O Livro de Eli (The Book of Eli)

O Livro de Eli (The Book of Eli – Ação, Aventura, Ficção Científica: 2010 – 118 min)

Dirigido por Allen e Albert Hughes com roteiro por Gary Whitta. Estrelando: Denzel Washington, Gary Oldman, Mila Kunis, Ray Stevenson, Jennifer Beals, Evan Jones, Joe Pingue, Frances de la Tour e Michael Gambon.

Tive que recorrer a meios não muito corretos para poder conferir “O Livro de Eli (The Book of Eli)” já que na época em que estava sendo exibido nos cinemas, apesar de meu enorme interesse no filme, não consegui assistir. Além de estar inserido num contexto que amo (cenário pós-apocalítico) é daquelas obras que certamente farão mais sucesso no futuro do que no presente, justamente por deixar diversas interpretações após o seu desfecho.

Na trama acompanhamos a jornada de Eli (Denzel Washington) em sua missão particular de levar o tal livro (a última Bíblia no mundo) para o Oeste. Inserido num verdadeiro caos e cenário de barbárie que o nosso planeta se transformou, tudo é seco, morto e bastante quente. Certo dia ele chega até uma ‘cidade’ (que está muito mais para vilarejo pós-apocalítico), em que o que seria o Xerife local (Gary Oldman), está movendo o mundo para encontrar tal livro.

O visual e cenário totalmente morto deixa de forma bastante visível transparecer o que aconteceu para que o mundo ficasse daquela forma. E muitas coisas são apenas insinuadas, não existe aqui um didatismo ou historinhas com “flashbacks” mostrando como tudo aconteceu, e isso é um ponto forte desta obra.

Para os menos “atentos” fica também um belo filme, com ótimas cenas de ação e lutas muito bem coreografadas. Aliado a isto temos um Denzel Washington inspirado e fazendo um trabalho bastante convincente. O restante do elenco ainda que não esteja muito inspirado, como Mila Kunis (Ressaca de Amor)  que se resume a ser apenas ‘a gostosa’ (papel que faz com maestria em todos seus trabalhos), não atrapalha.

Mas o melhor de “O Livro de Eli” está em tudo o que ele não explica, em tudo que fica nas entrelinhas, principalmente em passagens que nos remetem a momentos históricos e até filosóficos (a criação do mito). O filme fala sobre fé de uma forma em que ambos lados (agnósticos e fiéis) encontram interpretações que possam lhe agradar e fazer bastante sentido.

Ainda que eu não o tenha achado nada de outro mundo, muito menos uma grande pérola da sétima arte, não tenho como negar que trata-se de um bom filme. Claro, gostar mais ou menos dele só depende do quanto você esteja interessado em viajar nas diversas interpretações que ele deixa no ar.

Related Posts with Thumbnails

Author: Marcio Melo

Analista de Sistemas, amante da sétima arte desde os tempos imemoriais e com muito sangue nerd fervilhando em veias hipertensas, fundou o Porra, Man! com o intuito de comentar sobre cinema de forma descomplicada e fácil de entender. Nas horas vagas torce prum time que nunca vence e mata monstros que não existem.

Share This Post On

11 Comments

  1. Ae Marcio! Esse filme vale um post noturno. Gostei muito dele, na época assiti no cinema esperando um apenas bom filme de ação (como visto no trailer). Me surpreendi ao perceber que continha uma filosofia imbutida ali, a criação de um mito, a jornada do herói, etc, etc… Além de uma reviravolta bem legal.

    Obs’ Não sei se isso foi proposital mas se vc repara bem, o filme começa TOTALMENTE em tons monocromáticos (sépia) e discretamente vai “ganhando” cor no decorrer da história. Faça um teste: pegue a primeira cena de Eli na cabana e os momentos finais dele atravessando a ponte de NY e compare.

    Achei uma sacada legal do diretor.

