As Melhores Coisas do Mundo

As Melhores Coisas do Mundo (Drama, 2010 – 107 min)

Direção de Laís Bodanzky com roteiro por Luís Bolognesi. Estrelando: Francisco Miguez, Gabriela Rocha, Denise Fraga, Paulo Vilhena, Caio Blat, José Carlos Machado, Gustavo Machado, Fiuk.

Saindo totalmente do esqueminha manjado e altamente saturado do nosso cinema nacional, que costuma se resumir a “favela x problemas sociais”, o terceiro filme da cineasta responsável pelo sensacional “O Bicho de 7 CabeçasLaís Bodanzky é mais um daqueles maravilhosos alentos para o cinema brasileiro. “As Melhores Coisas do Mundo” é simplesmente o retrato mais fiel e impressionante dos adolescentes atuais que já vi até aqui.

A trama segue a história de Mano (Francisco Miguez) que no alto de seus 15 anos sofre com os problemas comuns da sua idade; virgindade, amigos, namoradas, paixões ‘platônicas’, etc. No meio desse turbilhão ele ainda tem que enfrentar uma separação de seus pais (José Carlos Machado e Denise Fraga), para isso ele conta com sua melhor amiga Carol (Gabriela Rocha) e até o seu professor de violão, que está mais para psicológo, interpretado por Paulo Vilhena.

E ao colocar excelentes atores como Caio Blat e Denise Fraga para atuarem como coadjuvantes de desconhecidos jovens atores, sem contar ainda com o grande número de alunos de verdade (que inclusive ajudaram a “montar” o roteiro e os diálogos) o resultado foi uma ótima sintonia entre eles, que culminou num trabalho bastante inspirado por parte do elenco. Ainda que tenha Fiuk fazendo o mesmo biquinho raivoso que faz em Malhação Id, os jovens Francisco Miguez e Gabriela Rocha tomam conta do filme.

A narrativa é bastante ágil e tem momentos muito divertidos e, ainda que a linguagem possa incomodar um pouco os mais velhos e ranzinzas, não tem como negar que é sim um trabalho primoroso este retrado desta juventude que para muitas pessoas é perdida.

Eu consequentemente fiquei comparando a minha adolescência com esta apresentada em “As Melhores Coisas do Mundo”. A conclusão que cheguei é que, ainda que seja diferente e muito mais ansiosa e eufórica, a essência de ser adolescente não muda. Os problemas são os mesmos, apenas os meios de transmissão e comunicação mudaram e se tornaram muito mais rápidos.

Mais do que apenas um belo drama que tem que servir de exemplo para o cinema nacional, aqui temos uma obra que responde alguns questionamentos e apresenta da forma mais fiel possível o que se passa na vida e na cabeça destes nossos jovens. A trama tem lá suas situações manjadas e uma coisinha ou outra forçada, só que nada disso é capaz de manchar este ótimo trabalho. Recomendado principalmente para aqueles que já perderam a fé nos filmes brasileiros.

Related Posts with Thumbnails

Author: Marcio Melo

Analista de Sistemas, amante da sétima arte desde os tempos imemoriais e com muito sangue nerd fervilhando em veias hipertensas, fundou o Porra, Man! com o intuito de comentar sobre cinema de forma descomplicada e fácil de entender. Nas horas vagas torce prum time que nunca vence e mata monstros que não existem.

Share This Post On

23 Comments

  1. É, ainda não sei se vou assistir esse filme. Se sobrar tempo posso acabar indo.

    Post a Reply
  2. Assino em baixo do que você descreveu, um retrato dos jovens, de forma honesta e bela. Este filme me surpreendeu muito.

    Post a Reply
  3. Ramon, filme nacional bom não é todo dia, se arrumar tempo confira, apesar de achar que não é muito o seu estilo hehehe.

    Amanda, eu também tive essa sensação boa de ser agradavelmente surpreendido.

    Post a Reply
  4. Man, não profane o cinema nacional eheheh
    Esse tipo de filme aí hollywood faz todo dia. Não consigo perder meu preconceito perante essa história e esses atores, como o tal Fiuk. Difícil eu pagar pra assistir.

