Lost – a série, o fim e os mistérios não resolvidos

Agora que as ideias já foram melhor assimiladas em minha mente, posso comentar sobre tudo o que penso a respeito de Lost. De seu início arrebatador até o desfecho (que desagradou alguns) muita coisa aconteceu, muitos mistérios nunca foram resolvidos, mas a experiência de ter vivido Lost foi algo realmente único.

Aviso de SPOILERS: Se não quer saber nada a respeito dos acontecimentos de toda a série pare por aqui.


Lost, muito mais que um simples seriado

É importante salientar antes de tudo que o que vou escrever aqui (não vão ser poucas palavras portanto, você que gosta de ler “figuras”, se prepare ou vai pro Kibeloco) é baseado em tudo o que EU penso sobre este fantástico (em minha opinião) seriado. Posso estar errado, aliás, talvez nem exista essa coisa de certo ou errado.

Em minha ‘coleção’ de séries que já vi e ainda estou vendo, existem algumas que tenho até mais carinho e apreço que Lost. Se eu tivesse que escolher a minha série favorita até aqui eu diria ser Battlestar Galactica, entretanto, Lost foi um evento tão grandioso que realmente fica difícil comparar com outros seriados pelo simples fato de, ao menos em minha opinião, ser muito mais que isso.

O que é a Ilha? Ela é real?

Eu sei que é uma questão boba, mas acreditem, tem gente que ficou confuso com tudo o que aconteceu no desfecho da série depois de descobrirem que estão todos mortos. A verdade é que se trata de um fato simples e que pode ser explicado somente pelas palavras do Pai de Jack (no mesmo instante que ele diz que estão todos mortos): “Tudo que aconteceu com você foi real”.

Alguns morreram antes, outros depois de Jack (como vimos na cena final em que ele fecha os olhos), mas tudo aquilo existiu e a tal realidade paralela era na verdade esta espécie de “lugar/tempo/espaço” onde eles tinham uma vida que julgavam como perfeita, mas que precisavam relembrar uns dos outros para poderem seguir em frente, mesmo sem saberem a princípio disto. Daí a importância de Desmond.

As imagens dos destroços do avião da Oceanic mostradas no episódio não foi nenhum indício de que todos estivessem mortos desde o início da série, mas sim uma homenagem e um momento de lembrança (e isso foi confirmado pelos produtores). Quem acreditou nisso tem razões para se matar para ficar chateado, só que é totalmente incoerente este pensamento.

Iniciativa Dharma, os Outros e as Experiências: Tiveram alguma importância para história?

Partindo do que de verdade foi “A Ilha” de Lost, claro que fica a questão de todas aquelas experiências feitas pela Iniciativa Dharma, as vertentes do mundo da  física e estudos antropológicos, e isso vai de ursos polares às viagens no tempo. Para muitos o desfecho acabou “jogando fora” tudo o que foi apresentado durante o “meio” da série.

Vale a reflexão sobre alguns acontecimentos em nosso mundo real que colaboraram com este fato. Atores exigiram muito dinheiro para participarem da temporada final, outros pediram pra sair no início da temporada como o ator que fazia Michael, o pai de Waaaaaaallllt, para poder fazer uma outra série. Quando ele retornou a história já havia avançado demais.

Sem contar que o próprio canal pediu para estender a série para poderem lucrar mais é óbvio. E se estava fazendo sucesso tudo aquilo, gerando discussões, jogos, sites, poadcasts mundo afora e atiçando a curiosidade das pessoas porque não continuar alimentando?

Pode parecer estranho para alguns, mas as séries televisivas são feitas para darem retorno (dinheiro mesmo amigo) e não apenas para agradar quem está assistindo. É cruel, mas é verdade.

Eu particularmente achei que serviu aos dois propósitos. Qual série me fez ficar vasculhando tanto tempo na web atrás de respostas, ficar discutindo sobre teorias loucas e até escrever diversos posts (como este) aqui no blog? Se você acha que um final que não tenha sido aquilo que você imaginou na sua cabeça (e nada que alguém tenha lhe prometido) pode destruir 6 anos de um entretenimento único, então amigo, você é uma pessoa difícil de agradar, e só quem tem a perder é você mesmo.

Talvez todas estas coisas não tenham tido tanta importância para o final da história se você foi uma destas pessoas que queriam de qualquer jeito explicações plausíveis e pautadas na ciência.

Lost sempre foi esta mistura de crenças e ‘verdades‘, pense na série como o personagem de Jack Sheppard, um homem de ciência e de fé, um personagem que nunca acreditou em sorte ou destino, muito menos tinha um lado espiritual forte. Ele foi crescendo ao passar das temporadas e deixando de se apegar tanto a racionalidade e aceitando – o mais importante no final das contas foi aceitar – que nem tudo pode ser explicado e muitas vezes precisamos apenas ter a certeza em algo ‘inexplicável’ (fé para os leigos) que tudo vai dar certo.

As lacunas abertas

A frase dita pela mulher que criou Jacob e o homem de preto (depois de gentilmente assassinar a mãe verdadeira deles e pegar os filhos para si) teve um certo tom jocoso com os fãs ávidos por respostas dos milhares de mistérios criados no decorrer das temporadas.

“Toda pergunta que você me fizer levará a outra pergunta”.

Mas a frase acima pode não servir como desculpas para deixar tanta gente na mão, pelo menos algumas pessoas que se sentiram traídas ou feita de trouxas por esperarem por respostas que nunca surgiram.