    Post a Reply
  2. Linno, acabei não me atentando para este fato do filme iniciar ‘monocromático’ e terminar com mais ‘cor’, sem dúvidas deve ter sido mais uma das boas sacadas que “O Livro de Eli” tem.

    É um filme que tem mesmo tudo para ser cultuado futuramente

    E valeu pelo comentário noturno, também é muito bem vindo por aqui 🙂

    Post a Reply
  3. como é o desenrrolar desse filme? Assiti o A Estrada depois que vocÊ fez seu release mas eu achei muito paradão e acabei achando chato e cansativo e muito clichÊzão com a atuação do menino.
    sim, mas esse aí perece bom!!.

    Um meio apocaliptico é o Filhos da Esperança, ainda quero comprar o dvd dele mas sempre esqueço.

    Post a Reply
  4. Uraí, realmente “A Estrada” é bem parado e eu tinha até comentado isso, apesar de ter adorado mesmo assim.

    O Livro de Eli não é assim, é movimentado tem umas cenas de ação boas e tem uma ‘pegada’ Mad Max também.

    Cristiano, não é nada de outro mundo mas vale a pena sim!

    Post a Reply
  5. O filme tem bons momentos, mas acho que a filosofia se perde com o desfecho e destino do livro. Não fala daquela virada que foi genial, a cara de Gary Oldman foi ótima (apesar de achar que ele está uma cópia mal feita de seu personagem em O quinto elemento).

    SPOILER ON
    O que me frustou foi depois de tanta coisa, o livro ir parar em uma prateleira junto a tantos outros livros religiosos, achei que fosse ter uma missão mais profética, um símbolo de salvação… Eli se acabou para levar o livro intacto, deixando várias pessoas morrerem no caminho, para o final ser aquilo? Pensei que quando ele a salvou dizendo que passou tanto tempo lendo o livro e não o praticando, algo ia mudar. Mas, que mensagem ele passou à menina, se no fim ela voltou para casa com a mesma postura que ele no começo?

    Post a Reply
  6. Amanda, quanto ao final do livro acho que ele também, como as outras coisas apresentadas no filme, podem ter mais de uma interpretação.

    Ele foi colocado ao lado de outros livros que deveriam ser tão importantes quanto a Bíblia e não a Bíblia ser mais importante do que ele.

    Se ainda não leu recomendo que dê uma olhada no post que o Evandro Venancio fez sobre o filme, ele detalha muito melhor essas “filosofias” e “viagens” do filme:

    http://www.evenancio.com/2010/06/o-livro-de-eli.html

    Post a Reply
  7. É man, esse aí nem fiquei com vontade de encarar esse filme não.

    Post a Reply
  8. Quando ele tava no cinema não tive vontade de conferir, e nem tenho agora, mas devido a alguns elogios que ele vem tendo eu fiquei um pouco curioso pelo filme. Ótima resenha!

    Post a Reply
  9. Ramon, você já não tava afim antes e depois de ter assistido acredito que não é muito o seu estilo mesmo não.

    Alan, obrigado e o filme é legal, mas não é imperdível!

    Post a Reply

Trackbacks/Pingbacks

  1. Tweets that mention O Livro de Eli (The Book of Eli) | Porra, man! -- Topsy.com - [...] This post was mentioned on Twitter by Marcio Melo, Wellington Azevedo. Wellington Azevedo said: @porra_man ótima a crítica de…
  2. Crítica do filme Incontrolável (Unstoppable) | Porra, man! - [...] entram as figuras do maquinista que já trabalha há 28 anos na companhia Denzel Washington (O Livro de Eli)…
  3. >Destaques do cinema em 2010 | cinemosaico - [...] e “meloso”. * Ficção científica sombria com um toque de saga de samurai. “O Livro de Eli“…
  4. Cinemosaico » Destaques do cinema em 2010 - [...] e “meloso”. * Ficção científica sombria com um toque de saga de samurai. “O Livro de Eli“…

Submit a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.