A Origem (Inception)

A Origem (Inception, Ficção Científica, Suspense: 2010 – 148 min)

Direção e roteiro por Christopher Nolan. Estrelando: Leonardo DiCaprio, Ellen Page, Joseph Gordon-Levitt, Marion Cotillard, Ken Watanabe, Tom Hardy, Cillian Murphy, Tom Berenger, Dileep Rao, Michael Caine, Lukas Haas e Pete Postlethwaite.

Em Christopher Nolan nós podemos acreditar, de suas mãos já saíram excelentes obras como “Amnésia” e o último Batman “O Cavaleiro das Trevas”, e ainda outros sucessos como “Batman Begins” e “O Grande Truque”. Depois de reunir um elenco recheado de grandes e competentes atores e cercar a trama (claro, até a data lançamento) de mistérios sem revelar muitos detalhes, não me faltaram motivos para acreditar que “A Origem (Inception)seria um dos melhores filmes do ano.

Assistir qualquer produção com expectativa lá em cima, como eu fui conferir esta obra, eleva as chances de você se decepcionar. Só que Nolan entra para aquela seleta lista de cineastas que mostram que blockbusters podem ser ao mesmo tempo lucrativos, inteligentes e criativos. Desde Matrix que eu não saía de uma sala de cinema tão deslumbrado e ainda debatendo tanto sobre tudo que acabara de ver.

A trama segue a história de Cobb (Leonardo DiCaprio, Ilha do Medo) que é um especialista em roubar informações (segredos) das pessoas invadindo suas mentes durante o sonho. Certo dia ele recebe a missão de fazer algo um pouco diferente, implantar uma idéia (daí a referência ao título original “Inception”) na mente de Robert Fischer Jr. (Cillian Murphy), herdeiro de uma mega corporação. Como seu pai está prestes a morrer e lhe entregar o testamento, o cliente de Cobb, Saito (Ken Watanabe), solicita que ele faça com que Robert decida dividir a corporação.

Note que em nenhum momento é explicado como funcionam todo aqueles aparatos miraculosos para fazer com que um grupo de pessoas possa entrar num sonho de alguém e lá dentro entrar em ação, e isso na verdade é irrelevante.

A grande sacada de Christopher Nolan é se basear na psicologia e no estudo dos sonhos para construir uma intricada (e por vezes complexa) trama na qual o personagens precisam entrar em sonho, dentro de sonho, dentro de sonho. Não se sinta um burro se em algum momento você perder a noção do que é realidade com o que é sonho, afinal é aí onde mora toda a genialidade do filme, que exige sua atenção durante as quase 2 horas e meia de projeção. Eu nem pisquei os olhos.

Não bastasse um história surpreendente, envolvente e com efeitos especiais e cenas muito bem trabalhadas e editadas, ainda temos um trabalho excelente dos atores. DiCaprio dificilmente erra em algum trabalho, e aqui não é diferente. A jovem Ellen Page depois de Juno mostra que possui muito talento e tem um papel importante como “nova integrante” do grupo, fazer parte de uma espécie de tutorial para deixar o espectador um pouco menos perdido.

Não posso deixar de comentar também sobre Joseph Gordon-Levitt que fez o excelente “500 Dias com Ela” e esbanja talento e desenvoltura em cenas onde a física vai, literalmente, pelos ares. A beleza de Marion Cotillard (Nine) é uma das mais importantes peças de todo o jogo e, para não me estender ainda mais, todo o restante do elenco faz interessantes participações.

Apesar de, para alguns, parecer complexo demais, a única coisa que “A Origem” (porque os títulos nacionais insistem em ser ruins?) exige do espectador é atenção. A engenhosidade da trama é como um grande quebra-cabeças que vai sendo montado cena após cena onde tudo se encaixa perfeitamente. Não bastasse tantos acertos, Nolan ainda nos premia com um desfecho que deixa o filme “vivo” mesmo após o seu término.

Related Posts with Thumbnails

Author: Marcio Melo

Analista de Sistemas, amante da sétima arte desde os tempos imemoriais e com muito sangue nerd fervilhando em veias hipertensas, fundou o Porra, Man! com o intuito de comentar sobre cinema de forma descomplicada e fácil de entender. Nas horas vagas torce prum time que nunca vence e mata monstros que não existem.