    Post a Reply
  5. Man, sempre que olho o cartaz deste filme não dá vontade de assistir. Mas como todo mundo tá falando bem dele, talvez eu dê uma chance.

    Post a Reply
  6. Cara, impressionante como todos estão comentando bem desse filme. Acho que nunca vi um filme tão bem comentado que nem esse….
    Eu acho que vou assistir !
    Marcio, eu mudei de endereço, se vc puder trocar meu link, eu agradeceria, hehehe, era Home Vintage agora é http://cinemapublico.blogspot.com/
    Valeu cara !
    ps: já adc seu link, claro !

    Post a Reply
  7. Esse ator principal é irmão do Max do BBB??? huahuahuah

    Pois é, o filme ta indo bem nas criticas, to me animando de ir no cinema conferir. Ele já tem um ponto positivo, a direção, gostei bastante do “Bicho de 7 Cabeças”.

    Post a Reply
  8. Respeito as opinião de vcs (Márcio e demais), mas esse filme é do tipo “não vi e não gostei”. Me recuso a pagar ingresso para ver Paulo Vilhena, Fiuk e Caio Blat. Questão de princípios. Agora, se rolar uma cortesia… quem sabe. hehehehe

    Post a Reply
  9. Gostei do seu texto, favoreceu mais ainda este filme e concordo com tudo. O filme é bem dirigido, atuado e a premissa é altamente interessante.

    Mostra a juventude como ela é.

    Até Fiuk se sai bem, rs

    abs

    Post a Reply
  10. Valeu Cristiano ! 🙂

    Agora para você ver como as pessoas já ficam com um pé atrás com as produções nacionais. O Fiuk faz gente correr, a Globo Filmes estremece as pessoas e tudo mais.

    O que é uma pena pois é realmente um belo trabalho.

    Post a Reply
  11. O filme é bom me surpreendeu…=)!

    Post a Reply
  12. Muita gente não levou fé e ficou com um pé atrás , o que é realmente uma pena Nanda, pois como você disse o filme é realmente muito bom.

    Grande abraço

    Post a Reply
  13. Epor causa do Fiuk que as meninas estao comentando
    Pq ele e bonita as mininas piram

    Post a Reply
  14. Acredito que não dá pra criticar sem ver. Portanto quem está criticando e dizendo que hollywood faz todo dia filmes desse tipo, eu que vi posso afirmar: não fazem. Nunca vi um filme tao realista. E essa é a coisa incrivel do filme. Se voce está julgando o filme por utilizar de atores como, por exemplo, Fiuk (que tambem não gosto dele), a mesma critica se aplica a voce.
    Vejam o filme, é otimo!
    Claro que a historia em sí não é nada muito incrivel, mas se levarmos em consideração os dia-a-dias dos adolescentes, eles tambem não sao incriveis.
    Aproveitem, o filme sai completamente do “favela”

    Post a Reply
    • Mariana, realmente é um projeto diferenciado e de muita qualidade do cinema nacional, quem dera outros projetos seguissem seu exemplo.

      Até aqui foi o melhor filme brasileiro que vi este ano.

      Post a Reply
  15. Amigos, fui ver o filme, nossa o roteiro muito bom, o conteudo muito real, conta coisas sobre o dia dia mesmo e outra coisa sobre o Fiuk, achei o maximo ele no filme, todos do filme estão de parabens, gostei mesmo.

    Post a Reply
  16. eu vi e achei um filme qualquer como todos os outros filmes brasileiros…[opinião própria]!!!

    Post a Reply
  17. A ideia do filme é interessante, porem muito fraco!
    Algumas atuações principalmente do Fiuk com todo aquele drama forçado simplesmente não convence!
    O filme tinha potencial, é uma pena.

    Post a Reply
    • Fiuk faz um personagem pequeno e não tem relevância pro filme não. A dupla de protagonistas é quem merece todo o destaque.

      Discordo de você Eric, o filme não tinha potencial, TEM potencial e é muito bom.

      🙂

      Post a Reply

Submit a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.