no mesmo auge e vive praticamente abandonado. É aí que entra em ação a “jacuzzi do tempo”, que levam os 3 quarentões e mais o sobrinho de um deles (Clark Duke) de volta ao ano de 1986.

Não deixa de ser uma produção mais voltada para o público masculino, com piadas sobre bebedeiras, sexo e drogas. Para os saudosistas como este que vos escreve ainda existe um ‘plus’, que é toda a nostalgia anos 80, relembrada muito bem não só no visual mas também na trilha sonora, com direito inclusive a um show do Poison durante a história.

O grande problema do filme é que, da mesma forma que temos boas piadas – sem entrar no mérito ainda de que algumas delas já haviam sido apresentadas nos trailers – a busca pelo riso fácil com cenas escatológicas e/ou desnecessárias (aquela da aposta é de uma angústia ímpar) acaba prejudicando um pouco.

Sem conseguir focar-se em ser apenas divertido, “A Ressaca” comete alguns deslizes por procurar saídas fáceis e nada originais para divertir, isso sem contar em todas as liçõezinhas de amizade deixadas na tela sem necessidade alguma. Ainda assim, vale pelo momento nostalgia e para os que procuram entretenimento descartável.

Related Posts with Thumbnails

Author: Marcio Melo

Analista de Sistemas, amante da sétima arte desde os tempos imemoriais e com muito sangue nerd fervilhando em veias hipertensas, fundou o Porra, Man! com o intuito de comentar sobre cinema de forma descomplicada e fácil de entender. Nas horas vagas torce prum time que nunca vence e mata monstros que não existem.

Share This Post On

5 Comments

  1. É, um filme excelente para uma tarde de Domingo, é só assim que definiria isso! hehehehe

    Post a Reply
  2. Deu até vontade de conferir as “altas aventuras do barulho”

    Post a Reply
  3. Demorasse a assistir esse filme!!!
    eu já tinha assistido na epoca do lançamento!!
    o filme é bonsinho, tem cenas muito boas de comédia……..nada forçado!!!
    é uma boa opção…..vale apena conferir!!!

    Post a Reply
  4. Alan, sua definição foi excelente, é isso aí.

    Rodrigo, “… com uma turminha da pesada”.

    Thiago, como vejo trocentos filmes, alguns eu espero o lançamento nos cinemas pra poder conferir, como foi o caso deste. É divertido realmente, mas nada demais.

    Post a Reply
  5. Ainda estou na dúvida se vou ver esse filme, acho que vou acabar deixando passar.

    Post a Reply

Submit a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.