Share This Post On

76 Comments

  1. Caralho, vc disse tudo: a última cena é a responsável pode deixar o filme vivo na nossa memória e gerar debate acalorados sobre o seu significado. Quando acabou, soltei um “filho da puta” por causa dele. Assisti no domingo e até hoje às vezes me pego pensando no filme.

    Eu prestava atenção como nunca e sempre fazia uma marcação em que sonho os personagens estavam. O despertar da personagem de Ellen Page foi sensacional.

    E eu tbm confio em Nolan para não cair na besteira de fazer A Origem 2. Assim como está tornou o filme uma obra única que Matrix I poderia ter se tornado.

    Post a Reply
  2. Quero muito ver esse filme, parece brilhante
    com a sua critica fiquei ainda mais curioso pra assisti

    esse parece ser um daqueles filmes que o cara tem que presta muita atenção pra entender e que beira a genialidade incompreensivel

    eu só fico meio inseguro de ir no cinema assisti e não entender bulhufas, vo fica querendo assisti novamente dai
    aueheuhauehauehuaeh

    Post a Reply
  3. Eu não diria que o filme é complicado, ele é elaborado.
    eeheheheheheh
    É realmente muito bom, deve entrar na minha lista de melhores do ano, só não sei se vai ser em 1º.

    Post a Reply
  4. In Nolan We Trust.
    Sério, desde Dark Knight que virei fã desse cara.
    E depois de ver o que ele conseguiu fazer com
    Inception, minha expectativa pra Batman 3
    vai nas alturas.

    Post a Reply
  5. Oi, Márcio.
    Concordo com você, os títulos nacionais quase sempre estragam tudo! Rsrs…
    Mas que bom que você gostou! Vou logo, logo assistir.
    Beijos,
    Vanessa Sagossi
    comentandoofilme.blogspot.com

    Post a Reply
  6. Ainda estou num misto de êxtase e incredulidade…realmente, é do tipo de filme que tem toda uma subjetividade e simbolismo que se tornam mais impressionantes que as próprias cenas de efeitos visuais ou de ação.

    Confesso que tive que pensar muito em diversas cenas – ainda mais no segundo ato do filme, quando um sonho se submete ao outro(os estágios das camadas do subconsciente)…

    por isso, me perdia constantemente…deixei passar certos diálogos e contextos…é, as primeiras impressões não bastam e preciso rever o filme, creio que vá ainda hoje…ontem a sala lotou…

    Achei DiCaprio merecedor de uma certa estatueta dourada, mas acho difícil…mais fácil Marion Cotillard ter indicação. Page, além de graciosa, teve momentos de pura inspiração na atuação. O elenco funcionou muito bem, de fato…e concordo que há cenas que são impactantes, mas pra mim o psicológico falou mais alto e o simbolismo, enfim.

    Bem, o filme mexeu comigo e muito…sem palavras!

    Abraço

    Post a Reply
  7. Apenas esperando a estreia na minha cidade!

    PS: Você acredita que estreiou KICK ASS na minha cidade, e não pude ver o filme por conta da classificação. PQP, rs

    Até mais =)

    Post a Reply
  8. Sim Caio, em Nolan nós confiamos e um Origem 2 seria destruir tudo tal qual fizeram com Matrix.

    Luis, acho difícil você sair do cinema sem entender nada. Basta assistir prestando um pouco de atenção, so isso

    Ramon, eu também não sei se vai ser o melhor do ano, mas até aqui, dos que eu assisti, foi o melhor.

    Mentrei, também estou ansioso por Batman 3. E Nolan trouxe muitos atores do elenco de Cavaleiro das Trevas e parece que Joseph Gordon-Levitt depois desse filme pode mesmo viver o Charada ou outro personagem…

    Vanessa, Doug e Rodrigo, corram, assistam e voltem aqui para gente discutir um pouco mais 🙂

    Cristiano, o filme também mexeu muito comigo e me perdi nele de uma forma bastante prazerosa. Saí da sala olhando pros lados e esperando tudo virar pelos ares ou as paredes do corredor comeceram a diminuir.

    Alan, Porra, Man! chamava sua mãe ou seu pai pra te levar hehehe. Baixe então, é o jeito!