Para mim existem alguns fatos que devem ser levados em consideração, além de ficar discutindo sobre a afirmação da frase acima. O mistério foi o elemento mais importante de toda a série, foi ele que fez milhares de pessoas ficarem antenadas com tudo o que aparecia sobre Lost ao redor do mundo, sejam livros publicados, games, sites, fóruns de fãs, comunidades, etc. E terminar a série com muitos mistérios em aberto faz com que Lost continue, mesmo depois do seu fim, sendo o que sempre foi.

Outro ponto que gostaria de comentar é o fato de que algumas respostas dadas nesta temporada foram deprimentes e sem graça alguma. Quando as respostas eram dadas diretamente, tipo quando o homem de preto assumiu ter sido o responsável por aparecer como o pai de Jack e ter levado ele a fonte de água ainda na primeira temporada, ou ainda a explicação para os tais sussurros, foram momentos totalmente ‘anticlímax‘.

Em contrapartida ainda temos a questão de quando as respostas são dadas de forma mais sutil ou indiretamente, tem gente que não entende, acha complicado demais e começam até a fazer ligações que não existem, o que levam elas a odiarem tudo, a exemplo de pessoas que acreditaram que todos estavam mortos desde o primeiro acidente de avião, fato este que já havia sido desmentido no início da série pelos criadores/produtores e precisou ser desmentido novamente.

Entre ter mistérios em aberto a ter respostas deprimentes dadas de mão beijada, eu prefiro ficar com o  inexplicável.

O desfecho deixou a desejar?

Grande parte das pessoas que estão até hoje a reclamar da forma como tudo terminou era do grupo dos que esperavam explicações plausíveis e baseadas na ciência. Eu até concordo que o último episódio poderia ser um pouco mais ‘surpreendente‘, entretanto, foi um desfecho bom para uma série que foi excelente na maior parte destes 6 anos de jornada.

Só que o maior problema de não terem conseguido agradar todos os fãs (nem vem com aquele papinho de “nem Jesus agradou a todos”) é que como a série sempre foi muito “aberta” a diversos tipos de elucubrações e devaneios das pessoas ao redor do globo, muitos não entendem que a maior parte de seus desejos e anseios foi apenas algo que ele próprio criou em sua mente.

Pensem comigo, se você fizesse uma viagem para um lugar que lhe disseram mil maravilhas e, durante o percurso, você adorou as paisagens, os lugares por onde passou e teve ótimos momentos de diversão. No final dele você chega a um lugar que não é lá tudo aquilo que pensava ser (como você tinha criado em sua mente). Se você acha  que toda a viagem foi uma perda de tempo e não serviu de nada por isto, você realmente não tem como gostar de Lost.

Resumindo, foi um desfecho “ok” para uma série que apesar de seus altos e baixos, no geral, foi muito boa e se tornou sem dúvidas um grande acontecimento, uma experiência de entretenimento jamais vista.

Como seguir adiante?

Assim como os personagens da série, por mais impossível que pareça ser, temos que seguir adiante. Encontrar outra série a altura de Lost que envolva tanto como ela não vai ser uma tarefa simples e acredito até que demorará muito para alguma outra atração suprir esta falta que ela irá fazer.

Acredito ainda que não termina por aqui, Lost se perpetuará em futuros extras em DVDs e Blu-Rays que serão lançados e até aqui no blog terá ainda alguma vida a frente.

Estou voltando a programação normal com a mistura de Cinema, Séries e TV, mas ainda tenho algumas coisas a publicar futuramente sobre Lost, aguardem (ou não).

Related Posts with Thumbnails

Author: Marcio Melo

Analista de Sistemas, amante da sétima arte desde os tempos imemoriais e com muito sangue nerd fervilhando em veias hipertensas, fundou o Porra, Man! com o intuito de comentar sobre cinema de forma descomplicada e fácil de entender. Nas horas vagas torce prum time que nunca vence e mata monstros que não existem.

Share This Post On

49 Comments

  1. Concordo plenamente, o mais importante foi a jornada e não o ponto final, que eu gostei também. E com mistérios pelo ar, ainda iremos discutir muito essa série que marcou a televisão brasileira.

    Só uma coisa eu gostaria que eles dissessem: Qual era o nome do fumacinha, heim? Eu sempre achei que seria Esaú (irmão gêmeo de Jacó, enganado por ele e pela mãe para assumir o posto do pai)… Tem tudo a ver.

    Meu balanço, caso interesse:
    http://www.cinepipocacult.com.br/2010/05/licenca-para-falar-de-lost.html

    Post a Reply
    • ahh pessoal só tenho uma coisa a declarar que compramos a série e antes de assistir o último episódio estava até imaginando esperar alguns meses e assistir ele inteiro de novo mas depois que assisti o desfecho me decepcionei e nem quero mais assistir de novo.perdeu a graça.

      Post a Reply
  2. Porra man, tava inspirado mesmo em escrever esse post hein.
    hehehehehehe

    Post a Reply
  3. Concordo com tudo que falou sobre Lost. Eu nunca tive expectativas exageradas, para mim a grande “graça” era o mistério e a forma como eles cercavam os personagens, os personagens.

    Mas eu pareço ser o único que entendeu o final de uma ótica totalmente diferente. Embora esperasse mais, fiquei sim satisfeito, até satisfeito o suficiente para seguir em frente sem problemas.

    Para mim de via de fato eles nunca morreram, eu nem cheguei a pensar na hipótese quando terminei de assistir. Só fui ver essa afirmação na internet. Para mim o diálogo entre Jack e o seu pai no fim, só revela a grande moral da história, o mistério.

