Tudo pode dar certo (Wathever Works)

Tudo Pode Dar Certo (Whatever Works, Comédia, Romance: 2009 – 93 min)

Direção e roteiro de Woody Allen. Estrelando: Larry David, Evan Rachel Wood, Patricia Clarkson, Ed Begley, Conleth Hill, Michael McKean, Henry Cavill, Jessica Hecht, John Gallagher, Carolyn McCormick, Christopher Evan Welch.

As obras de Woody Allen têm sempre aquela pegada leve e divertida junto com o seu costumeiro humor ácido e excelentes diálogos. Acredito que seja isso que faça com que seus filmes sejam bastante acessíveis para o público mais geral, que quase sempre torce o nariz para cineastas cultuados pela crítica.

Em “Tudo pode dar certo (Wathever Works)” toda a sua ‘marca registrada’ está presente, até mesmo ele está, ainda que seja interpretado pelo ator Larry David que faz um ‘alter ego’ seu um pouco mais exagerado. Mesmo que não seja daqueles seus projetos que merecem ser imortalizados, eu gostei bastante dele e acho que a mistura na dose certinha entre comédia e romance deve agradar quem procura um leve entretenimento, ainda que logo no início o personagem principal lhe diga o contrário.

A trama segue então a vida de Boris (Larry David), um físico no alto de seus 74 anos que quase foi nomeado ao prêmio Nobel e que tem que “suportar” viver com uma raça tão insignificante e burra como os seres humanos. O jeito como ele trata todos a sua volta de forma rabugenta e cheia de insultos é de uma sinceridade ímpar. Ele tem um ‘lema’ para todos os acasos que ocorrem em sua vida, “Tudo pode dar certo”.

O filme já inicia com Boris conversando com o espectador, do jeito que Allen gosta e já fez em outros grandes trabalhos seus e, a partir daí, vamos caminhando e seguindo a história deste personagem tão peculiar. E daí se uma linda jovem (interpretada pela bela Evan Rachel Wood da série True Blood) aparece em sua porta precisando de abrigo? E daí se uma jovem tão bonita (no início ela é apenas mais ou menos) e um senhor de 74 anos podem ter um caso? E daí se as pessoas podem mudar com o passar do tempo e ter visões diferentes de vida? Tanto faz, afinal, tudo pode dar certo (não resisti, perdoem-me).

Boris é recheado de neuras, é hipocondríaco até a alma (quem cantaria parabéns duas vezes para dar tempo de lavar bem as mãos todas as vezes?) e tem uma língua altamente afiada, insulta todos sempre, até mesmo seus alunos de xadrez que são apenas crianças, na verdade seres burros e estúpidos que não conseguem sequer enxergar um peão envenenado. Mesmo assim, apesar de todos os acasos e adversidades que possam aparecer na sua vida, ele segue sendo a mesma pessoa.

O elenco faz um trabalho muito interessante e é gostoso de ser ver a gracinha da Evan Rachel Wood com seu jeito ingênuo aceitando todos os insultos que Boris faz a sua personagem e até aprendendo e mostrando lampejos de inteligência (na verdade ela quase nunca sabe o que está falando, ainda que seja interessante). Outro destaque, sem contar ainda com Larry David que está divertido demais, é a atriz que faz a mãe da jovem, Patricia Clarkson, simplesmente excelente em seu papel.

Novamente Woody Allen nos presenteia com uma comédia inteligente e muito divertida. O desfecho deixa um pouco a desejar e o filme tem alguns clichês aparentes, entretanto, como o próprio cineasta deixa transparecer neste seu trabalho, as vezes é necessário um pouco de clichê em nossas vidas. Por quê teria que ser diferente no cinema?

Related Posts with Thumbnails

Author: Marcio Melo

Analista de Sistemas, amante da sétima arte desde os tempos imemoriais e com muito sangue nerd fervilhando em veias hipertensas, fundou o Porra, Man! com o intuito de comentar sobre cinema de forma descomplicada e fácil de entender. Nas horas vagas torce prum time que nunca vence e mata monstros que não existem.

Share This Post On

5 Comments

  1. Quero muito ver esse filme, só não sei se vou ter tempo de ver no cinema.

    Post a Reply
  2. Ahhhhh man, quero muito ver este longa, gosto do Allen e esse filme parece ser mesmo muito bom!
    Ótima resenha! xD

    Post a Reply
  3. Ramon e Alan, para vocês que já curtem o estilo de Allen vale muito a pena mesmo o filme.

    Post a Reply
  4. No geral eu gostei, mas tem partes que custam a passar. Mas é Woody Allen, eu sou fã e curti hehehe

    Post a Reply
  5. Como eu curto os trabalho de Woody Allen e Larry David, gostei bastante do filme, que parecia uma versão de Allen pra o seriado estrelado por David, Curb Your Enthusiasm (Segure a onda, aqui no HBO Brasil). Por sinal, o seriado segue este mesmo estilo de humor e recomendo.

    Como vc idsse, dava pra ver o diretor incorporado em Boris. Pena q vai ter uma vida curta nos cinemas.

    Post a Reply

Submit a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.