    Post a Reply
  9. Vai entrar na minha lista de 10 melhores filmes de 2010 com certeza. São duas horas e meia cansativas para quem não estava esperando tamanha complexidade, mas para quem curte esse estilo de filme, é um prato cheio para grandes discussões.

    — Como disse o Caio, o final do filme inspira um grito de PQP! rsrsrs… (inclusive muitos que estavam na sessão que eu vi o filme ficaram confusos após o final) — Nada que prejudique a genialidade do filme.

    Post a Reply
  10. Verdade, você sai ainda anestesiado, já assisti duas vezes e ainda quero ver mais uma… hehe. Nolan conseguiu unir arte e entretenimento fácil. Muito bom…

    Ah, pior do que o título ser esse infeliz “a origem” é a legenda brasileira forçar a barra quando Di Caprio vai explicar the inception que ele tinha feito no passado e que na legenda aparece: “você precisa saber a verdade sobre a origem”… Ok, a gente tem que engolir…

    bjs

    Post a Reply
    • Porra, isso a gente já tava engolindo desde os trailers hehehe, tem razão Amanda!

      Post a Reply
  11. O filme é tudo isso é muito mais.
    Nolam não só conseguiu se superar de seu
    filme anterior (Batman-O cavaleiro das trevas)
    como tambem ,fez que seu novo filme seja
    lembrado por todos que.
    Nada de piadinhas idiotas e cenas sem
    noção tudo em inception tem ligação.
    Maravilhoso e pretendo assistir mais umas 30 vezes.

    Post a Reply
    • Eu também pretendo assistir novamente Beto. De Nolan o meu preferido ainda é Amnésia (Memento), mas este aqui também é sensacional.

      Post a Reply
  12. “A origem”

    Mesmo que levássemos em conta apenas a superfície imediata do entretenimento, o filme superaria a média industrial hollywoodiana. Nem tanto por mérito do jovem e talentoso Cristopher Nolan, mas graças ao arrojo técnico empregado para contar sua história mirabolante. Os efeitos visuais atingem um grau de ilusionismo assombroso. A edição é exemplar. Prêmios técnicos não faltarão ao filme.
    Há, no entanto, um pequeno detalhe.
    A música “Je ne regrette rien”, cantada por Edith Piaf, surge freqüentemente, servindo a necessidades dramáticas. Os protagonistas a utilizam como uma espécie de gatilho para retornar das viagens pelos sonhos. Depois que os inconscientes foram devidamente treinados, basta-lhes ouvi-la e todos despertam imediatamente, salvando-se de apuros eventuais.
    Mas trata-se também de uma referência exterior ao próprio filme: a canção desloca nosso raciocínio da personagem-chave “Mal” para sua intérprete, a francesa Marion Cotillard. Pois é impossível não lembrar a própria Cotillard no papel de Edith Piaf, cantando exatamente “Je ne regrette rien”.
    Enquanto “Mal” só existe no mundo onírico, a identificação da atriz com seus trabalhos anteriores faz sentido apenas no plano dos espectadores conscientes. A citação extrai os personagens de suas imersões pela fantasia e ao mesmo tempo nos retira de “A origem” (ou do “sonho” representado pelo filme) para devolver-nos à realidade exterior.
    Se qualquer outra canção preservasse o mesmo sentido conveniente à trama (“não lamento nada”), as lucubrações acima virariam delírios absurdos. Mas a escolha dessa música, entre inúmeras possíveis, é precisa e enriquecedora demais para soar casual. E assim descobrimos a essência do código metalingüístico em sua plena realização.

    Post a Reply
    • Excelente Guilherme seu comentário, parabéns. A proposta aqui do blog é ser um tanto quanto superficial mesmo.

      Comentários como o seu enriquecem o debate.

      Um abraço!

      Post a Reply
  13. Assisti o filme agora pouco e é realmente incrivel.

    Só não sei porque todos reclamam do titulo “A Origem”. Ele é perfeito, melhor que o original. Inception é tão óbvio e claro para um filme tão complexo como este. O final explica exatamente o que ele significa, a origem de tudo aquilo (difícil dizer sem dar spoilers)….

    Post a Reply
    • Bom, eu ainda acho que o título nacional dá mais spoilers do que o “Inception”. De qualquer forma este ‘problema’ é mesmo irrelevante.