    Quando Jack pergunta para o pai dele como ele está vivo, e o pai dele faz a mesma pergunta, o que eu entendi é que eles mesmo não sabem como ainda estavam vivos. Eles mesmos não sabiam o que era a ilha, ou como o MIB se transformava em fumaça, ou como o Hurley falava com mortos. Lost sempre acompanhou a perspectiva dos personagens, nós sabíamos o que os personagens sabiam, não lembro de uma só cena em que nenhum dos personagens estavam presentes. Então no fim é como se tivéssemos caído junto naquele avião, e hoje eu sei tanto sobre os mistérios da Ilha quanto o Jack. Esse foi meu entendimento do “fim”. Acho que essas histórias de que eles morreram no fim é bem “viajada” e realmente não tem nada ver com o “meio” da série. Muita coisa se tornaria descartável. Eu vi as coisas de uma ótica diferente, como disse no ínicio.

    Para mim, no momento da explosão da bomba, eles não morreram. A bomba alterou a realidade que eles conheciam (como vemos com a ilha afundada). Mas as consciências deles ainda estavam na ilha. O que se criou então não foi uma realidade alternativa (coisa que sabemos que já foi negada pelos produtores). Mas sim um desdobramento da consciência deles. Isso foi mostrada em várias vezes duranete a série, principalmente nos desdobramentos de consciência do Desmond entre passado e futuro. Ainda logo após a explosão, a viajam da consciência deles por diversas épocas mostrou claramente que eles haviam se “desdobrado”. Então tínhamos “2 Jacks”, duas consciências que de fato eram uma só, uma extensão da outra, formando um subconsciente, o que fica bem claro em diálogos e atitudes dos personagens nos sideways.

    Isso também justifica a repetida palavra da Juliet: “Worked”, ou seja, no fim o que eles fizeram tinha sim funcionado e alterado o destino deles. Mas eles ainda estavam presos a ilha. Mais a frente, Desmond com sua habilidade de desdobramento da consciência, conseguiu enxergar esse mundo mesmo estando vivo, o que gera aquelas cenas dele agindo na ilha como se soubesse onde tudo aquilo iria acabar. E no fim ele ainda diz para Jack, que tudo tinha funcionado e que ele tinha visto um mundo normal, e que iria dar um jeito de levar o Jack para lá.

    E no fim, a luz que para muita gente representou a ida deles para o Céu, ou para algum lugar melhor, sabe-se lá. Pra mim foi só a sequência do mistério. A forte luz clara em Lost era prenúncio de viagens no tempo, não de alguém morrendo e indo para o além. Por fim, acredito que o final de Lost foi interpretado de uma forma muito crua e direta. Eles (os produtores) nunca deixaram nada tão óbvio e claro na série toda, é óbvio que mesmo que estivessem mortos no fim, ninguém iria chegar e dizer isso claramente.

    Bom é isso, abraços xD

    Post a Reply
    • Jader me desculpe mais vc não tem base para comentar nada.
      Vocepor vc mesmo nem intendeu a série, teve que ver na net como vc mesmo disse, e quer comentar em post. Fala sério.

      Post a Reply
    • é MIM gosta de ver seriado.

      Post a Reply
  4. Amanda, comentei no seu blog também. Mesmo a gente que concorda com a visão sobre o que representou Lost ainda temos espaço para discutir bastante (vide os posts tanto aqui quanto no seu blog). E isso é que faz esta série ser o que é.

    Ramon, na verdade eu fui escrevendo durante a semana quando vi já estava deste tamanho, é bom que é tipo “não se fala mais sobre isso”, quer dizer, nos comentários ainda falamos sim e muito 🙂

    Jader meu caro, obrigado pelo comentário. Sua idéia para o fim de Lost, pelo menos o que você “entendeu” também é muito interessante. E isso é o que faz de Lost ser uma das maiores séries já feitas, as diferentes interpretações que podemos tirar do final, que ficou aberto justamente para continuarmos vivenciando Lost mesmo depois do último episódio.

    Post a Reply
  5. Eu penso igual a você Márcio, mas depois de ler o comentário do JAder voltei a me questionar.

    Porra, lost.

    Post a Reply
  6. Eu usei a palavra “entendi” no texto apenas para mostrar que foi algo natural. Para mim beira o óbvio tudo que aconteceu e não ocorreu uma grande dúvida no final. Já vi outras obras que foram mais díficeis de interpretar, mas Lost pra mim sempre foi natural. Acredito que minha teoria seja a mais válida e lógica de acordo com todos os acontecimentos. Mas sabe-se lá a intenção dos autores. Só posso dizer se o que eles pretendiam fosse essa coisa do morrer todo mundo, eu iria achar a série o cúmulo do rídiculo, e olha que não sou do tipo que costuma atirar pedras.

    Abraços!

    Post a Reply
    • MIM entendeu que vc entendeu, mas MIM acha isso também.

      Post a Reply
  7. Se o “morrer todo mundo” fosse desde o início da temporada eu concordaria contigo Jader, seria muito ruim, mas a questão é que o pai de Jack diz que foi depois, e inclusive, alguns teriam morrido muito tempo depois.

    De qualquer forma sua teoria continua sendo interessante.

    []´s

    Post a Reply
  8. Eu acho que estou sendo o chato aqui. Mas como é aberto pra comentar. Eu acho eles morrerem bem ruim sim, ai eu ficaria totalmente perdido e não veria sentido em nada… Mas pelos comentários gerais, parece que foi isso mesmo que aconteceu.

