Duros em Paris (La Jungle, Comédia: 2006/2008 – 95 min)

Dirigido por Mathieu Delaporte com roteiro por Alexandre de La Patellière, Mathieu Delaporte e Julien Rappeneau. Estrelando: Patrick Mille, Guillaume Gallienne, Olivia Magnani, Sophie Cattani, Guy Bedos e Anémone.

Quando dois homens possuem aquela amizade acima do normal, são muito chegados e em certo nível “se amam”, sem conotações sexuais, a expressão empregada para tal fato é “bromance”, ou seja, um romance entre ‘brothers‘. O filme “Duros em Paris (La Jungle)”, que dia desses acabei assistindo ‘acidentalmente’ na programação de meu canal fechado de TV, trata-se justamente de um ‘bromance’ francês.

Para quem pensa que só de filmes ‘maduros’ ou de ‘arte’ vive o cinema da França, “Duros em Paris” é um bom exemplo de uma obra descompromissada com tais preceitos. Temos aqui então uma comédia, que não é daquelas de sair chorando de rir com cenas engraçadíssimas, mas sim daquelas de fazer você se divertir e se pegar imaginando como faria para se safar das mais inusitadas (ou não) situações em que os dois protagonistas se metem durante o desenrolar da estória.

A trama segue então dois amigos de longas datas (mais precisamente desde a infância), Vicent (Patrick Mille) e Mathias (Guillaume Gallienne, “Problemas de um Dorminhoco”), que ainda vivem sobre o teto, proteção e principalmente patrocínio dos pais, já bem adultos. Eles então acabam topando um desafio proposto por seus amigos/pais: sobreviver 7 dias e 7 noites com apenas 7 euros na “selva” parisiense (daí o título original “La Jungle”).

É mais do que óbvio que esta dupla “do barulho” vai se meter em “altas confusões” pelas ruas de Paris. Vejam bem, dois caras que são completos inúteis tendo que se virar sozinho, tem chances de dar certo? Só que o mais importante aqui é observar que a amizade (e o ‘amor’ ) entre os dois é o que vai fazer o elo com tudo o que acontece durante o filme.

Para quem entende que comédia precisa ter piadas imbecis e cenas escatológicas, ou então quedas e demais ingredientes de filmes ‘pastelão’, definitivamente “Duros em Paris” não é uma boa pedida. Aqui é como se fosse mesmo uma comédia romântica entre dois amigos, você percebe em todos os níveis os momentos de união, separação, brigas, reconciliação e tudo mais, ou seja, um “bromance” só que, ao contrário da grande maioria de produções deste gênero, é europeu (com produção França – Luxemburgo).

 

Related Posts with Thumbnails