      Post a Reply
  14. Opa, comecei a ler seu blog 🙂

    Gostei do filme, muito bom, mas não achei sensacional. Os atores estão muito bem, a fotografia é legal, os efeitos são fantásticos e a direção é boa. O roteiro parte de uma idéia original (pelo menos no cinema) e encaixa uma trama complexa de um modo fácil de entender. Enfim, tecnicamente é um filme muito bem feito.

    A minha crítica do filme é que toda essa trama elaborada me fez achar que teríamos um final surpreendente. O que vi foi o final que pensei no meio do filme, e que é muito parecido com filmes do gênero.

    Roteiro é o que dou mais valor, por isso acho que Inception é mais uma grande filme de Nolan, mas que daria nota 8 por ter um roteiro muito igual a outros. O melhor filme de Nolan ainda é Amnésia 🙂

    Parabéns pelo post.

    P.S.: “A Origem” é tosco e sim, dei risada quando eu li na legenda.

    Post a Reply
    • Já tava na hora Thiago 😛

      Concordo absolutamente contigo, Amnésia é o melhor filme de Nolan, mas, ainda assim, acho que vale os 5 controles.

      De qq forma é um filme que vem agradando bastante e é interessante ver um blockbuster inteligente e bem elaborado.

      Da proxima vez que Nolan quiser tocar um projeto seu a frente aposto que os investidores não vão nem querer saber do que se trata, vão dizer: “Mande bala man”. hehehe

      Post a Reply
      • “De qq forma é um filme que vem agradando bastante e é interessante ver um blockbuster inteligente e bem elaborado.”

        Concordo.

        “Da proxima vez que Nolan quiser tocar um projeto seu a frente aposto que os investidores não vão nem querer saber do que se trata, vão dizer: ‘Mande bala man’. hehehe”

        É verdade. Mas acho que já tava assim desde Cavaleiro das Trevas, hehe. Nos EUA só faturou menos do que os dois de Cameron:
        http://www.imdb.com/boxoffice/alltimegross

        Post a Reply
        • Cavaleiro das Trevas faturou alto não só nos EUA como também ao redor do mundo, sendo um dos 10 mais.

          A Origem não deve faturar tanto quanto, mas as boas repercussões ajudam ainda mais a carreira do cineasta.

          Bom pra gente.

          Post a Reply
  15. Sensacional! Assisti ontem e concordo com a maioria do pessoal; a última cena faz você sair do cinema com discussões acaloradas sobre o filme. Fazia um tempo bom que não assistia um filme tão.

    Soltei um pqp no final também … rs. Espero que pare no 1 porque concordo também: matrix foi destruído pelas continuações …

    Post a Reply
    • Fabio, muitos lançaram esse PQP no cinema, a aflição foi grande e coletiva.

      Concordo com o que disse sobre Matrix também.

      Post a Reply
  16. Zuaram com tudo!!!!

    Estava ansiosa por ver esse filme, pois todas as criticas falavam muito bem dele… Sai do cinema maravilhada! Curti cada momento, adorei a forma como cada ponta foi amarrada, e o brilhantismo do cara que ousou pensar numa historia dessas, porem…. Vem um kbeçudo e fala que eu nao entendi patavinas do filme!!! Afinal, Cobb estava sonhando no “fim” ou eles realmente conseguiram implantar a ideia e saiu todo mundo feliz da vida?

    Post a Reply
    • A graça justamente é esta, foi por isso que comentei no fim do post que Nolan “deixou” o filme vido mesmo após o seu término. Existem duas vertentes:

      1 – O peão iria cair já que ele balançou e titubeou e tudo era realidade (essa parte final)

      2 – Cobb já não estava mais nem aí se aquilo era real ou não, ele só se importava em rever os seus filhos. Mesmo que seja tudo um sonho, como ele já não consegue mais discernir o que é real para ele aquilo estaria ótimo, por isso ele nem esperou pra ver se o peão caiu ou não.