    Mas então, o eu sem entender nada, tudo aquilo que era mostrado nos sideways era só uma “fantasia” que as almas deles mortos estavam vivendo? Já que eles já tinham morrido.

    Anyway, não estou frustrado, mas de fato esperava muito mais da série e tenho certeza que poderia ter sido melhor. Como experiência Lost é excelente, mas como história faltou muitos detalhes e coesão.

    Post a Reply
    • Agora melhorou. sem (MIM).

      Post a Reply
  9. Os comentários estão abertos justamente pra isso Jader 🙂

    O consentimento geral é esse mesmo, que a realidade paralela era apenas um ‘lugar/espaço/tempo’ que eles tinham uma ‘vida que idealizavam’ como perfeita até poderem se “lembrar” uns dos outros e seguir adiante.

    Post a Reply
  10. Aproveitei um tempo e li um pouco sobre o episódio final em alguns blogs. Realmente isso parece ser o entendimento “oficial”, mas continuo achando minha versão mais conclusiva (e interessante). Valeu pelas respostas. Agora vou ficar no aguardo do DVD. Abraços!

    Post a Reply
  11. Olá!!
    Agente acompanha uma serie de mistério por 6 anos, porque agente gosta de mistério e fica ancioso para que esses misterios sejam finalmente esclarecidos.
    Isso vale para livros, filmes e etc.
    Mas no final, os produtores me empurram guela abaixo um final de cunho espiritual-filosófico que não tinha nada a ver com nada que agente esperava. Ou seja: Elucidar os mistérios da maldita ilha.
    Caraca!! Eu tô me lichando se os personagens viverão felizes para sempre na eternidade!!
    O que eu queria mesmo saber é:
    Quem construiu a estatua da deusa egipicia e o templo?
    Qual a importancia da fonte de luz para o mundo e não somente para a ilha?
    Por que só o homem de preto via o espírito da mãe verdadeira?
    Como a mãe (adotiva-assassina) dos irmãos destruiu todo o acampamento onde o homem de preto morava? Ela também virava fumaça?
    Essas, são algumas (das muitas) perguntas ou misterios que não foram revelados.
    Sim, eu gosto de series, filmes e livros de mistério, mas gosto porque geralmente no final esses misterios são esclarecidos.
    Eu não gastei horas preciosas nos ultimos 6 anos para isso. Me sinto enganado!!
    Um Abraço!!

    Post a Reply
  12. Sargento, eu entendo e até aceito que você não goste do final, mas essa questão de se sentir enganado não sei se procede muito.

    Os produtores prometeram explicar os principais mistérios, mas não todos eles. Foi uma saída mais “fácil” e de certa formar até inteligente, pois permitiu que a série terminasse do mesmo jeito que começou, cheio de mistérios e teorias a serem discutidas.

    Grande abraço e valeu pelo comentário!

    Post a Reply
  13. Caro Marcio,
    Boa Noite!!
    Assim fica fácil escrever uma série. É só agente encher ela de mistérios, sempre colocando um “gancho” para novos mistérios no final de cada temporada, visando prender a audiencia e a curiosidade dos fãs.
    No final agente inventa um final patético que apele para o espiritismo e filosofia e pronto!!
    Depois é só dizer que quem não gostou é porque não entendeu.
    O ponto principal da serie, que prendeu a mim e outros incautos a ela durante 6 anos sempre foram os mistérios da ilha.
    Ficar teorizando sobre os mistérios da vida é para a vida real.
    Em um filme agente quer mesmo Explicações no final!!
    E quanto a me sentir enganado, na minha opinião é bastante precedente, pois eu esperava uma coisa e tive que engolir outra!!
    Um Abraço!!

    Post a Reply
  14. Um final excelente!!

    O verde em Lost representa a literatura fantástica.

    O verde nasce, na prática do artista, da fusão do azul cor da imensidão com o amarelo cor da riqueza.

    O Azul é a cor da constância, da transcendência, do desejo infinito, das profundezas obscuras, simbolizadas pelo Céu e o Mar. Para alguns povos é o Mal e a mentira, a ilusão e o sonho. No Alcorão, o azul simboliza o mal por identificar os criminosos. O Azul representa o onírico, o surreal, instando em adornos de deuses, em roupas de santos católicos e até mesmo recobrindo Krishna, que tem a pele interessantemente azul.

    O azul é a cor da imaterialidade, é a cor do surrealismo.

    A cor amarela representa a materialidade e, basicamente, a riqueza, esta cor por si só é negativa na perspectiva de todos os seres que aspiram à transcendência divina, à pureza e ao desapego mundano.

    Os personagens tinham apegos,comida,drogas,sexo entre outros apegos.

    Havia hesito o tempo todo na série,sendo o hesito a marca da literatura fantástica.

    Assim como o filme Matrix,muitas coisas ficam sem explicações palpáveis,pois era um mundo ilusório. Assim como Lost,muitas coisas ficam soltas,batem e voltam em nossos pensamentos ai está o hesito.

    Partindo do embasamento da literatura fantástica essa serie foi muito bem escrita,causando grande curiosidade em seus seguidores.

    Beijinhos insanos!!!

    Post a Reply
  15. Célia, obrigado pelo seu comentário, simplesmente excelente. Temos visões bem próximas sobra o que foi (e até o que não foi) Lost.

    Grande abraço!

    Post a Reply
  16. Não gostei do ultimo capitulo de Lost pois os autores não esclareceram muitos mistérios como a cabana do Jacob no meio da floresta, o surgimento do indio na cabanda conversando com o Ben, a mulher que matou a verdadeira mae do Jacob, de onde ela veio? Como ela sabia tanto sobre os misterios da Ilha? Quem estava lá antes dela? Acho que os espectadores merecem um final mais convincente.

