Welcome To Dongmakgol (Drama, Comédia: 2005/2006 – 133 min)

Dirigido por Kwang-Hyun Park com roteiro por Joong Kim e Kwang-Hyun Park, adaptando obra teatral de Jin Jang. Estrelando: Jae-yeong Jeong, Ha-kyun Shin, Hye-jeong Kang, Ha-ryong Lim, Jae-kyeong Seo.

.

.

.

São as vezes em simples comentários ou indicações que recebo para minha lista de filmes a assistir que vejo que o tempo que gasto das minhas raras (e cada vez mais escassas) horas livres que tenho durante a semana aqui com este blog, sem maiores retornos financeiros, vale muito a pena. A leitora Ane, depois do meu post sobre o ótimo filme sul-coreano “O Hospedeiro (The Host)” me recomendou dois filmes do país, um deles o excelente, lindo e emocionante “Welcome to Dongmakgol”.

Baseado em uma peça teatral e vencedor de vários prêmios no ano de 2005 ele é ambientado durante a guerra entre as Coreias do Norte e Sul no início dos anos 50. Trata-se de uma bonita mensagem de paz que as vezes, infelizmente, só o cinema pode apresentar.

Na trama somos apresentado a um trio de soldados norte-coreanos tentando se safar de uma emboscada, dois sul-coreanos que se encontram de uma forma inusitada e também procuram um local seguro, um soldado americano que cai depois de ter seu avião abatido. Todos eles acabam se encontrando num vilarejo chamado Dongmakgol esquecido pelo tempo e totalmente alheio aos acontecimentos do mundo e principalmente da guerra.

Os aldeões, em especial a inocente jovem Yeo-il (autista talvez?), transformam a vida destes soldados inimigos de guerra fazendo com que, aos poucos, o clima de tensão e hostilidade dê lugar a uma belíssima trajetória.

Alguns podem apontar até um ou outro clichê e previsibilidades no roteiro, mas é muito pouco para uma direção excepcional e que mistura muito bem drama com profundas críticas antiguerra e cenas de humor, beirando as vezes o pastelão. A sintonia entre a parte visual, técnica e o trabalho do elenco é perfeita.

Trata-se realmente de uma obra excelente e que, mesmo conhecendo poucos filmes sul-coreanos, tenho certeza que deve ser um dos expoentes do cinema local. Poucas obras como “Welcome to Dongmakgol” são capazes de lhe fazer rir, emocionar e refletir ao mesmo tempo, e isso sem dúvidas deve ser levado em conta nesta linda história sobre amizade.

Como eu sempre gosto de frisar, cinema é antes de tudo emoção, sei que entendo quase nada da sétima arte, mas são trabalhos como este (e tenho que agradecer mais uma vez a leitora Ane, que ganhou pontos comigo agora) que me fazem continuar escrevendo. E é uma pena que existam coisas no mundo que só o cinema possa fazer (como unificar inimigos mortais, sul e norte-coreanos) mesmo que seja por apenas pouco mais de duas horas, só isso já vale muito.

Related Posts with Thumbnails