      Escolha o que melhor lhe convir e seja feliz ou, discuta e pesquisa mais por aí Glacy. 😀

      Post a Reply
  17. Bom como todos disseram, o filme é foda, me amarrei, e achei o final muito doido, mas não sai com duvidas. Para mim o Cobb estava sonhando e ficou no limbo junto com o Saito, digo isso pq:
    1- Todos acordaram no mesmo momento no avião, o q não é possivel. Eles precisam acordar antes para desmontar tudo.
    2- o final foi muito perfeito, exatamente como o Cobb imaginava/desejava, o que é bem sugestivo para um sonho.
    3- o peão vacila mas não cai, sei que o filme corta sem tempo suficiente, mas se isso da alguma informação, essa seria de que ele está sonhando.
    4 a teoria de que quando o Cobb está com a aliança é sonho e quando não está é realidade, cai por terra quando a mulher dele morre no sonho, e ai ele se “livra” dela, por isso q no sonho(para mim) do final do filme ele está sem.
    5- Desde guerras nas estrelas, todo mundo quer criar a sua franquia, com matrix não foi diferente e acho que agora tb não vai ser. Ele tem Batman, mas agora pode criar uma franquia totalmente original, por isso acho q no final era sonho, para garantir uma (infelizmente) continuação. Para resgatar Cobb do limbo e coisas do tipo…(mas se tiver continuação, em Nolan eu confio! rsrs)

    Post a Reply
    • Confesso Rafael que na hora no cinema eu fiquei com torcendo pro peão cair, mas depois de pensar um pouco e quando estava escrevendo esse post, percebi que prefiro o final como você disse ter entendido.

      Deixa o filme muito mais interessante.

      Eu também confio em Nolan, mas torço (dessa vez com força), para que fiquemos somente com este filme, sem continuações por favor!

      Post a Reply
      • Pois é Rafael/Marcio,

        também acho que o que rolou ao fim foi que Cobb encontrou Saito e possivelmente até o acordou, mas não voltou. Ficou preso lá.

        A verdade é que esse finalzinho foi foda, tá difícil de encontrar outra definição cabível!

        Post a Reply
    • “4 a teoria de que quando o Cobb está com a aliança é sonho e quando não está é realidade, cai por terra quando a mulher dele morre no sonho, e ai ele se “livra” dela, por isso q no sonho(para mim) do final do filme ele está sem.”

      Quando Cobb encontra o Saito no Limbo, no início e no fim do filme, aparece claramente a aliança. A essa altura do campeonato a Mal já houvera morrido. Então a teoria não caiu por terra coisa nenhuma. A aliança é o verdadeiro totem do Cobb!

      Post a Reply
      • Realmente, na cena inicial,onde encontra SAITO ja velho, ele esta com aliança, o que prova que mesmo ele esquecendo sua mulher, ”deixando partir”, no mundo dos sonhos ele continua com a aliança. FILME SENSACIONAL, e esse pequeno detalhe nos mostra o real final

        Post a Reply
  18. Acho que os dois ficaram no limbo, e para reforçar essa idéia, tenho a arma. Quando o Cobb encontra o Saito velho, ele sugere que o Saito deveria se matar, já que estava em um sonho, mas sabemos que o sedativo usado era forte, e portanto morrendo não acorda, fica preso no limbo. O único jeito que resta, para voltar nos níveis do sono era com os saltos, que não foram aproveitados.

    Post a Reply
    • Eu não tinha pensado nisso. Mas acho que o roteirista também não pensou (furo), ou então isso seria explicado. Ellen Page ia dizer “mas você não vai poder voltar, porque o sedativo é muito forte” e eles iam inventar alguma teoria pra explicar. Ou vai ver até já tem a explicação e a gente que tá esquecendo.
      A idéia do final era mesmo lhe deixar na dúvida.

      Post a Reply
      • Mas pessoal: quando Cobb encontra Saito eles JÁ estão no limbo … o que eu entendi é que Saito se mata e volta sim, mas Cobb não.

        Post a Reply
        • Mas a regra era: Se você se mata e o sedativo é muito forte você vai pro limbo. Ninguém disse “a não ser que você já esteja no limbo”. Pode ser, mas ninguém disse. Por isso que digo que toda essa parte não foi pensada, e é irrelevante (embora os fãs do filme vão ficar discutindo isso horas e horas).

          Post a Reply
          • Mas Thiago,

            veja só: como Cobb e a esposa saíram do limbo? Sacou?