    Post a Reply
    • Jouse, você tem razão sim para estar chateada, mas estes mistérios que você citou não são nem os mais contundentes em minha opinião.

      Post a Reply
    • Isso…. concordo.

      Post a Reply
  17. Quando terminei de asisstir toda a série comecei a me perguntar muitas coisas e discutir com pessoas que conheço. A cada vez que penso sobre ela, mais a acho sensacional.

    Muitas de minhas conclusões, opiniões e dúvidas são as mesmas do texto “Lost – a série, o fim e os mistérios não resolvidos”. Sem dúvida é uma história emocionante, sobre a redenção, o amor, o perdão e, com certeza, os mistérios que giram em torno do mundo (e de nós mesmos).

    Jader, ainda que eu não concorde em algumas partes com suas ideias, você trouxe um ponto crucial, pelo menos para mim: a frase da Juliet (“it worked”) e a ilha submersa no tal espaço/tempo idealizado pelos protagonistas. Gostaria de trabalhar melhor estes pontos.

    Mas o que me pegou de fato é sobre a história do Jacob e de seu irmão. Qual seria o grande problema de deixar o garoto sair da ilha? Ele era curioso, está certo, mas o ser humano assim o é. Que mal poderia ele representar sob esse ponto de vista para as demais pessoas? No fundo, a proibição parece surgir da vontade da mãe-adotiva, um ato egoísta, penso eu, ainda que calcado de sentido protetivo.

    Além disso, em um dado momento, Jacob dá a entender que a ilha e seu protetor servem para impedir que o mal/escuridão/inferno/etc saia da ilha. Seu irmão representava tudo isso? Não teria ele, ao avaliar aquelas pessoas que o criaram, a capacidade de saber a diferença entre o bem e o mal?

    Quando Jacob lança seu irmão na luz, ele volta bem diferente. Seria o seu irmão mesmo ou aquele monstro-fumaça, entidade totalmente diferente? Se for o monstro uma questão parece não proceder: que eles, o fumaça e o Jacob, não poderiam se machucar, uma vez que o fumaça já não era mais o seu irmão, e a proibição que a mãe adotiva era para os irmãos entre si. Se, pelo contrário, era de fato seu irmão, voltamos à questão inicial: ele representava de fato o mal? Se sim, ele se tornou dessa natureza somente após sair da luz? E, enfim, que mal era esse?

    Se aquela luz representa o nascimento, a morte e o renascimento, como poderia existir lá dentro aquele monstro que busca a destruição? Seria ele, então, fruto do erro/pecado de Jacob (ter matado ou tentado matar seu irmão de sangue)?

    Talvez eu não esteja à procura de respostas, mas sim de novas perguntas. De qualquer modo, parte da genialidade da série foi ter despertado em nós tantas boas discussões.

    Post a Reply
    • André, parabéns, o seu comentário foi um dos mais lúcidos e interessantes até aqui. É como a mãe de Jacob e o homem de preto disse naquele episódio: “Mais respostas te levaram a mais e mais perguntas”.

      O final pode não ter agradado a muita gente, mas ainda assim a série terminou sendo o que foi desde o início, e isso é Lost.

      Post a Reply
  18. concordo com quase tudo que vc falou. fiquei animado com o ultimo enocontro, quando todos aparecem, deu a impressão de que vinha mais. como sempre os produtores deixando agente com uma pulga atraz da orelho. foi e sempre será o melhor de todos os seriados que eu ja vi.acho dificio aparcer outro melhor que te deixe preso 24h com eu ficava só pra não parar de ve. fico triste por saber que acabou mesmo. mais tudo que é bom tem fim . bola pra frente. deixa uma seriado indicado pra gosta de tudo um pouco, fringe. muito bom mesmo! abração

    Post a Reply
    • Eu cheguei a assistir uns episodios de Fringe mas achei um “Arquivo X” overpower, parei de ver.

      Lost foi um grande acontecimento, nao conseguiu agradar a todos pela falta de coragem no final, mas pelo menos foram coerentes.

      Abração!

      Post a Reply
  19. se eles estavam mortos, qual era a daquele farol mostrando a casa deles? quem era Jacob? como ele aparecia para as pessoas em variaos lugares do mundo? e ´q tanta gente gente foi para lá para morrer?

    Post a Reply
  20. cara adorei a serie, fui um grande defensor dela com meus amigos, mas agora eles estão rindo dizendo que p final fou uma porcaria…vou assisti tudo de novo com comentários do diretor, bonus, erros de gravação.

    Post a Reply
    • Não sei se vendo novamente você vai obter as respostas, os próprios produtores disseram que não iram responder a todos os mistérios.

      Muita coisa foi apenas viagem, porque a galera tava entrando na onda, mas tv é um negócio e, mesmo tendo um final coerente, lacunas ficaram abertas.

