Se tem uma coisa que eu não gosto de fazer é falar mal de produções nacionais, só que filme mal feito é ruim independente de sua nacionalidade. Em “400 Contra 1 – A História do Comando Vermelho” o que vemos é mais do mesmo, aquela mania de tentar fazer algo próximo do que Fernando Meireles fez com “Cidade de Deus” que, no final das contas, se torna apenas mais uma produção totalmente dispensável.

Baseado em livro homônimo de William da Silva Lima, “400 Contra 1” conta a história da formação do que se tornaria uma das maiores facções criminosas do país, o Comando Vermelho. A trama se passa entre os anos 70 e 80, onde o grupo começou a se mobilizar no presídio de Ilha Grande no Rio de Janeiro.

Fica a cargo de Daniel de Oliveira interpretar o protagonista (o autor do livro) William, que é o responsável por iniciar a base da organização criminosa. Com o lema Paz, Justiça e Liberdade (deturpados da melhor maneira possível, afinal estamos falando de criminosos), o movimento começa a agir dentro do presídio carioca.

Daniel de Oliveira é um grande ator e gosto de alguns trabalhos seus, só que aqui ele tenta suprimir seu jeito mineiro com um carioquês tosco e muito mal falado. Destaques mesmo entre os atores são os de Fabrício Boliveira, que interpreta  Cavanha e ainda Daniela Escobar, que não sei como conseguiu ficar incrivelmente horrorosa, parabéns aos maquiadores e figurinistas.

Tentar contar uma história séria querendo passar alguma mensagem e, ao mesmo tempo, querer ser um filme descolado e engraçado, faz com que “400 Contra 1” não chegue a lugar algum. Só que o maior problema aqui é a forma em que ele foi montado. É tanto “vai e vem” na linha do tempo que tudo se torna incrivelmente chato, desinteressante e sem impacto algum.

Na verdade fica comprovado que mesmo com uma história curiosa (não vou entrar naquelas discussões de ‘dignificação’ da bandidagem, isso é balela) e uma bela fotografia, se você não encontrar a melhor forma de contar a sua história, você pode destruir todo o seu trabalho. De tanto ficarmos indo e vindo na linha temporal, fica parecendo que o filme não tem nenhum clímax ou algum ‘lugar’ interessante a se chegar e pior, parece que ele tem na verdade “400” minutos de duração.

Arrastado, monótono e sem alma, “400 Contra 1” é mais uma produção nacional que não diz ao que veio, não sei se servirá nem para entrar em algum tipo de estatística. Não é esse o cinema nacional que tanto apoio e gosto de ver.

400 Contra 1 (Policial, 2010 – 95 min)

Dirigido por Caco Souza com roteiro por Victor Navas e Julio Ludemi adaptando livro de William da Silva Lima. Estrelando: Daniel de Oliveira, Daniela Escobar, Branca Messina, Fabrício Boliveira, Lui Mendes, Jefferson Brasil, Jonathan Azevedo, Rodrigo Brassoloto, Felipe Kannenberg e Negra Li.

Related Posts with Thumbnails