            Abraço

          • Se matando. Mas isso não muda nada, sempre se sai do sonho se matando. O que muda essa regra é o tal do sedativo, Cobb e a esposa não tinham usado esse sedativo.

          • Não entendi assim não (isso inclusive é o gostoso de filmes assim, são bons de discutir!) ó:

            1 – Cobb e a esposa chegaram naquele nível de sonho (limbo) e ficaram lá por uma via inteira. Eles nao tinham o sedativo, então a priori também não deviam ter chegado lá, certo?

            2 – Quando o Saito é ferido e tentam matá-lo para aliviar a dor é que Cobb revela que, naquele estado sedado, se for morto você vai cair no tal do limbo. Daí citam que só ele já esteve lá … conclusão por lógica dedutiva: ele e a esposa testaram algo similar.

            Portanto, creio eu, o lance mesmo foi que ele até salvou Saito de lá matando ele, mas que ele próprio não conseguiu se desligar do seu limbo e ficou lá.

            Isso não muda o fato de que, do lado de fora, todos e até ele acordam. Para os outros foi no momento do chute, para eles algumas décadas depois … de novo!

            Abraço

          • Pois é, você concluiu por 1 e 2 que só se consegue chegar no limbo se for morto no sonho, enquanto se usa um sedativo forte. Só que antes do momento que você cita em 2, a revelação que Cobb faz, o próprio Cobb já tinha dito pra Ellen Page que ele e a esposa caíram no limbo porque tentaram “sonho dentro de sonho” em vários níveis. Não fala nada sobre se matar, nem sedativos.

          • Dava para abrir um chat ou uma videoconferência só pra gente discutir este filme

            Realmente demais! 🙂

          • Pois é meus amigos, eu ia continuar o papo por aqui mas tá poluindo o post. Fodástico!

            Abraço

          • Poluindo nada, os comentários estão ai justamente para serem uma extensão do post.

            Até porque no post eu evito entregar muitos spoilers, deixo tudo para aqui.

            []´s

  19. semana que vem, estou penssando em ir ao cinema ver!!!
    todas as pessoas que eu conheço, e que assistiram o filme, elogiaram pra caramba, dizem que vai ser o melhor do ano!!!
    é só esperar pra ver!!!

    ps: o filme é muito inteligente!!!

    Post a Reply
  20. Assiti o file A Origem. É muito bom, mas a expectativa atrapalhou. Pra mim ele esta para os psicanalistas assim como Matrix está para os profissionais de TI.

    Post a Reply
    • Expectativas às vezes atrapalha realmente, mas eu sou um profissional de TI e gostei de Matrix, obviamente, e também de “A Origem”.

      Post a Reply
  21. Bom… o meu entendimento do limbo, é que ele se configura quando ficamos presos ao sonho pelo fato de não conseguirmos fazer distinção entre o sonho e a realidade. Portanto, limbo, seria um sonho normal, mas que te prende por que vc pensa que está na realidade. No caso em particular da missão no avião, o sedativo usado era tão forte que mesmo morrendo vc não acorda, mas pensando que acordou, vai viver no sonho, achando que é realidade, ou seja, limbo!

    Post a Reply
    • Rafael,

      exatamente, acho a mesma coisa. A sua explicação foi sucinta mas respondeu a questão muito bem!!!

      Post a Reply
  22. karaaaaaaaa, o filme é muito masssaaaa…….assisti ontem nos cinemas, esse realmente vale a pena conferir nas telas, vale muito a pena, e sem contar que o filme é extremamente inteligente, é um filme que precisa de uma atenção especial, concerteza esse filme é excelente, concerteza um dos melhores de 2010!!!!

    até meu irmão que não gosta de cinema, eu forçei ele a ir, ele foi e saiu da sala eloginano o filme pra caramba!!!

    foi muito massa, sem palavras!!!

    Post a Reply
    • Ainda estou em débito este ano com: Principe da Persia, Toy Story 3 e Como Treinar Seu Dragão.

      Vou tentar assistí-los em breve!

      Post a Reply
  23. Sei q está fora do tema do post, mas como foi mencionado…, Toy Story 3 é muito bom tb, ta perdendo um filmaço!