      Post a Reply
  21. Comecei a assistir lost desde o piloto, sem ter sido indicado por ninguem… mas parei na 2ª temporada pq eles trocaram de dia e eu sempre esquecia e perdi varios episodios… bem, hj terminei de ver lost… gostei mto do final, tenho duvidas, claro, q talvez ateh foram respondidas mas q eu nao prestei atençao ou nao entendi…
    sobre a luz, a ilha, jacob a mae e o homem de preto, q sao os misterios q mais me intrigam, acho o seguinte: a luz era a origem da vida, gaia, ou como queiram chamar… lembrem-se q na origem da vida fica tb a caixa de pandora, que dizem guardar as traves, morte, mal, escuridao, q seja… quando a mae por um ato de egoismo extremo destroi o sonho do filho desperta nele o odio e ele a mata, pecado mortal gente, matar… ai quando jacob o joga na origem da vida sua alma, talvez, imagino q sim, ou sua humanidade se transforma no monstro, entendem? e a ilha tem q ser protegida nao soh do monstro em si, ele foi morto, mas outras pessoas com odio no coração poderiam se transformar novamente em monstro, pq ali guarda tudo, o bem e o mal, a luz e as trevas, a vida e a morte… tem inclusive uma hora q a ilha me parece ser o jardim do éden, aparece uma arvore nos ultimos episodios, acho q na parte q richard conversa com o MIB, q eh igualzinha as imagens da arvore do fruto proibido do jardim do eden, mas deve ser viagem minha pq apareceu mto pouco. em relaçao ao monstro, realmente acho q era o irmao dele, mas a alma, nao o corpo, inclusive, a mae disse q os impediu de se machucarem mas o jacob deu varias porradas no irmao em q ele sangrou, entao, na verdade, eles soh nao puderam se machucar depois q o jacob virou protetor e o irmao o monstro, tipo deus e diabo, mas nao tao simples assim… aposto q se procurarmos mesmo, acharemos inumeras referencias em lost de todas as religioes, mitologias e etc.
    enfim, queria mto saber o nome do irmao do jacob q nao foi dito… mas no fundo, soh isso, o resto, p/ mim, foi respondido.

    Post a Reply
  22. A série foi boa no começo e se perderam no final e ponto final.
    é só.

    Post a Reply
    • Eu acho meu velho que na verdade faltou coragem, eles não se perderam, onde eles queriam chegar era isso aí mesmo, só que no meio pediram pra ampliar a série daí criaram um monte de coisa que não resolveram.

      Post a Reply
  23. Com todo o respeito a todos aqui, mas a série lost parece aquela mulher maravilhosa que te conta um monte de coisa lindas no começo, mas, com o tempo, vc descobre que as coisas n são bem assim.
    Ela te conta que os ex dela n prestavam, ludibria em palavras, tira sua atenção, mas … no fundo no fundo, sabemos que não é bem assim.
    A série lost era baseada na vida de Jack, como ele morreu, e como teve que viver vidas paralelas (no espiritismo “reencarnação” / nesse caso em tempo / espaço diferentes) para que conseguisse chegar ao tão amado paraíso.
    Tudo girava em torno do Jack e como ele ajudaria essas pessoas em vidas paralelas para obter sua salvação do purgatório (ilha, sair da ilha). O Fato de Jack n querer sair da ilha e dizer que seria o guardião dela, significa; desapego a tudo e a todos, sendo assim , ele estava livre para seguir em frente para o caminho de paz, n deixando o mal vencer o bem.
    Jacob era o senhor que mostrava como eles deveriam fugir das Tentações e perigos e manter viva a luz interna da ilha “analogia de Jack” e a luz que deveria defender. Isso n seria possível sem a ajuda de pessoas que estavam em purgatório / vidas paralelas e teriam que ajudar outras pessoas ex: Said, gwuen e todos os outros que estavam na mesma busca de salvação da alma. Eles ainda ficaram na terra em universos paralelos, até conseguir melhorar e reverter tudo o que fizeram até conseguirem suas salvações. Jacob só juntou pessoas que estavam mortas e sofrendo, para que assim pudessem entender o caminho que deviam percorrer para encontrar a luz. Ele n podia ser explicito, mas indicava o caminho.
    Esse grupo de pessoas ficou em universos paralelos se encontrando até poderem evoluir o suficiente para terem suas redenções. Não importa em quantos universos paralelos / vidas eles tenham, o fato é : estão atrelados e eles mesmo deverão ajudar uns aos outros até a redenção final e desapego ao seu corpo morto fisicamente/ família/ amigos e tudo que já viveram, mesmo que em vidas paralelas. Jack conseguiu isso, ao abrir mão de sua vida corriqueira e aceitou ser o único guardião daquela ilha. Esse desapego (da vida carnal/ lembranças e apegos), para manter a luz viva, foi que o fez evoluir realmente. O fato de não deixar a fumaça (mal) sair da ilha, queria dizer que, mesmo que ele tivesse que morrer, daria sua vida para que o mal n imperasse.
    O grande problema foi: esticar uma série de 4 episódios em uma série bem maior e com mais capítulos. Além de inventar coisas como iniciativa Dharma, urso e coisa do tipo, só pra perder o nosso tempo e pra explicar o tempo e espaço diferente em um mesmo plano terreno. Isso poderia ser simplesmente explicado, com o fato de pessoas que já morreram anteriormente ao pessoal chegar na ilha, voltasse e falasse com eles, como aconteceu com a esposa do Richard. Naquele episódio, a série tava desvendadaaaaaaaaaaaaaaaaaaa. Todos estavam mortos. MT s sofrerão muito ainda em vidas paralelas / reencarnações para pode evoluir o suficiente.
    O que creio e desejaria é: como só o Jack conseguiu salvação (evoluir), poderia haver episódios extras, contando resumidamente, a vida de cada um dos que ficaram no último episódio e se alguns conseguiram se salvar (evoluíram). Seria legal, pois ficaríamos por dentro e n ficaria com esse sentido de vazio dentro de nós. E teríamos mais uma série pra curtir.