    Post a Reply
  24. O q “EU” entendi eh q na hr q eles conversam sobre os sedativos rola akela conversa de que ficaria por 10 anos sonhando… sem acordar… e o que é explicado qdo u japa toma o tiro é que nakele momento ele nao acordaria pq eles haviam tomado o sedativo a pouco tempo.. já qdo os dois se encontram o efeito já estaria bem mais fraco que no caso eles conseguiriam voltar a realidade… tanto que a ellen diz q acredita q eles vao se salvar… e qto ao final eu tbm nao acredito nessa do final ser realidade… feliz demais e akelas crianças nunk crescem ¬¬ mas ameii o filmeee merece um oscar ao menos de efeitoss… adorei o post =D

    Post a Reply
    • Carol, sem dúvidas é um dos grandes filmes de 2010, difícil não adorar.

      Obrigado pelo elogio 😀

      Post a Reply
  25. Acabei de ver o filme com a patrôa. Não vi nada de diferente do que já foi dito aqui nos comentários.
    o roteirista dese filme fumou vários. muito fóda o encaixe de tudo.
    abrá

    Post a Reply
  26. Não podemos esquecer que quanto mais profunda a camada, mais tempo demora. Se a missão de acordo com os planos ia durar anos, enquanto na realidade seriam apenas 10h, imagina na última camada, onde o Saito e o Cobb estavam.

    Post a Reply
  27. Na boa, interessante ver como “críticos” desse nível sempre caem na onda do povo e acaba falando bem de filmes que qualquer babaca gosta enquanto filmes que fizeram menos sucesso são maus falados. Vim aqui ver a critica de Pandorum após ver novamente o filme, e mais uma vez vi um “crítico” falar exatamente as mesmas besteiras, na verdade parece que boa parte da sua critica foi copiada do Omelete.

    Já estava pensando mal da Origem só pelos comentários de gente idiota que vai ver qualquer coisa com muitos efeitos especiais, pseudo-intelectual e com Leonardo de Cabrio (pouco me fudendo se escrevi certo). Fui ver, é sinceramente, achei um lixo da pior qualidade, mais um filminho querendo fingir ser um filmão. Gosto é gosto, mas considero quem gostou desse filme como pelo menos 1 dos três tipos de pessoas que eu falei a cima.

    Post a Reply
    • 1º – Eu não sou crítico, quem lhe disse isso?

      2º Não tem nada copiado aqui do Omelete, onde foi que você viu isso?

      3º Se todo mundo que não concordar com sua visão (ridícula, diga-se de passagem) for idiota meu amigo, viva em seu mundo onde só você é o espertão.

      Abraços

      Post a Reply
      • Não tinha nem como copiar o Omelete, que fez comentários superficiais e detonou filmes que podem até desagradar, mas não podem ser subestimados, como Inception e Black Swan. Parece que lá eles estão justamente adotando a tática contrária(se todos acham o filme uma obra-prima vou detonar o filme para que eu pareça mais inteligente que o filme criticado).

        Post a Reply
        • Obrigado Lina, por me defender. De vez em quando aparecem uns palhaços aqui e acham que não vou responder a altura.

          Acompanho o Omelete e críticas como a de Cisne Negro e Distrito 9 que ganharam notas baixas lá me surpreenderam assim como você.

          Talvez você tenha razão, eles querem um pouco de polêmica e buzz talvez!

          Post a Reply
  28. Adorei o filme. Por incrivel que pareca, eu tambem nao gostava dele, mas hoje acho o Leonardo um ator excelente – Ilha do Medo, Diamantes de Sangue… e esse. Saímos do cinema zonzos. meu marido e eu. E eu tinha tido um P* pesadelo no dia, ahahah.

    Post a Reply
    • Sim Adrianne, DiCaprio vem se mostrando um grande ator realmente.

      E esse filme está entre os melhores do ano.

      Post a Reply
  29. CARALHO. Que filme foda. Assisti no dia 17 de Setembro (só tinha 5 pessoas na sala, contando comigo,rs’). Tava com sono, achei que o filme ia ser chato, mas o magistral Nolan me surpreendeu mais uma vez, com este espetacular ‘A Origem’ (eu achei o nome bom, haha’). Leonardo Dicaprio tem uma excelente (senão magnífica) atuação. Ellen Page (de Juno) é tipo .. nossa guia para entender as questões que ficam no ar.