    Quem estiver comigo nessa, me ajude a escrever uma carta pra produtora responsável pela série. Sei que é impossível, mas eu tentei , né, galera. N ao poder dizer depois que ninguém tentou. LOST forever. Valeu!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

    Ass. Ricardo Verona

    Post a Reply
    • Ricardo, a grande questão de Lost foi mercadológica mesmo, eles tinham uma série mais enxuta e que faria mais sentido mas foram forçosamente obrigados a extenter. Daí ele foi dando corda pra imaginação das pessoas e no final ligou o “foda-se” e terminou como queriam.

      Sinceramente, não tenho mais interesse em ver nada mais de Lost, já deu.

      Post a Reply
    • Gotei Ricardo, tu é macumbeiro do bom hein!!!
      Rsssrsrsrsrsrss.
      Um abç

      Post a Reply
  24. Não notei ninguem comentando aqui e acho que devo dizer, vi em varios blogs a questão do Colosso de 4 dedos. Tenho quase certeza que é uma estatua do deus egipcio Anubis. Pesquisando no google esse nome em imagens vc nota a semelhança com o colosso de Lost: A cabeça de chacal,a vestimenta e a Ankh (conhecida como cruz ansata que os egipcios usavam para indicar a vida eterna, vida apos a morte) na mão.O simbolismo desse deus egipcio dá mais força a teoria do nosso amigo Ricardo Verona, apesar de que eu já estava convencido que eles não estavam mortos; mas surge a pergunta: o que diabos os produtores queriam mostrar com o colosso de Anubis na Ilha, que segundo a crença é associado a vida após a morte? Então amigos, penso que não é viajar demais se acreditarmos realmente que estavam mortos! Muito interessante tudo que vc disse Ricardo! É isso ae! Abraço pessoal!!

    Post a Reply
    • Os produtores e responsáveis pela série acrescentaram diversos elementos místicos e, ao invés de se ir explicando, foi deixando no ar (sem respostas) porque afinal isso estava dando certo, pelo menos mercadologicamente falando. E terminou do jeito que terminou, um pouco covarde de certa forma.

      Post a Reply
  25. LOST – ficou muita coisa sem explicao, eu esperava muito mais, foram tantos misterios para nada.

    Eu gostei 1000x + de PRISON BREAK, ainda nao vi nenhuma serie que chegue nem perto de Prison Break.

    Post a Reply
  26. Esperava mais, muita coisa sem explicação. Eu queria mais explicações científicas, lógicas e não um final baseado na fé.

    Série ótima, porém com um desfecho fraco!

    Atualmente assisto duas ótimas séries, Games Of Thrones e Supernatural!

    Post a Reply
    • Só me assusta você equivaler Game of Thrones, uma série realmente excelente com Supernatural. Mas é a sua opinião e irei respeitar 🙂

      Post a Reply
  27. Acho que tem gente que não sabe o que é uma série de drama/fantasia.
    Às vezes a graça está em não se ter uma explicação científica real, mas apenas baseada nas inspirações, nas emoções e o imaginário etc… Lost sem dúvida ousou muito na fantasia. Foi uma mesclagem de real e surreal que para algumas pessoas, deixa a série mais tentadora.

    Post a Reply
  28. E tem gente que ainda acha que os Losties morreram no episódio piloto! huhuhu

    Belo texto.

    Post a Reply
    • Pois é, mas nem culpo as pessoas por pensarem maluquices, eles deixaram a galera viajar muito e, no fim, ficou muita coisa solta heheh.

      Obrigado pelo elogio!

      Post a Reply
  29. Terminei de ver a séria hoje no início da madrugada e jamais havia se estabelecido em mim uma fissura tão grande por um seriado. Alías nunca tinha me prendido a seriado nemhum. Porém em Lost vários dos diversos elementos que ativam minha curiosidade estavam presentes: mistério, natureza, suspense, sobrenatural, sobrevivência, etc.
    E lost misturou tudo resultando em um seriado fantástico, que a época não assiti, em razão dos horários que passou. Condordo que muita coisa ficou sem explicação, mas também entendo que como tudo que é feito para entreterimento, nem sempre é acompanhado por total coerencia e fechamentos 100% elucidativos. Contudo confesso que estou adorando ficar eu com meus botões imgaginado e dando respostas a mim mesmo aos tantos questioamentos que faço sobre tudo que não se explicou. E extamente por tratar-se de uma obra de ficção e entreterimento, não se pode esperar um comportamento totamente focado em esclarecimentos por parte de seus criadores, pois eles não só não tem obrigação disto, como também, quem sabe, nem querem dar um explicação em tudo, mas apenas ativar o imaginário de cada um…como em um bom livro, apenas lemos a estória, de resto é tudo na nossa imaginação.