    Para mim, é o melhor de 2010 . Será que merece o Oscar ? Para mim sim, melhor som, efeitos especiais, ator (Dicaprio) e atriz coadjuvante (Cotillard).

    Abraços, Samuka (:

    Post a Reply
    • Eu achei ele um dos melhores do ano, o melhor de todos ainda não sei, tem muita coisa ainda pra rolar.

      Quanto ao Oscar acho complicado

      Post a Reply
  30. Acho que dá sim para ganhar o Oscar. Ah, gostei muito tbm do ‘Shutter Island’ .

    Post a Reply
    • Sim, A Ilha do Medo é muito bom realmente e nestes dois filmes DiCaprio esbanja talento. Eu disse isso em relação ao Oscar por achar que este filme não faz o estilo da academia.

      Post a Reply
  31. Com todoo respeito, achei fraco, confuso, sonifero, cansativo embora tenha qualidades! O final é legal mas embola tanto que hoje ,um tempo depois, de ter assistido nem me lembro o que aconteceu!

    Post a Reply
    • Fraco e confuso? De forma alguma, o filme é muito bem elaborado e pra quem presta atenção consegue entendê-lo facilmente.

      Post a Reply
  32. o problema de filmes assim é que muitas pessoas falam
    mano presta atenção, po eu não entendi, isso faz com que as pessoa fiquem pensando nisso o filme inteiro, tipo eu tenho que presta atenção, não posso pisca
    e é ai que acaba não entendendo….
    E sem duvidas é um filmaço

    Post a Reply
    • O filme é bem elaborado mas é nada de outro mundo não e pode piscar as vezes sim Pablo.

      A questão é que ele, por ter um final “aberto” a discussões, deixa algumas pessoas perdidas.

      Mas é um grande filme sem duvidas.

      Post a Reply
  33. Dos filmes dele, TDK e Amnesia são infinitamente melhores.Ilha do Medo(praticamente a mesma historia) do Scorcese, então, nem se compara como filme e experiencia cinematografica(sem precisar apelar para efeitos).O roteiro é confuso sim,tem o final aberto e nem de longe se aproxima do final aberto, mas elegante de um Labirinto do Fauno.Procurar detalhes e mais detalhes idiotas que não levam a nada gerou a aberração do Lost.Isso só prejudica o filme com o passar dos anos.

    Post a Reply
    • Também acho “Cavaleiro das Trevas” e “Amnésia” melhores, mas este é um filme excelente também e muito bem elaborado. Não achei ele confuso, só precisa assistir e prestar atenção (um pouco só).

      E o final dele então, achei muito interessante. Deixou aberto mas sem esse lance de deixar detalhes malucos no modo “Lost”, acho que não se compara.

      Post a Reply
  34. Vi esse Filme na semana passada realmente ele é do baralho fazia tempo em que eu não prestava tanta atenção no filme como manipular seus proprios sonhos e desejos filme com o Leonardo sempre são bons.Falar do Batman é covardia os 2 melhores batmans que eu vi em vida rs esse diretor tem futuro.

    Post a Reply

Trackbacks/Pingbacks

  1. Os filmes mais esperados de 2010 | Porra, man! - [...] Confira a Crítica do Filme ] Novo trabalho de Christopher Nolan, responsável por grandes filmes como “Batman o [...]
  2. E a colé de merma desse Oscar 2011? | Porra, man! - [...] A Origem (Inception) [...]
  3. Pânico 4 (Scream 4) - Nova Década, Novas Regras? | Porra, man! - [...] muito bem a metalinguagem para falar (e rir) de si mesmo e de outros trabalhos do gênero. Se em…
  4. O Preço do Amanhã (In Time) - Crítica do Filme | Porra, man! - [...] papéis mas também não chega a comprometer. Temos ainda o agente do tempo , Cillian Murphy (“A Origem”), a…
  5. Primer (2004) - Um verdadeiro desafio cerebral - […] você é um(a) daqueles(as) pessoas que acredita que “A Origem” ou “Donnie Darko”, por exemplo, são filmes que precisam…
  6. Criando meu Primeiro Game - Parte 2: Tutoriais Mágicos e a Síndrome dos Objetos Brilhantes - POCILGA - […] para si mesmo e para qualquer um que me perguntar que sim, eu sou um game designer. É tipo…

Submit a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.