    Post a Reply
  30. Não não gostei do desfecho, porque não correspondeu com as minhas expectativas de ver ao final todos os mistérios, elucidados. Nem que as respostas não tivessem muita coerência, mas pelo menos não ficariam estes “nós” na minha cabeça e creio de muitos outros fãs, também. Quando você abre um pacote de presente, tudo o que você quer, é saber o que tem dentro. E quem lhe da este presente, sempre deseja que você fique feliz com o mesmo. Senão, não tem sentido em presentear alguém. Lost até poderia terminar como terminou, ninguém viverá para sempre é verdade. Mas é preciso que as pessoas encontrem esta esperança. Esperança nas coisas boas vindouras, e que fora depositada durante toda a trama. Poder crer que todo o sofrimento que passamos nesta vida, tenha algum sentido no final das contas. Durante os seis anos da série, nos apaixonamos pelos personagens, e nos identificamos em algum momento, em alguma situação de sofrimento deles, já que a série queria falar sobre espiritualismo, redenção, amor e muitas outras coisas ligadas as dores da alma. Fiquei quase três anos, sem poder assistir as duas últimas temporadas, por falta de tempo, mas eu gostaria aqui de me juntar a todas as vozes, que também se decepcionaram com o desfecho, para quem sabe os produtores ou outros interessados, deem uma continuação a série. Mostrando, quem sabe, como ficaram Hugo, Desmond, Ben. Mesmo que Jack, Kate, John Look, Juliet, Sawer e todos os outros tenham morrido. Eles poderiam passar a eternidade naquele Ilha maravilhosa, apesar das inúmeras mortes, sem sentido algum. E o Hugo seria o elo de ligação com eles, já que ele vê os mortos. E por tabela, os produtores poderiam tornar claro, as respostas de todos os mistérios, que tantos gostariam de ter sido esclarecidos. Com isso os produtores, poderiam alcançar as suas redenções, junto aos fãs de Lost. Essa é minha humilde opinião!.

    Post a Reply
  31. Resumindo Lost é como Caverna do Dragão Voce sabe como eles chegaram mas não saberam realmente como vão sair ou se sairao lost é “se contente com as resposta que te deram mas se vc for muito curioso tente saber mas isso sera um ciclo vicioso que nunca tera um fim ,, nada na vida tem resposta e voce vive ela tranquilamente e uma duvida que vem la dos primordes e lost seguiu isso deixar voce pensativo curiso mas aqueles que se contentam em apenas chegar ao fim eles vao esta em paz consigo mesmo valeuu

    Post a Reply
  32. Na Minha humilde opiniao temos que ver lost como a vida em si (nua e crua).

    Simplesmente caimos com um aviao na vida, como um bebe nasce pela vontade alheia, temos mais momentos ruins do que bons e muitas e muitas vontades: liberdade, sonhos, amores, prazeres, dinheiro e muitas perguntas nao respondidadas, duvidas, incerteza, a vida violada por terceiros, crueldade mostrando que nem sempre temos o que queremos, nao podemos controlar tudo e principalmente temos que continuar acreditando na vida e na bondade alheia independente de tudo.

    Porem o que quero dizer, e o mais importante nao eh o desfecho final que importa nem mesmo se relamente eles morrem ou nao no final do que imaginamos ser final, e SIM: a jornada, a aventura, o meio surpriendente que te prende no viver cado santo momento como se fosse o ultimo.

    Quando voce faz uma jordada ou viagem, o verdadeiro siguinificado dela eh o caminho que percorremos, eh a estrada, as imagens, as alegrias e os pequenos momentos de felicidades “flaxes“

    Sabe porque choramos em varios momentos do seriado ? Eh porque o que fica sao os momentos felizes da jornada, MESMO QUE SEJAM POUCOS EM UMA VIDA : cada sorriso, abraco, jesto, cada sentimento que ficou guardado em pequenas cenas da nossas vida, e de flaxes do seriado.

    O bem (jacob) e o Mau (MIB) Sempre estarao ali mesmo que voce nao entandam eles e mesmo que nao acredite neles o importante e voce viver o hoje como em lost, porque o final nunca vai ser logico como queremos porque na logica apenas ficara as nossas cinzas, sem sentido algum, aa vida maravilhosa que tivemos, aquele ser amado que nao merecia ter ido.

    Mas eu acredito que o alem da vida, o espiritual e o inexplicavel sera sempre o melhor final, porque o que vale eh o que voce vive e nao quando voce simplesmente entra no caixao, deixando tudo tao ilogico e sem sentido porque nao eh o que nos agrada.

    O fim nao pode ser bom pois nosso sentido de vida nao eh morrer (acabar) e sim viver (dar seguimento) !

    Fica a dica: Viva a vida e nao julgue o que nao conhece na vida, porque como em Lost o mundo da volta e voce tambem ira ser julgado !!

    Abraco
    Att Maksoel

    Post a Reply
  33. Bom, sei que assisti, entendi e adorei demais. Lost é de longe a melhor serie que eu já assisti em todos os sentidos! Foi tudo muito bolado, muito confuso, no entanto, no final de cada episodio ou cada temporada vc conseguia entender tal coisa, Isso foi divino.

    Post a Reply

Trackbacks/Pingbacks

  1. Você gostou do final de Lost? - [...] Entenda Lost: A Série, o final e os mistérios abertos Lost, Seriados…
  2. Jacob’s Ladder (Alucinações do Passado. 1990) « Cinema é a minha praia! - [...] assistiu ao último episódio de Lost, porém não entendeu, poderá encontrar neste cult um bom caminho para ser seguido,…
  3. The Walking Dead, uma série com Zumbis | Porra, man! - [...] que minhas séries favoritas chegaram ao fim (Prison Break, Lost, 24 horas, Battlestar Galactica, etc) como de costume, fiquei…
  4. Os melhores e mais românticos casais de Lost | Porra, man! - [...] série Lost chegou ao fim e deixou milhares de órfãos só que, como eu sempre gosto de frisar, Lost…
  5. The Leftlovers (Premiere) - Primeiras impressões - Porra, man! - […] que criaram (e destruíram depois) um dos maiores eventos televisivos de todos os tempos, “Lost“, como também por todo…
  6. The Leftovers, 1º Temporada: seguir ou deixar para trás? - Porra, man! - […] escrito por Tom Perrota e com o nome de Damon Lindelof à frente, uma das mentes que criaram “Lost“,…

Submit a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.